No ano de seu centenário, a Vinícola Peterlongo começa um amplo processo de rejuvenescimento de um dos maiores ícones da vitivinicultura brasileira: suas instalações datadas da década de 1930 e que, até hoje, são a maior construção basáltica das Américas. A transformação passa por importantes reformas estruturais no maquinário e no mais importante ícone da marca, o Castelo Peterlongo, construído em 1930.

A atenção a todo este patrimônio social, cultural e produtivo traduz o nascimento de uma ideia que surgiu há, pelo menos, oito anos, quando a vinícola assume a retomada do crescimento. A representação maior deste compromisso com o legado da marca ganha corpo no restauro e pintura do castelo da família Peterlongo, que abriga o varejo da vinícola e na parte inferior a cave subterrânea em pedras basálticas, onde foi elaborado o primeiro champagne brasileiro. As janelas do prédio foram restauradas e a pintura destaca a cor champagne, acompanhando o perfil da empresa.

O varejo será transferido para o andar inferior, onde hoje funciona a expedição, abrigada por paredes de pedras basálticas do período da construção. Além da recepção, o novo varejo terá uma ampla sala de degustação que servirá tanto para os visitantes apreciar vinhos, espumantes e suco de uva da Peterlongo, quanto para participar de cursos de degustação. No mesmo piso, porém com acesso particular, será instalado um salão de eventos para pequenas, médias e grandes celebrações. A cave subterrânea, que possui um túnel que capta vento minuano típico do Rio Grande do Sul, mantendo a temperatura estável em seu interior, também receberá investimentos.

A aplicação de recursos se estende ao bem-estar do quadro funcional, compromisso que sempre acompanhou a vinícola, primeira a empregar mão de obra feminina no Brasil, na década de 1930. Os funcionários terão atenção especial com a criação de um espaço de convivência destinado, especialmente, a eles.

Maquinário

Os investimentos também incluem a modernização de todo maquinário com a aquisição, por exemplo, de autoclaves, enchedoras e engarrafadoras, equipamentos já em fase de instalação. A previsão é de que tudo esteja concluído até outubro, quando acontece a festa dos 100 anos da Peterlongo, além do lançamento do livro do centenário.