Os franceses gostam de explicar as características — e o preço — de seus vinhos pelo terroir, um conceito subjetivo que combina particularidades de solo, clima, geologia e variedades de uvas. Mas uma pesquisa americana acrescenta um novo, e pouco charmoso, elemento às chances de sucesso de um vinho: a composição de micro-organismos presentes na casca da uva. Segundo o estudo publicado numa das importantes revistas científicas do mundo, bactérias e fungos são tão fundamentais quanto o terroir.

Em tese, o transporte das uvas revestidas por fungos e bactérias de Bordeaux, na França, para outra região poderia levá-la ao cultivo de vinhos de qualidade semelhante ao francês. O recém-descoberto “kit micróbio”, no entanto, só valeria para locais em que o clima fosse parecido com o do país europeu. Esta teoria, no entanto, ainda não foi estudada. Continue a leitura aqui.