search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Um dos maiores especialistas em vinhos da América do Sul acaba de divulgar os 50 grandes vinhos de Portugal para o mercado brasileiro. Uma lista elaborada após degustação de 460 vinhos. Uma seleção que combinou qualidade com boa relação qualidade preço.

Dirceu Viana Júnior, o único Master of Wine sul-americano e de língua portuguesa, revela que “ficou claro durante todo o processo da minha seleção que a qualidade dos vinhos portugueses nunca esteve tão alta como agora. Estamos no momento certo”. E acrescenta “Tenho plena confiança que esta é uma ótima seleção de vinhos. Espero que sirva como um catalisador tanto para o consumidor quanto para importadores e distribuidores explorarem mais a riqueza e a diversidade que os vinhos portugueses têm a oferecer.”

A sua seleção “inclui alguns vinhos muito bons e não caros, perfeitos para o dia-a-dia. Contém exemplos das principais regiões produtoras. Inclui vinhos com verdadeira personalidade de estilos distintos, tradicionais e modernos. Alguns produtores emblemáticos de vinhos tranquilos figuram nesta lista assim como alguns dos grandes e mais respeitados produtores de vinho fortificado do mundo. Espero que o consumidor consiga encontrar vários nomes familiares nesta lista, mas também espero que muitos sejam uma nova revelação”. 

Lista dos 50 vinhos selecionados

  1. Covela Escolha Branco  – de William Smith & Lima Lda, 2012,  Branco
  2. Quinta da Levada  – de Quinta da Levada – Sociedade Agrícola Unipessoal, Lda, 2012, Branco
  3. Soalheiro – de VinuSoalleirus, Lda, 2012, Branco
  4. Quinta de Gomariz Grande Escolha – de Quinta de Gomariz, Lda, 2012, Branco
  5. Casa da Senra – de Abrigueiros – Produções Agrícolas e Turismo, S.A, 2012, Branco
  6. Tapada dos Monges  - de Manuel Da Costa Carvalho Lima & Filhos, Lda, 2012, Branco
  7. Muros Antigos – de Anselmo Mendes Vinhos, 2012, Branco
  8. Portal do Fidalgo – de Provam, Lda, 2011, Branco
  9. Muros de Melgaço – de Anselmo Mendes Vinhos, 2011, Branco
  10. Royal Palmeira – de IdealDrinks, Serviços e Distribuição, Lda, 2009, Branco
  11. Quinta da Fonte do Ouro Encruzado – de Sociedade Agrícola Boas Quintas Lda, 2011, Branco
  12. Morgado de Santa Catherina – de Companhia das Quintas – Vinhos, S.A., 2010, Branco
  13. Redoma Reserva – de Niepoort (Vinhos) S.A , 2011, Branco
  14. Conceito Branco  - de Conceito Vinhos lda, 2010, Branco
  15. Cortes de Cima Trincadeira – de Cortes de Cima, S.A., 2011, Tinto
  16. Terra D’Alter Touriga Nacional – de Terras de Alter, Companhia de Vinhos, 2010, Tinto
  17. Herdade da Pimenta Grande Escolha – de Logowines SA, 2010, Tinto
  18. Tinto da Talha Grande Escolha  – de Roquevale, S.A.,  2009, Tinto
  19. Canto X – de Herdade da Madeira Velha, Agro Alimentar, Lda., 2009, Tinto
  20. Cartuxa – de Cartuxa – Fundação Eugénio de Almeida, 2009, Tinto
  21. Cortes de Cima Reserva – de Cortes de Cima, S.A., 2009, Tinto
  22. Dona Maria Reserva – de Júlio Bastos – Dona Maria, 2008, Tinto
  23. Conde D’Ervideira Private Selection Tinto – de Ervideira, Sociedade Agrícola, Lda, 2008,Tinto
  24. Aliança Bairrada Reserva – de Aliança Vinhos de Portugal, SA, 2011, Tinto
  25. Vinha Pan – de Luís Pato, 2009, Tinto
  26. Marquesa de Alorna Reserva - de Quinta da Alorna Vinhos Lda, 2009, Tinto
  27. Julia Kemper – de Cesce Agrícola, S. A., 2009, Tinto
  28. Quinta da Fonte do Ouro Touriga Nacional – de Sociedade Agrícola Boas Quintas Lda, 2009, Tinto
  29. Casa da Passarela Vinhas Velhas – de O Abrigo da Passarela LDA , 2009, Tinto
  30. Quinta do Serrado Reserva – de Sociedade Agrícola Castro Pena Alba, SA, 2009, Tinto
  31. Quinta do Perdigão Touriga-Nacional – de Quinta do Perdigão, 2008, Tinto
  32. Quinta da Bica Reserva – de Quinta da Bica Sociedade Agrícola Lda, 2005, Tinto
  33. Quinta do Vallado Reserva Field Blend Douro Tinto 2011 – de Quinta do Vallado Sociedade Agrícola, Lda., 2011, Tinto
  34. Quinta da Casa Amarela Grande Reserva – de Laura Valente Regueiro, Lda, 2011, Tinto
  35. Casa Ferreirinha Callabriga  – de Sogrape Vinhos S.A., 2010, Tinto
  36. Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas – de Quinta do Crasto, S.A. , 2010, Tinto
  37. Pintas – de Wine & Soul, Lda. 2010, Tinto
  38. Poeira – de Jorge Moreira Produção e Comercialização de Vinhos, 2010, Tinto
  39. Batuta – de Niepoort (Vinhos) S.A, 2010, Tinto
  40. Passadouro Touriga Nacional – de Quinta do Passadouro Sociedade Agrícola, Ldª. 2010, Tinto
  41. Quinta do Pessegueiro – de Quinta do Pessegueiro – Sociedade Agrícola e Comercial, Lda, 2010, Tinto
  42. CV-Curriculum Vitae – de Lemos & Van Zeller, lda,  2010, Tinto
  43. Quinta de la Rosa Reserva – de Quinta da Rosa Vinhos SA, 2009, Tinto
  44. Chryseia – de Symington Family Estates Vinhos Lda, 2009, Tinto
  45. Quinta do Noval Touriga Nacional 2009 – Quinta do Noval, 2009, Tinto
  46. Quinta do Portal AURU – de Quinta do Portal, 2009, Tinto
  47. Bacalhôa Moscatel Roxo - Bacalhôa Vinhos de Portugal, SA, 2001, Tinto
  48. Justino’s Madeira Colheita 1995 – de Justino’s, Madeira Wines, S.A., 1995, Ambar
  49. Graham’s Tawny 30 anos – de Symington Family Estates Vinhos Lda, NA Tinto
  50. Burmester Porto Colheita 1963 – de Sogevinus Fine Wines S.A., 1963, Tawny


