Para muitos especialistas o Chile é o país que elabora os melhores tintos com a uva Cabernet Sauvignon da América Latina. Na ultima segunda-feira tive a prova disso. Participei a convite de Pericles Gomes (foto acima a direita), da Casa do Porto (SP) - www.casadoportovinhos.com.br – Fone (011) 3061-3003, de uma prova sob o comando de Patricio Tapia, autor do Guia de Vinhos Descorchados e presença da grande enóloga Cicília Torres, da Viña Santa Rita. Foram degustados em sequência, 19 “Cabernet SauvignonTop do Chile, sem que se soubesse o conteúdo de cada taça. Como sempre falo aqui, às cegas tudo fica mais claro. Sendo a maneira mais imparcial e eficiente de provar um vinho.


A escada para o paraíso!


Nas duas degustações, uma no almoço para profissionais e outra no jantar para consumidores, o objetivo foi o mesmo: tentar identificar na taça, as diferenças da Cabernet Sauvignon, de diferentes regiões do Chile – Aconcagua, Maipo, Colchagua, Maule e Curico. A variação de estilos foi evidente, vinhos mais elegantes, com uma textura delicada e em segundo plano, vinhos mais alcoólicos e estruturados. Uma prova muito interessante e didática.

Embora o objetivo não fosse eleger o melhor vinho, no final das duas provas, os melhores vinhos foram listados.

Resultado dos jornalistas: El Principal 1999 eleito vencedor, para mim o melhor estava cansado, já passado. Em Segundo lugar foi o Chacai, e em terceiro lugar empatados, Enclave, Don Maximiano 2010 e o Domus Aurea 2008. Vinhaços!

Resultado dos consumidores: Domus Aurea 2008 vencedor, segundo Santa Rita Casa Real 2007 e Enclave em Terceiro.

Os vinhos que me chamaram atenção estão em vermelho.

Para a maioria dos convidados o vinho El Principal 1999  (Maipo) ficou em 1ª lugar – Resultado de um corte de 70% Cabernet Sauvignon, e 30% Carmenere, com passagem de 18 meses em barricas francesas mais 12 meses de garrafa. Enólogo Enrique Tirado. Importador: www.decanter.com.br – R$ 250,00

Visual levemente turvo, com sedimentos. Complexo no nariz, com notas terciárias, fumo, tostado, cedro e algo de medicinal. Boca com taninos polidos, finos, um vinho elegante e prazeroso. Acredito que não evolui mais. Está no seu máximo. Nota: 91/100

Chacai 2009 William Fevre (Pirque – Maipo ) – Corte com 85% Cabernet Sauvignon, e 15% Cabernet Fran, com passagem de 16 meses em barricas francesas mais 18 meses de garrafa. Enólogo Felipe Uribe –   – No Espirito Santo – Supermercado CaroneR$ 110,00

O melhor custo x benefício do painel – Visual escuro, muita fruta, com toques de ameixa em calda, ervas e torrefação. O paladar se mostrou potente, já macio, bem equilibrado com a madeira. Fruta na medida. Impressiona pela concentração. Quente, mas não alcoólico. Um vinhaço, que já proporciona muito prazer, mas com certeza vai melhorar muito com tempo de garrafa. Nota: 94/100

Empatados em 3º Lugar
- Don Maximiano 2010 , Enclave Ventisquero 2010 e Domus Aurea 2008

Domus Aurea 2008
(Maipo Alto)   - Corte com 86% Cabernet Sauvignon, 7% de Merlot, 5% Cabernet Franc, e 2 % Petit Verdot , com passagem de 18 meses em barricas. Enólogo Jean Pascal Lacaze – http://www.vinhoszahil.com.br – R$ 315,00

Nariz mostra seu “DNA”, ou seja, goiabada, mentol, eucalipto e todas aquelas notas de um exemplar Domus Aurea. A boca confirmou o nariz com taninos macios, boa acidez e longa persistência. Apesar de ter gostado muito, está muito caro, só para bolsos privilegiados. Nota: 94/100

Don Maximiano 2010 (Aconcagua) – Corte com 78% Cabernet Sauvignon, 10% Carmenere,  7% Petit Verdot, e 5 % Syrah, com 18 meses em barricas francesas novas. – http://www.vinci.com.br – R$ 415,00 – Nota: 90/100

Enclave Ventisquero 2010
(Maipo) – Corte com 86% de Cabernet Sauvignon, 7% Petit Verdot, 5% Carmenere, e 2% Cabernet Franc, com passagem de 18 meses em barricas francesas. Enólogo Felipe Tosso – http://www.cantuimportadora.com.br/ – R$ 460,00

  • Esse é um daqueles vinhos que se fosse apenas para ficar sentindo os aromas já valia. Notas frutadas lembrando café, bala tofee, fruta madura negra, pimenta do reino, e um leve licoroso. Enche a boca e deixa um retrogosto longo e gostoso. Fruta limpa e fresca. Potente, mas não alcoólico. Muito equilibrado. Ótimo frescor. Um vinhaço, que mostra com a uva Cabernet deve se expressar. Nota 93/100

