Na noite de ontem reunimos mais uma vez a confraria na loja Ville du Vin em Vitória. O tema escolhido pelo confrade e amigo Aldir foi Portugal, e as regiões Alentejo e Douro. Foi uma bela escolha, inclusive pelas safras mais antigas assim proporcionando vinhos evoluídos e complexos. Os vinhos a principio estavam muito iguais, mais com tempo de taça foram mostrando suas características. A degustação foi a cegas, aonde partimos para uma eliminação um por um até chegar ao vencedor. O Casa ferreirinha 1997, após já dado o resultado, com a eleição apurada e urna lacrada, começou a crescer e para alguns da mesa foi o melhor da noite. Viva Portugal e seus belos vinhos!

Segue a descrição dos vinhos por ordem de classificação geral:


Couteiro-Mor Colheita Seleciona 2001 – Portugal – Alentejo – Aragonês, Alicante Bouschet e Touriga Nacional – 13,8% alc – ST(90)

  • Votei contra o vinho em todas as rodadas, achei um vinho com um aroma um pouco enjoativo de estrebaria em excesso. Mais na boca se mostrou um vinho equilibrado.


Mouchão 2001 – Portugal – Alentejo – Alicate Bouchet e Tricadeira – 13% Alc – ST(92+)

  • Um vinho que me surpreendeu pela elegância, aromas terrosos e animais com boca elegante, e ao mesmo tempo potente.     


Casa Ferreirinha Reserva Especial 1997 – Portugal, Douro – 13% – Varias uvas – ST(92+)

  • Esse vinho que é considerado o Barca velha disfarçado, mostrou um nariz doce e uma leve baunilha. Na boca elegante, redondo, cresceu muito após a apuração e um confrade Welington o elegeu como o melhor da noite.


Esporão Garrafeira 1999 – Portugal – Alentejo – Alicante, Touriga, Cabernet, Trincadeira e Aragonês – 14% alc – ST(90)

  • Visual castanho claro, aromas de fruto seco, chá, erva. Na boca mostrou corpo médio, agradável, um vinho que não cansa.


Quinta da T – Terrugem 2001 – Portugal – Alentejo – 14% alc – 90% Aragonez e 10% Trincadeira – ST(90)

  • Apresentou bastante sedimento, aromas de gelatina de framboesa, boca estruturada, acidez adequada, média persistência.