No mundo do vinho como na vida querer não é poder. Os degraus são alto$ e precisamos contar com a generosidade de amigos para não passar dessa sem apreciar alguns caldos que alegram a alma.

Recentemente tive a oportunidade de conhecer na taça o trabalho de Anselme Selosse (), um dos mais admirados garagistas da região de Champagne, França (55 mil garrafas ano), cujo seus rótulos ultrapassam (1 mil) aqui no Brasil. Sua filosofia de trabalho começa pelo cultivo biodinâmico em 6 ha em Avize, Cramant, Oger, Le Mesnil, Ay, Mareuil-sur- Ay e Ambonnay, que são vinificados separadamente em pequenos barris que foram comprados do Domaine Leflaive, grande nome da Borgonha. Alguns de seus rótulos, como o Substance, são vinificados através do sistema Solera (Espanha). São utilizadas somente leveduras naturais na fermentação, e a dosagem do licor de expedição é pequena.

A minha experiência na taça foi com o NV Champagne Jacques Selosse Brut Rosé, 12,5%, corte de Chardonnay e Pinot Noir, que mostrou muita personalidade, diferente de tudo que provei de Champagne. Perlage perfeita, complexidade e cremosidade, já com evolução. Aromas de tostados toffe, cítrico, baunilha e especiarias. Paladar estruturado, largo e cremoso, de excelente acidez. Um champagne vibrante, único e praticamente inimitável. Nota: ST (99)