Madura, Avaliação Nacional de Vinhos chega a sua 21ª edição consolidada reunindo 850 pessoas de 13 estados brasileiros e oito países

Como grande anfitrião da Avaliação Nacional de Vinhos, o vinho brasileiro mostrou para um público formado por 850 apreciadores da bebida que a produção nacional vem evoluindo a cada safra. Na taça, eles tiveram a oportunidade de degustar 16 vinhos selecionados entre os 30% representativos da Safra 2013, resultado extraído de um total de 309 amostras inscritas por 63 vinícolas. Reconhecida como a maior avaliação de vinhos de uma mesma safra do planeta, a 21ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2013 chega a sua maioridade consolidada. Nessas 21 edições, 4.832 amostras foram avaliadas e 13 mil pessoas testemunharam o momento maior do vinho brasileiro.

Desde 1993, quando foi criada pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), vem exercendo forte influência na evolução da produção nacional e na promoção do vinho junto ao mercado consumidor, atraindo olhares do mundo todo. Concorrida, a 21ª edição esgotou os ingressos em apenas duas horas. O privilégio de viver essa experiência coube a apreciadores de 13 estados brasileiros, além do Distrito Federal, e de oito países (Alemanha, Austrália, Brasil, Chile, Cuba, Estados Unidos, Itália e Uruguai).

Ao abrir oficialmente o evento, o presidente da ABE, enólogo Luciano Vian, disse que a Avaliação Nacional de Vinhos tem a responsabilidade de apresentar novas regiões produtoras de vinho do país, suas potencialidades e retratar os movimentos que o setor e o mercado consumidor espelham. “Os vinhos que estarão no mercado nos próximos anos já despontam na Avaliação”. Vian também aproveitou a presença de políticos, empresários e líderes do setor para dizer que todo mundo sabe quais são os problemas enfrentados para elaborar vinhos no Brasil. “Está na hora de virar o jogo. Construir um pensamento, uma agenda construtiva e positiva. E quem vai fazer isso somos nós. A Avaliação é um exemplo”, enfatizou.

Em clima de euforia, todos estavam curiosos para provar a representatividade da Safra 2013. Mas o silêncio invadiu o auditório quando 115 alunos de Viticultura e Enologia do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) e de Enoturismo da Fisul serviram a primeira amostra. A cada vinho degustado às cegas, um comentário era feito por um dos especialistas convidados. A enóloga gaúcha e que hoje reside no Rio de Janeiro, Joseliane Cardoso, foi sorteado entre o público para ser o 16º comentarista.

Ao final do evento, foram apresentados os 30% mais representativos e, dentre eles, os 16 vinhos selecionados para o dia. Para cada amostra servida, foram utilizadas 90 garrafas, totalizando 1.440 garrafas. Quando todos se preparavam para o almoço, a ABE surpreende o público com o show de Renato Borghetti.

Troféu Vitis 2013

O jornalista Irineu Fernando Guarnier Filho e o enólogo Mario Geisse foram os homenageados com o Troféu Vitis 2013 nas categorias Amigo do Vinho Brasileiro e Enológico, respectivamente.

OS 16 VINHOS REPRESENTATIVOS DA SAFRA 2013

Categoria: Vinho Base Para Espumante

1. Vinho Base Espumante – Chardonnay – Casa Valduga Vinhos Finos

2. Vinho Base Espumante – Riesling Itálico / Chardonnay / Pinot Noir – Chandon do Brasil

3. Vinho Base Espumante – Pinot Noir – Vinícola Geisse

Categoria: Branco Fino Seco Não Aromático

4. Riesling Itálico – Cooperativa Vinícola Aurora

5. Chardonnay – Cooperativa Vinícola Nova Aliança

6. Chardonnay – Luiz Argenta Vinhos Finos

7. Chardonnay – Vinícola Góes e Venturini

Categoria: Branco Fino Seco Aromático

8. Sauvignon Blanc – Vinícola Miolo

Categoria: Tinto Fino Seco Jovem

9. Cabernet Franc – Vinícola Salton

Categoria: Tinto Fino Seco

10. Merlot – Bueno Bellavista Estate

11. Cabernet Sauvignon – Rasip Agropastoril

12. Malbec – Vinícola Almaúnica

13. Marselan – Vinícola Dom Cândido

14. Teroldego – Vinícola Don Guerino

15. Teroldego – Vinícola Monte Rosário – Vinhos Rotava

16. Merlot – Vinícola Perini