A convite da Associação dos Produtores de Vinhos Finos da Região dos Altos Montes (Apromontes) e Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale) com apoio da Associação Brasileira de Enologia (ABE), o Blog Vivendo a Vida segue hoje para a Serra Gaúcha aonde vai permanecer esta semana conhecendo a produção de uva na região por meio de visitas técnicas a vinícolas, com o intuito de aprofundar o meu conhecimento sobre o setor vitivinícola nacional e seus produtos e, para participar da 21ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2013, que acontece no sábado, dia 28.

Terei o privilegio de conhecer, em primeira mão, a representatividade da safra, degustando as 16 amostras selecionadas entre as mais representativas num universo de 308 amostras inscritas por 63 vinícolas de seis estados brasileiros.

Tentarei dentro de o possível atualizar o Blog com as novidades diretamente do Sul.


Coluna Vivendo a Vida publicada ontem, dia 21/09, no Caderno Prazer & Cia do Jornal A Gazeta

Bordeaux, na França, é o maior e mais importante distrito do mundo em produção de vinhos finos. Conta com mais de 10 mil vinícolas, e representa 25% das denominações no território francês. A qualidade e a tradição de seus produtores e de seus vinhos os tornaram uma referência para os enófilos. Mas, como escolher um bordeaux do seu gosto e que caiba no seu bolso? Para lhe orientar na compra, trago a seguir algumas dicas valiosas, de forma bem objetiva.

Corte 

Os tintos de Bordeaux resultam do chamado corte bordalês, composto de Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc. Além dessas castas, podem fazer parte da mistura, em pequenas proporções, a Petit Verdot e a Malbec.

Áreas de produção

Existem duas áreas distintas na produção de tintos em Bordeaux. Ambas passaram a ser chamadas de Margem Esquerda e de Margem Direita em referência ao estuário de Gironda. Os vinhos da Margem Esquerda (principais regiões: Haut Médoc e Graves Pessac-Léognan), terra da Cabernet Sauvignon, são geralmente austeros, tânicos, com sabor mais pronunciado de frutas. Normalmente, precisam de muitos anos de garrafa para se desenvolver.

