A presidenta Dilma vetou integralmente na manhã desta sexta-feira, 7, o projeto aprovado pelo Congresso Nacional que regulamentava a profissão de garçom e tornava obrigatório o pagamento de 10% de gorjeta à categoria como taxa de serviço.

Segundo o presidente da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Brasilia), Rodrigo Freire – “O projeto era altamente retrógrado e prejudicava não só as empresas, mas principalmente os garçons pois exigia a experiência de dois anos para os trabalhadores se tornarem garçons. Em parceria com outras entidades que representam o setor da alimentação fora do lar, a Abrasel realizou um trabalho muito importante de mobilização que foi fundamental para a decisão da presidente Dilma, que foi fundamental para evitar ainda mais turbulências no setor”.