A harmonização de comida japonesa com vinho é discutível e complicada, mas não impossível. Ingredientes usados em seu preparo, como wasabi (raiz forte), gengibre, gergelim e shoyu, são algumas barreiras. Buscando aprender essa combinação na prática, participei de uma degustação comandada pelo sommelier Boris Acevedo, agora responsável pelo serviço de vinhos no restaurante Musashi, em Jardim da Penha, onde aconteceu o evento.

Pude comprovar que a comida japonesa aceita a companhia de vários estilos de vinhos, entre eles, espumantes, brancos, rosés e tintos selecionados com atenção.

Sommelier Boris Acevedo

Começamos os trabalhos com um sunomono (conserva em molho agridoce de pepino, kani e polvo) e com shimeji (cogumelos puxados na manteiga com shoyu e açúcar). Eu escolheria harmonizá-los com um bom branco espumante brut brasileiro, fresco e frutado. Porém, o Sauvignon Blanc chileno sem passagem por madeira selecionado para o jantar cumpriu seu papel. Não “cresceu” o prato, mas não atrapalhou.

Santa Augusta Brut – R$ 39,00 – Onde: Supermercado São José

  • Pérlage de bolhas médias para finas, com boa persistência .Aroma muito bom, fresco e intenso, lembrando maçã verde e frutas cítricas. Na boca, é leve, frutado e muito refrescante. 12% de álcool.

O sushi de hadoque selado ao molho de maracujá e o hot maki hadoque, enrolado em massa folhada com recheio do peixe, de salmão e de cream cheese, precisam de um branco fresco. Afinal, sal e taninos são inimigos. O Riesling alemão apresentado foi bem, porém, um pouquinho a mais de acidez ficaria melhor. Evite brancos amadeirados e intensos, pois podem sobrepor o prato.

Lidio Carraro Faces Branco FIFA World Cup – R$ 39 – Onde: Wine.com.br

  • Chardonnay, Moscato e Riesling Itálico, com aromas florais, cítricos e de melão. Equilibrado, fresco, com um leve adocicado. Boa persistência final. 13% de álcool.

Cloudy Bay Sauvignon Blanc 2012 – R$ 149 – Onde: Ville du Vin

  • Notas poderosas cítricas, de maracujá e de ervas. Paladar suculento, com uma acidez cortante, equilibrada, gerando frescor. Um dos melhores Sauvignon Blanc que provei. 13,5% álcool.

O gunkan de salmão com geleia de morango e o sashimi de salmão formaram uma bela parceria com o rosé. Para essa combinação, opções não faltam: dos mais encorpados, alguns mais intensos, aos ligeiros e frescos, ideais para se beber despretensionamente. Nesse caso, os mais indicados são os de maior dulçor e acidez, como o californiano degustado.

Calcu Rosé Reserva 2012 – R$ 45 – Onde: Buywine.com.br

  • Aromas florais e de frutas vermelhas. Corpo médio, macio, e acidez correta. Muito equilibrado. Persistência aromática relativamente boa. Final fresco, agradável e sem amargor. Rosé delicioso, fácil de beber. 12,5% de álcool.

Com tintos, a harmonização é mais complicada. Mas se for um com poucos taninos (aquela sensação que amarra a boca), é tiro certo. O tartare de atum e o sashimi de atum selado com molho teriyaki e gergelim tostado foram bem com um Pinot Noir da Califórnia. Pode ser também com um da Borgonha, da Argentina, do Chile, do Brasil; ou também com um Rioja (Espanha) envelhecido.

Salton Volpi Pinot Noir 2012 – R$ 29,90 – Onde: Supermercado Carone

  • Visual rubi claro, aroma com destaque para frutas vermelhas. Paladar leve e frutado, mas intenso, incrementado por uma ótima acidez. Sabor prolongado. Final agradável, sem amargor. 13% de álcool.

Para adoçar a vida!

Essa degustação confirmou que é preciso ousar, quebrar regras. O gosto é subjetivo, e nem sempre o indicado nos livros é o melhor na prática. A seguir, indico opções de bom custo para você brincar de harmonizar com sushis e sashimis. Saúde!

Restaurante Musashi

Avenida Anísio Fernandes Coelho, 41 – loja 3 | Bairro: Jardim da Penha | Cidade: Vitória | CEP: 29060670 | Telefone: 3235-1891 | Lugares: 78 | Horário: 12h/16h e 18h/0h (seg. só jantar)

C. Crédito:    | C. Débito:    | Serviços: