Texto publicado originalmente na coluna Vivendo a Vida | C2 + Prazer & Cia | Jornal A Gazeta

No país do futebol e dos Rieslings

Famosa pelos rieslings, a Alemanha inaugura hoje uma série da coluna com dicas de vinhos por país. Além da nação campeã da Copa do Mundo do Brasil, estarão nesta página rótulos de Uruguai, Chile, Portugal e França, sempre na última sexta-feira do mês, com informações básicas para que você entenda as características desses vinhos antes de decidir sua compra.

Não dá para falar sobre vinhos alemães sem citar as garrafas azuis que invadiram o mercado nacional décadas atrás. Apesar da qualidade questionada, elas tiveram o mérito de iniciar muitos brasileiros no mundo de Baco. Hoje, com mais opções no mercado, vinhos da Alemanha são referência em qualidade.

Por outro lado, há uma dificuldade em entender o significado das expressões nos rótulos, o que leva muitos consumidores a escolher vinhos de outros países.

Em virtude do clima frio na maioria das regiões vinícolas daquele país, as uvas tintas não amadurecem corretamente, motivo pelo qual produzem, predominantemente, vinhos brancos (Riesling, Müller-Thurgau, Silvaner, Kerner, entre outros). Tais vinhos são frutados e minerais, têm graduação alcoólica baixa e raramente são amadeirados.

O mais importante a se verificar nos rótulos são nomes que indicam a qualidade dos vinhos e o nível de maturação das uvas, consequentemente a secura e o dulçor que terá no paladar. Veja:

  • Tafelwein (ou Deutscher Tafelwein)

Vinho de mesa comum, sem complexidade.

  • Deutscher Landwein

Normalmente secos. Para esses vinhos, a lei exige uvas mais maduras do que para o Tafelwein, tornando, portanto, sua qualidade melhor.

  • Qualitätswein (QbA)

As uvas para os vinhos QbA atendem a um nível legal de maturação, e podem ser de 13 diferentes regiões. São a maioria.

  • Qualitätswein mit Prädikat (QmP)

É o mais alto nível de qualidade dos vinhos alemães, que existem em seis estilos. São eles:

  • Kabinett

Vinhos leves, secos, vinificados de uvas totalmente maduras.

  • Spätlese

Vinhos de colheita tardia, de uvas colhidas no mínimo sete dias ou mais após a colheita. São intensos e concentrados, em versões doce ou seco (Trocken).

  • Auslese

Uvas muito maduras, colhidas de forma selecionada, em alguns casos afetadas pela Botrytis. São normalmente doces. Os secos ou meio secos contém no rótulo os termos Trocken ou Halbtrocken.

  • Beerenauslese

Uvas supermaduras, na maioria afetadas por Botrytis. Resulta em vinhos muito doces e ricos.

  • Trockenbeerenauslese

Feitos somente em grandes safras, são muito doces e concentrados, porém com acidez refrescante. Raros e caros.

  • Eiswein

Feitos de uvas congeladas. Dulçor e intensidade que lembram uvas passas. Excepcionais.

Os vinhos indicados:

  • Anselmann Riesling Trocken 2011 | Riesling | Pfalz | R$ 57,20 | DZ Empório

Um delicioso riesling com notas de mel, maça e frutas cítricas. Paladar fresco e equilibrado, com final longo e agradável.  Harmonização: Cozinha Asiática e pratos típicos alemães. 

  • Kloster Heilsbruck Riesling Spätlese Trocken 2009 |Riesling | Pfalz | R$ 78 | Espaço DOC

Proveniente de vinhedos situados nos muros de um convento, onde as uvas são colhidas tardiamente, apresenta notas de peras, manga, damasco, nectarina. Para tomar de canudinho! Harmonização: Cozinha Asiática e pratos típicos alemães.

  • Dr. Loosen Urziger Wurzgarten Auslese Riesling 2008 (375ml) | Riesling | Mosel | R$ 130 | Wine.com.br  

Elaborado com uvas maduras, que refletem aromas de casca de laranja, tangerina, damasco, mel e minerais. O paladar tem ótimo equilíbrio entre acidez e doçura, cremoso, com final persistente. Harmonização: Cozinha Asiática e sobremesa a base de frutas, em especial as de maçã.  

  • Anselmann Ortega Trockenbeerenauslese (TBA) 2005 | Ortega | Pfalz | R$ 230 | Canto do Vinho

Parente dos Sauternes e Tokajs, elaborado com uvas infectadas pela Botritis (podridão nobre), se mostrou aromático e untuoso, casca de laranja e mel. Acidez viva e muito intensa, que consegue dar equilíbrio num vinho único. Harmonização: queijos azuis ou sobremesas à base de frutas ou castanhas. 

  • Scharzhofberger Kabinett 2009 | Riesling | Mosel | R$ 448 | Wine4friends

Considerado como um dos melhores vinhos brancos do mundo, apresenta aroma de frutas tropicais, cítricas e florais. No paladar é mineral, intenso, com acidez vibrante. Surpreende pelo equilíbrio do conjunto. Harmonização: Cozinha Asiática e pratos típicos alemães.

  • Fritz Haag Trocken 2012 |Riesling | Mosel | R$ 96 | Grand Cru

Muito intenso no nariz com notas de maçã, limão e laranjas cristalizadas. Elegante, fresco, começando a desenvolver alguns sabores secundários, vai melhorar com o tempo. Harmonização: Cozinha Asiática e pratos típicos alemães.