Já os da Margem Direita (principais regiões: Saint-Émilion, Pomerol e Canon-Fronsac) são introdutórios, indicados para um apreciador novato de Bordeaux. Como são feitos em maioria de Merlot, são menos tânicos e mais ricos em texturas.

Qualidade

É importante notar se o vinho foi engarrafado no próprio castelo. O indicativo “Mis em Bouteille au Château” não é garantia de qualidade, mas ajuda. Veja se o vinho é classificado como A.O.C. (Appellation d’Origine Contrôlée), que garante qualidade pela seleção do terroir, das uvas, dos métodos de viticultura e dos processos de produção.

Brancos

Os brancos combinam Sauvignon Blanc (dá frescor) e Semillon (dá estrutura e longevidade). Alguns competem com Montrachets, famosos brancos da Borgonha. 

Safras

As boas safras mais recentes são 2000, 2005, 2009 e 2010.

Se você está estreando no universo de Bordeaux, começar com os de alto nível não faz sentido. Inicie pelos mais simples, para que possa desenvolver uma referência. Esse contraste o ajudará a entender a majestade dos grandes vinhos no futuro. 

A seguir, indico seis rótulos de entrada, com preços abaixo de R$ 60.

Château Bordeaux Montserat 2010 (R$ 35,90 no supermercado Extraplus)

Um corte de Cabernet Sauvignon, Melot e Cabernet Franc. Ligeiro, para beber sem maiores pretensão. Notas de frutas vermelhas. Bem satisfatório pelo preço. Melhora muito com comida, 13% de álcool.  

Château de Pitray 2009 (R$ 59,00 na Wine Vix)

Um corte de 75% Merlot e 25% Cabernet Franc. Aroma complexo, com boa fruta e especiarias. Taninos macios, acidez adequada e equilibrada. Bem típico. Agradou na taça. 13,5% de álcool.

Château La Motte 2009 (R$ 54,00 na Grand Cru)

Nariz agradável, paladar macio em virtude de sua predominância da Merlot (87%) e 13% Cabernet Sauvignon. Boa acidez, fácil de beber e de agradar. 14% de álcool.

Château de Macard 2009 (R$ 58,00 na www.buywine.com.br)

É macio, boa textura, pronto para beber, com certa complexidade e imponência. Outro em que a Merlot domina com (80%), 10% Cabernet Franc e 10% Cabernet sauvignon.  13,5% de álcool.

Château les Millaux 2009 (R$ 45,00 no Zanata Wine Srore)  

Aroma demorou a abrir, apresentando nota de frutas. Melhor na boca. Estilo mais austero, taninos firmes. Ideal para acompanhar um churrasco. Pode melhorar um pouco com o tempo, mas já está pronto. 85% Merlot, 10% Cabernet Franc e 5% Cabernet Sauvignon  - 13,5% álcool

Barton & Guestier Passeport Rouge 2011 (R$ 60,00 na www.wine.com.br)

Aroma agradável, com toques de frutas vermelhas e especiarias. Um vinho simples, mas agrada de início ao fim. Macio, com taninos finos e persiste bem em boca. 12,5% de álcool.

Na opinião de Patricio Tápia e do sommelier e escritor Fabricio Portelli, responsáveis por avaliar os vinhos argentinos no Guia de vinhos Descorchados, os melhores tintos de 2013 são:

LOS MEJORES TINTOS DEL AÑO

96 Catena D.V. Adrianna (Adrianna Vineyard) Malbec 2010, Mendoza
95 Achaval Ferrer Finca Altamira Malbec 2010, Mendoza
94 Achaval Ferrer Finca Bella Vista Malbec 2010, Mendoza
94 Bressia Profundo Malbec Merlot C. Sauvignon Syrah 2008 Agrelo
94 Carmelo Patti Gran Assemblage 2004, Perdriel
94 Cheval des Andes Malbec C. Sauvignon P. Verdot Merlot 2008, Mendoza
94 Dominio del Plata Susana Balbo Signature C. Sauvignon 2010, Mendoza
94 Fabre Montmayou Grand Vin Malbec C. Sauvignon Merlot 2009, Mendoza
94 Mendel Finca Remota Malbec 2010, Mendoza
94 Norton Gernot Langes 2006, Luján de Cuyo
94 Rutini Wines Antologia XXXI Malbec Petit Verdot 2009, Valle de Uco
94 Terrazas Single Parcel Los Cerezos Malbec 2008, Mendoza
94 Weinert Estrella C. Sauvignon 1994, Mendoza
94 Weinert Estrella Merlot 1999, Mendoza

Curioso com o resultado do Wine In, evento em SP que colocou o vinho nacional Monte Paschoal Dedicato Cabernet Sauvignon 2011 no quinto lugar em painel com 15 rótulos abaixo de R$ 50, contra argentinos e chilenos consagrados, como Luigi Bosca, Morande, Santa Rita, De Martino, decidi abrir uma garrafa em almoço com amigos.

