Recentemente provei o Passadouro Reserva 2009 (14,5%), um tinto português da região do Douro, elaborado pelo enólogo Jorge Serôdio Borges, sendo 80% dele com mais de 20 uvas de vinhas velhas com mais de 60 anos, 100% pisado a pé em lagares de granito. Amadureceu por 18 meses em barricas de carvalho francês, sendo 80% novas e 20% usadas. Produção de somente 3.800 garrafas. Teve varias premiações, entre elas, 92 (RP), 93 (WS), 5 estrelas Decanter. Produção de apenas 3.800 garrafas.

Na taça mostrou a potência característica dos vinhos do Douro, muita fruta, além de notas florais, minerais, balsâmicas e de baunilha. Melhorou muito com o tempo. Paladar gordo, com ótima acidez e taninos vivos. O tipo de vinho que enche a boca e deixa um retrogosto longo e gostoso. A pesar de ainda novo é equilibrado e elegante. Nota: 94/100 | R$ 200 na Adega Alentejana