Casa Real Santa Rita 2007 (Maipo Alto)  – Varietal 100% Cabernet Sauvignon com passagem de 14 meses por barricas francesas sendo parte nova e parte 2º uso. Enóloga Cecilia Torres. www.grandcru.com.br – R$ 490,00 – Nota: 90/100

Intriga MontGras 2010 ( Maipo Alto ) – Varietal 100% Cabernet Sauvignon, com passagem de 24 meses por barricas francesas. Enólogo Hernán Gras e Santiago Margozzini. http://www.bruck.com.br/ – R$ 110,00 – Nota: 88/100

Almaviva 2011 (Puente Alto –  Maipo ) – Corte com 61% Cabernet Sauvignon, 29% Carmenere, 9% Cabernet Franc, e 1% de Petit Verdot , 17 meses em barricas novas francesas,. Enólogo Michel Friou – Vários importadores – R$ 650,00 – Nota: 90/100

Chadwick 2010 (Puente Alto – Maipo)  - Varietal 100% Cabernet Sauvignon com 20 meses em barricas francesas. Enólogo Francisco Beatting. http://www.adegaexpand.com.br – R$ 700,00 – Nota: 90/100

Le Dix Los Vascos 2002 (Colchagua) – Corte com 85% de Cabernet Sauvignon, e 15% de Syrah e Cabrmenere, com passagem de 18 meses em barricas novas francesas. Enólogo Marcelo Gallardo. http://www.aurora.com.br – R$ 240,00 – Nota: 90/100

Perez Cruz Pircas de Liguai 2010 (Huelqúen – Maipo) – Varietal 100% Cabernet Sauvignon com 16 meses de barrica . Enólogo German Lyon. http://www.vinhosulstore.com.br – R$ 170,00 – Nota: 89/100

Marques de Casa Concha 2010  (Maipo) - Corte com 97% Cabernet Sauvignon e 3% Cabernet Franc, com passagem de 15 meses por barricas francesas. Enólogo Enrique Tirado. Importador VCT – Não disponível no Brasil. – Nota: 88/100

Foi o ganhador do Guia Descorchados 2014, melhor Cabernet Sauvignon. É um vinho feito como se fazia nos anos 70, colheita dois meses antes do que se faz hoje, barricas usadas.

Viña Aquitania Lazuli 2005
(Maipo Alto e Traiguén ) – Varietal 100% Cabernet Sauvignon, com passagem de 12 meses em barricas francesas. Enólogo Feliipe de Solminiahc . - http://www.vinhoszahil.com.br – R$ 129,00 – 89/100

Sideral 2006 Bodega Altair (Alto Cachapoal) –Corte com 71% Cabernet Sauvignon, 17% Carmenere, 6% Merlot, 4% Syrah, e 2 % Cabernet Franc com 15 meses de passagem por barricas francesas novas . Enologo Ana Maria Cumsille. http://www.grandcru.com.br – R$ 131,00. – Nota: 90/100

Laberinto 2006
(Maule)  - Corte de 60% Cabernet Sauvignon e 40% Merlot, com passagem de 14 mses em barricas francesas. Enólogo Rafael Tirado. Casa do Porto – R$ 158,00

  • Segundo melhor custo x benefício do painel e na minha opinião o melhor empatado com o Manso de Velasco – Aroma surpreendente, muito intenso, exibindo traços de especiaria doce, baunilha, frutas vermelhas e ervas. Extremamente complexo. Bom corpo, textura aveludada, equilíbrio perfeito entre álcool e acidez. Persistência longa. Nota: 95/100

Erasmo 2007 (Maule) - Corte de 60% de Cabernet Sauvignon, 30% Cabernet Franc , e 10% Merlot, com passagem de 18 meses em barricas francesas. Enólogo Mauricio Castelli. R$ 85,00 – Nota: 87/100

Magia Negra 2009 (Maule) – Corte com 45% Cabernet Sauvignon, 30% Carmenére, 20% Malbec, e 10% Cabernet Franc, com passagem de 24 meses por barricas francesas. Enólogo Rafael Tirado. Casa do Porto – R$ 360.00 – Nota: 90/100

Manso de Velasco 2009 (Curico) – Varietal 100% Cabernet Sauvignon , com passagem de  18 meses em barricas francesas. Enólogo Fernando Almeda. – http://www.devinum.com.br – R$ 200

  • Visual rubi intenso, aroma intenso, com incrível canforado, mentol e uma ameixa em calda. O paladar mostrou bom corpo, concentrado, taninos sedosos, boa acidez, bastante equilibrado, com uma madeira bem trabalhada que não sobrepõe à fruta. Bastante longo. Wow! Nota: 95/100

Albis 2004 Haras de Pirque (Maipo) – Corte com 75% Cabernet Sauvignon, e 25% Carmenere, com passagem de 18 meses por barricas francesas. Enólogo Eduardo A. http://www.winebrands.com.br – R$ 398,00 – Nota: 90/100