Feito exclusivamente com a uva Cabernet Sauvignon proveniente da Campanha Gaúcha, apresentou na taça um aroma gostoso, equilibrando madeira (6 meses), com frutas e leve nota balsâmica. Acidez adequada e boa concentração. Fácil de beber, pedindo mais um gole. Deve evoluir. Com uma picanha somente no sal grosso, preparada com simplicidade, ressaltou bastante o seu sabor, #delicius. Nota: (ST) – 88/100 – R$ 58,00 aqui.

A importadora Qualimpor promove Wine Dinner com degustação de Vinhos da Herdade do Esporão, Quinta do Crasto, Freixenet e Taylor’s dia 1º de outubro, no Restaurante La Vittória em Vila Velha, às 20h30. O evento contará com a presença do português João Palhinha, On-Trade Manager Brazil & Latin America Manager, que conduzira a degustação. Mais detalhes do banner acima.

A última edição da revista inglesa Decanter (setembro/2013) traz uma matéria especial assinada pelo jornalista e crítico Steven Spurrier, um das personalidades mais reconhecidas no universo dos vinhos. O editor passou pela América do Sul em 2013 para visitar dezenas de vinícolas e experimentar os mais variados rótulos do Brasil, Chile e Argentina. Spurrier esteve na Serra Gaúcha, na Campanha/RS, na Serra do Sudeste, no Planalto Catarinense e no Vale do São Francisco/BA.

Um dos destaques da matéria é a lista com os seis melhores vinhos nacionais avaliados pelo especialista.

  • Cave Geisse 1998 Brut (magnum) - Pinto Bandeira – (18,5/95 pts)
  • Lídio Carraro Grande Vindima Merlot 2005 - Encruzilhada do Sul – (18/93 pts)
  • Pizzato DNA99 2008 – Vale dos Vinhedos – (18/93 pts)
  • Lídio Carraro Dádivas Pinot Noir 2012 - Encruzilhada do Sul – (17,5/91 pts)
  • Miolo Sesmarias 2008 - Campanha Gaúcha – (17,5/91 pts)
  • Casa Valduga Raízes Cabernet Franc 2010 - Campanha Gaúcha – (16,5/88 pts)

RED OBSESSION é um filme - documentário que explica o que é Bordeaux hoje e o que será no futuro atingindo preços inimagináveis. Entenda a magia do terroir único de Bordeaux, o mercado de futuros, o vinho como wine commodity de luxo e a voracidade asiática pelos clarets bordaleses.

Na opinião de Patricio Tápia e do enólogo Héctor Riquelme, autores do mais respeitado Guia de vinhos chilenos (Descorchados), os melhores brancos de 2013 são:

Los mejores blancos del año

95 Casa Marín Cipreses Vineyard S. Blanc 2011 Lo Abarca $18.900
95 Concha y Toro Terrunyo S. Blanc 2011 Casablanca $9.900
94 Aquitania Sol de Sol Chardonnay 2009 Malleco $19.900
94 Bodegas RE Re Chardonnoir 2011 Casablanca $18.000
94 Calyptra Gran Reserva Chardonnay 2009 Cachapoal $13.000
94 Concha y Toro Terrunyo T. Bottles S. Blanc 2011 Casablanca $12.900
94 Concha y Toro Amelia Chardonnay 2011 Casablanca $14.990
94 De Martino Single Vineyard Quebrada Seca Chardonnay 2010 Limarí $13.900
94 Maycas del Limarí Quebrada Seca Chardonnay 2010 Limarí $14.990
94 Tabalí Talinay Chardonnay 2011 Limarí $13.990
94 Tabalí Talinay S. Blanc 2012 Limarí $13.990
94 Tamaya Winemaker’s Gran Reserva S. Blanc 2011 Limarí $9.990
94 Tara White Wine 1 Chardonnay 2011 Atacama $24.000
94 Viña Ventolera Ventolera S. Blanc 2011 Leyda $9.500
94 William Fèvre Chacai Chardonnay 2011 Maipo $24.900

A harmonização de comida japonesa com vinho é discutível e complicada, mas não impossível. Ingredientes usados em seu preparo, como wasabi (raiz forte), gengibre, gergelim e shoyu, são algumas barreiras. Buscando aprender essa combinação na prática, participei de uma degustação comandada pelo sommelier Boris Acevedo, agora responsável pelo serviço de vinhos no restaurante Musashi, em Jardim da Penha, onde aconteceu o evento.

