A Itália oferece uma rica variedade de vinhos em várias regiões. Uma delas é a Toscana, conhecida por exibir belas paisagens e por oferecer excelentes vinhos tintos baseados na uva Sangiovese; como por exemplo os de Chianti, uma sub-região que exibe o status de DOCG (Denominazione d’Origine Controllata e Garantita) e apresentam suas características de acordo com sua denominação, mistura de uvas e seu método de produção, produtor, safra e envelhecimento.

Nos últimos 20-30 anos, os produtores de vinho da região têm trabalhado duro para acabar com o mito da garrafa coberta de palha, visto como vinhos de baixa qualidade e atualmente utilizado como decoração em restaurantes típicos.

Na semana passada a Loja Wine Spot em parceria com a importadora De Vinum promoveu um jantar preparado pelo Junior Del Pupo, que foi harmonizado com vinhos do Castello D’Albola e nobre presença do enólogo Alessandro Gallo (foto acima), que me fez aprender e repassar para vocês algumas informações.

As uvas permitidas

Os vinhos Chianti são feitos quase totalmente com a uva Sangiovese (foto acima), porém podem incluir em até 25% outras castas, com as uvas brancas, Malvasia e Trebbiano, em no máximo 10%, as tintas Canaiolo, Colorino, e as internacionais Merlot, Syrah, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc não podem exceder, juntas, 15% do corte. Desde 2006 não são mais permitidas uvas brancas na composição dos Chianti Classico.

Teor de álcool

O teor alcoólico desse vinho deve ser de pelo menos 12%.

Envelhecimento e harmonização

Os vinhos de Chianti, como os demais vinhos italianos, são normalmente bastante secos e com acidez elevada. Isso faz com que se deva sempre combina-lo com uma boa refeição.

Chianti: Envelhece ou não por 6 meses. Vinho simples, rico em acidez e tem um sabor semelhante ao da fruta cerejas, tornando-se perfeito para acompanhar a refeição do dia-dia. Massa ao molho à base de tomates frescos, capelleti in brodo, pizza, entre vários outros pratos a cozinha italiana.

Chianti Superiore: Envelhece por 12 meses. Com um pouco mais de elegância e corpo, como para uma boa costeleta de vitela, frango grelhado, macarrão primavera, berinjela grelhada, ou prato semelhante.

Chianti Riserva: Envelhece por 24 meses. Nesse caso o carvalho agrega mais complexidade tanto no nariz quanto em boca. Aguenta bem os pratos mais condimentados de carne.. Bistecca alla Fiorentina e massas, queijos envelhecidos.

Chianti Gran Selezione: Envelhecido durante pelo menos 30 meses.

Subzonas de Chianti

Chianti Colli Fiorentini | Chianti Colline Pisane | Chianti Colli Senesi | Chianti Colli Aretini | Chianti Montespertoli | Chianti Rufina | Chianti Montalbano


Os vinhos mais respeitados da região são os de Chianti Classico, uma denominação situada no centro do mapa considerado o melhor terroir para o plantio da Sangiovese. Isso não quer dizer que os vinhos de outras denominações sejam ruins, ok. Na hora de comprar é só verificar o “Gallo Nero”, somente os Chianti Classico tem esse selo grudado no gargalo da garrafa (Foto acima).

As melhores safras

1997, 1999, 2001, 2004, 2006, 2007

Castello d’Albola

A propriedade Castello d’Albola está no coração de Chianti, onde a cultura da vinha remonta à época etrusca. São vinhos modernos em termos de enologia e viticultura, mas clássicos em termos de estilo e do caráter. A propriedade produz 900.000 garrafas por ano, divididos em seis tipos de vinho. A vinificação ocorre na nova adega, uma verdadeira joia da arquitetura e do avant-garde da tecnologia perfeitamente integrada em seu ambiente. Os vinhos passam por madeira envelhecida em condições ideais na adega histórica da propriedade (cujo castello data do século XII).

Chianti Albola 2013

Um corte de aproximadamente 90% e 10% Canaiolo. Visual rubi e aroma destacado de cereja e demais frutas vermelhas frescas. Sem passagem por madeira, revela no paladar uma fruta mais pura com um adorável equilíbrio. Beberia uma garrafa sozinho fácil. ST (89) – R$ 54,50 – Onde: Wine Spot – Telefone: (27) 3533.2173

Castello D’Albola Chianti Clássico 2011

Delicioso, fácil de beber, mas já com certa complexidade. Cereja preta, violetas e especiarias. Paladar frutado, com uma acidez chamando por um bom prato. Uma mistura de 95% e 5% Sangiovese. ST (90) – R$ 87,50 - Onde: Wine Spot – Telefone: (27) 3533.2173

Castello D’Albola Chianti Classico Riserva 2009

Rubi escuro, 90% Sangiovese e 10% Canaiolo, com nariz lembrando notas de cereja escuro, carvalho tostado, chocolate ao leite, e fumaça. Paladar com taninos firmes, bastante seco, necessitando claramente de mais de 2-3 anos em garrafa para mostrar o seu melhor, mas já agrada bastante na taça. ST (89+) – R$ 144 - Onde: Wine Spot – Telefone: (27) 3533.2173