Em noite agradável cercado de verdadeiros amigos começou  em Vitoria mais uma confraria dedicada inicialmente ao sabores do Baco com o intuito de aprimorar nosso conhecimento neste mundo maravilhoso do vinho. A confraria foi constituída ontem na loja Ville du Vin com os seguintes confrades: Silvestre Tavares, Aldir Manoel, Marcos Fonseca, Luiz Cola, Wellington Andrade, Flávio Maraninchi, Ubiricilas Poleto, Alvanir Denadai e Gustavo Varella. Gostaria de agradecer a gentileza e grande organização recebida pelo amigo Alvanir, abrindo a sua loja e nos dando o de melhor. A idéia é de reunirmos sempre na ultima quarta feira de cada mês, sendo que a cada encontro é dado a um confrade a incubencia de escolher o país ou tema a ser degustado e debatido na noite. O primeiro tema foi escolhido pelo amigo Alvanir e foi Shiraz em torno do mundo.  Uma bela escolha, segue a minha descrição pessoal sobre os vinhos por ordem de classificação:

1) Rust en Vrede Shiraz 2004/ Stellenbosch /África do Sul /por: R$ 99,00 /15% ST(92) 

Não foi unânime mais foi o vencedor, com meu voto. Achei o mais complexo e redondo da mesa mostrando variação de aromas, torrefação, tostado com uma elegância notória. A safra 2003 que tenho em casa também está muito boa. Já é a segunda degustação de Shiraz que ele vence com concorrentes de preços 4 vezes maiores.

2) Tabali Special Reserve 2006/ Valle del Limarí/ Chile/ por: R$ 80,00/14,5% ST(90)

Coloração vermelho fechado brilhante, com aromas intensos de frutas vermelhas, sem evolução mais com boa acidez e final de boca.

3) Herdade do esporão 2005/ Portugal/ Douro/por: 102,00/14,5% ST(89)

Este português tinha confrade na mesa escolhendo como o melhor da noite, se mostrou com groselha intensa, bom corpo, um vinho bem feito.

4) Torbreck Woodcutters 2006/ Barossa Valley/ Austrália/ por: 133,00 /14,5% ST(89)

Vinho curioso, dando aromas de pomada hipoglos e gengibre, e daqueles vinhos que enjoa pelo aroma. 

5) Laurent 2007/ hermitage/ Rhone/ França/por: 176,00/12,5% ST(79) 

Coloração clara, com aromas de banana e boca sem nenhum encanto com acidez desequilibrada. Obs: o mais caro da mesa !

Bem mais o melhor estava por vir degustei nesta noite o melhor vinho da minha vida, trago pelo confrade Gustavo Varella, simplesmente um Penfolds Grange 1988, que vou logicamente posta-lo em separado.