Pude comprovar que a comida japonesa aceita a companhia de vários estilos de vinhos, entre eles, espumantes, brancos, rosés e tintos selecionados com atenção.

Sommelier Boris Acevedo

Começamos os trabalhos com um sunomono (conserva em molho agridoce de pepino, kani e polvo) e com shimeji (cogumelos puxados na manteiga com shoyu e açúcar). Eu escolheria harmonizá-los com um bom branco espumante brut brasileiro, fresco e frutado. Porém, o Sauvignon Blanc chileno sem passagem por madeira selecionado para o jantar cumpriu seu papel. Não “cresceu” o prato, mas não atrapalhou.

Santa Augusta Brut – R$ 39,00 – Onde: Supermercado São José

  • Pérlage de bolhas médias para finas, com boa persistência .Aroma muito bom, fresco e intenso, lembrando maçã verde e frutas cítricas. Na boca, é leve, frutado e muito refrescante. 12% de álcool.

O sushi de hadoque selado ao molho de maracujá e o hot maki hadoque, enrolado em massa folhada com recheio do peixe, de salmão e de cream cheese, precisam de um branco fresco. Afinal, sal e taninos são inimigos. O Riesling alemão apresentado foi bem, porém, um pouquinho a mais de acidez ficaria melhor. Evite brancos amadeirados e intensos, pois podem sobrepor o prato.

Lidio Carraro Faces Branco FIFA World Cup – R$ 39 – Onde: Wine.com.br

  • Chardonnay, Moscato e Riesling Itálico, com aromas florais, cítricos e de melão. Equilibrado, fresco, com um leve adocicado. Boa persistência final. 13% de álcool.

Cloudy Bay Sauvignon Blanc 2012 – R$ 149 – Onde: Ville du Vin

  • Notas poderosas cítricas, de maracujá e de ervas. Paladar suculento, com uma acidez cortante, equilibrada, gerando frescor. Um dos melhores Sauvignon Blanc que provei. 13,5% álcool.

O gunkan de salmão com geleia de morango e o sashimi de salmão formaram uma bela parceria com o rosé. Para essa combinação, opções não faltam: dos mais encorpados, alguns mais intensos, aos ligeiros e frescos, ideais para se beber despretensionamente. Nesse caso, os mais indicados são os de maior dulçor e acidez, como o californiano degustado.

Calcu Rosé Reserva 2012 – R$ 45 – Onde: Buywine.com.br

  • Aromas florais e de frutas vermelhas. Corpo médio, macio, e acidez correta. Muito equilibrado. Persistência aromática relativamente boa. Final fresco, agradável e sem amargor. Rosé delicioso, fácil de beber. 12,5% de álcool.

Com tintos, a harmonização é mais complicada. Mas se for um com poucos taninos (aquela sensação que amarra a boca), é tiro certo. O tartare de atum e o sashimi de atum selado com molho teriyaki e gergelim tostado foram bem com um Pinot Noir da Califórnia. Pode ser também com um da Borgonha, da Argentina, do Chile, do Brasil; ou também com um Rioja (Espanha) envelhecido.

Salton Volpi Pinot Noir 2012 – R$ 29,90 – Onde: Supermercado Carone

  • Visual rubi claro, aroma com destaque para frutas vermelhas. Paladar leve e frutado, mas intenso, incrementado por uma ótima acidez. Sabor prolongado. Final agradável, sem amargor. 13% de álcool.

Para adoçar a vida!

Essa degustação confirmou que é preciso ousar, quebrar regras. O gosto é subjetivo, e nem sempre o indicado nos livros é o melhor na prática. A seguir, indico opções de bom custo para você brincar de harmonizar com sushis e sashimis. Saúde!

Restaurante Musashi

Avenida Anísio Fernandes Coelho, 41 – loja 3 | Bairro: Jardim da Penha | Cidade: Vitória | CEP: 29060670 | Telefone: 3235-1891 | Lugares: 78 | Horário: 12h/16h e 18h/0h (seg. só jantar)

C. Crédito:    | C. Débito:    | Serviços: