Texto publicado originalmente na coluna Vivendo a Vida | C2 + Prazer & Cia | Jornal A Gazeta

Realizado entres os dias 21 e 22 de junho, o Vitória ExpoVinhos – 6º Salão Internacional de Vinho de Vitória transformou a capital do Espírito Santo no centro das atenções para os apreciadores da bebida. O evento, realizado pela Federação do Comércio do Estado do Espírito Santo (Fecomercio-ES), reuniu mais de 60 expositores, entre importadoras, produtores e distribuidores, que apresentaram cerca de 1.500 rótulos, no Centro de Convenções, em Santa Lúcia.

Durante os dois dias de feira, o Wine Tasting proporcionou a uma multidão de participantes – sommeliers, importadores, diversos profissionais do vinho e aos consumidores em geral, uma grande amostra do que hoje está disponível no mercado capixaba, e rótulos de empresas que buscavam parceiros comerciais por aqui, de olho no consumo per capta da bebida no estado, que segundo os organizadores da feira, já é terceiro no ranking nacional.

Nos stands, alguns com a presença dos enólogos e proprietários das vinícolas, foram abertas linhas inteiras de produtos, dos mais básicos aos mais consagrados, para alegria geral dos enófilos. A variedade e as opções eram tantas que os participantes não estavam dispostos a deixar o grande salão antes de provar aqueles vinhos que só conheciam por sites, jornais e revistas especializadas. Com tanta gente boa junto, ainda era possível comparar vinhos de diferentes produtores do mesmo país, dentre os vários disponíveis.

No espaço gourmet do evento o público pode degustar e conhecer diversos produtos capixabas, além de pratos preparados pelos alunos do curso de gastronomia do Centro Universitário Vila Velha (UVV). Sob o comandado do chef Alessandro Eller foram servidos risotos e massas variadas. 

Paralelamente a feira, várias personalidades do mundo vínico conduziram palestras, com salas lotadas, mostrando o interesse em vinhos, definitivamente pelos capixabas. Participei de duas bem interessantes.

Mateus Godoy, sommelier com experiência no Grupo Fasano e gerente de distribuidores das águas S. Pellegrino, Acqua Panna e Perrier, falou sobre “A importância das Águas na Gastronomia e Coquetelaria”. Ficou claro que como o vinho, a água também deve ser escolhida para acompanhar refeições e outras bebidas a partir de critérios de harmonização.

Nicolas R. Farias Torres, Nicolas Torres, embaixador da Ventisquero na América Latina, e filho da grande enóloga chilena Cecília Torres (Vinícola Santa Rita), falou sobre o tema “Novos e Clássicos Vales para a Produção de Vinhos de Alta Gama no Chile”. Entendi que o consumidor brasileiro começa a cobrar novos vinhos, diferentes, vinhos mais equilibrados e menos carregados na fruta e na madeira. Para isso é preciso bons e novos terroirs.

O Prêmio Top Five, colocou mais uma vez a disposição do mercado 30 rótulos com qualidade certificada, em seis categorias: Tinto e Branco Velho Mundo, Tinto e Branco Novo Mundo, Espumante e Sobremesa. A escolha desses rótulos foi feita por 14 jurados (incluindo este colunista), em uma degustação às cegas. O resultado, como no ano anterior, foi divulgado antes do início do evento, dando aos visitantes a oportunidade de conhecer os vinhos com tranquilidade nos dois dias de feira. Veja a lista completa do Top Five: http://www.vivendoavida.net/?p=33448.

A premiação confirmou a qualidade de alguns rótulos, como o excelente chileno Casa Del Bosque Reserva Sauvignon Blanc 2013 (Carone), R$ 59, e o português QPA Touriga Nacional 2007 (Espaço D.O.C), R$ 168. Entre as surpresas, o delicioso vinho branco italiano Monti Langue Bianco DOC 2009 (Zanatta), R$ 85 e o espumante brasileiro, Casa Pedrucci Reserva Brut (DZ Empório), R$ 65.

Os vinhos nacionais foram muito bem representados no Top Five com sete rótulos entre os 30 premiados. A vinícola Basso, situada na cidade de Farroupilha, Serra Gaúcha, emplacou os rótulos Monte Paschoal Dedicato Champenoise (Perim) R$ 62, Chardonnay reserva 2012, R$ 55 e o Cabernet Reserva 2012, R$ 55. Também foi do Brasil o título de melhor custo x beneficio da feira com o tinto Aurora Reserva Merlot 2012 (Carone), R$ 36.

Sem dúvida, foi a melhor edição do evento, e, quem teve a oportunidade de participar, certamente saiu de lá com uma visão ampla dos vinhos disponíveis no mercado capixaba e nacional. Parabéns para Vanderlei Martins e Elvecio Faé, os dois pilares do evento.

Por fim, destaco para vocês leitores alguns rótulos, meus preferidos, que se mostraram encantadores na taça. Saúde!

Ferrari Brut – Itália – R$ 199 – Carone (tel: 3137.2844)

  • Belo espumante italiano, complexo, tostado e maduro, embora muito refinado. Grande personalidade na boca, com avelãs e crosta de pão, cremosa, harmônica e persistente.

Casa Pedrucci Brut Reserva – Brasil – R$ 60 – DZ Empório (tel: 3062.7070)

  • Aroma muito bom, fresco e intenso, lembrando frutas brancas e leve panificação. Na boca é cremoso, frutado e muito refrescante. Grande destaque!


 

Monti Langue 2009 – Itália – R$ 85 – Zanatta (tel: 3026.6440)

  • Um vinho branco italiano rico, com notas de pêssego, mel, especiarias e mineral. Paladar levemente amanteigado, com álcool e acidez integrados.

Papale 2009 Linea Oro – Itália – R$ 210 – Vinhos e Delicias (tel: 32357013) 

  • Fruta exuberante, paladar abaunilhado, gordo e aveludado pautando a degustação. Final intenso, deixando uma sensação de quero mais. Primitivo Top!

Ventisquero Grey Single Block Chardonnay 2009 – R$ 99 – Carone (tel: 3137.2844)

  • Aroma intenso, levemente amanteigado, fruta na medida e madeira muito bem colocada. Paladar com boa acidez, equilibrado longo. Um belíssimo Chardonnay!

Esporão Reserva tinto 2011 – Portugal – R$ 89 – Ok Hipermercado

  • Aromas de frutas maduras, negras e vermelhas, com notas de tostado e especiarias. O paladar é rico, exuberante, confirmando a fruta em compota, taninos firmes e longo final.