Hoje pela manhã tive a idéia de harmonizar Champagne com rabada, será que estava viajando. Segundo o grande enófilo Arthur P. Azevedo, um dos mitos difundidos da harmonização de champanhe com comida diz que o champanhe é um vinho que acompanha toda a refeição. Mais é uma verdade relativa, pois para que a harmonização seja perfeita, será necessária a utilização de vários estilos de champanhe na refeição, sendo desta forma possível se tomar champanhe desde a entrada até a sobremesa. Vamos então a minha avaliação.

Avaliação Pessoal:

Michel Gonet Brut: Uma champagne não safrada mais mostrou ser bem evoluída. Visual amarelo ouro, perlage já em decadência, aromas deliciosos de mel, pão torrado, avelã e amêndoas. Na boca estava com bastante frescor, intensa nos sabores, excelente acidez e uma longa persistência.

Harmonização: Foi na minha opinião uma harmonização perfeita, a intensidade do sabor do prato estava em sintonia com a Champagne que como falei em cima era evoluída e intensa em sabores, encorpada. Acho que uma champanhe mais nova não teria a mesma sorte.