Mais uma vez a Confraria Vivendo a Vida se reuniu no Bistrô “Sonho da Pulga” para jogar conversa fora, apreciar bons vinhos, e uma gastronomia de primeira, que foi elaborada pelo dono da casa, o confrade Dr. Flavio Maraninchi.

Apreciamos um belo Chateaubriand Steak ao molho poivre + risoto de grana RAR, ideal para acompanhar vinhos encorpados e complexos.

O Brunello di Montalcino é um dos melhores vinhos italianos e da Toscana, e um dos primeiros a receber a classificação maior, DOCG . Sua qualidade está no mesmo nível de outros grandes vinhos tintos do Piemonte, Barolo e o Barbaresco. Por lei, precisa ser composto por 100% da uva Sangiovesi Grosso, cultivadas com um rendimento máximo de oito toneladas de uva por hectare, possuir um teor alcoólico de 12% e amadurecer pelo menos por 50 meses antes de ir ao mercado. Para os de qualificação “Riserva”, o período mínimo em barricas é de 62 meses. O nome Brunello é o termo local usado para nomear a uva Sangiovese Grosso, autóctone da região. A palavra “bruno” significa “escuro”, e a Brunello é assim chamada por causa da casca escura.

Em degustação às cegas segue a minha avalição dos vinhos:

2007 Lionello Marchesi Coldisole Brunello di Montalcino – 14%

  • Visual vermelho escuro, aroma intenso e complexo, com baunilha, grafite, canela e especiarias. Paladar de bom corpo, sem excessos, taninos finos, boa profundidade de sabores e aromas, muito equilibrado e com longo final. Um Brunello moderno, já pronto para ser apreciado. 92/100 pontos

2004 Piccini Villa al Cortile Brunello di Montalcino Riserva – 14%

  • Visual granada, com sedimentos aparente. Nariz elegante, com aromas de frutas vermelhas e negras, flores, migrando para café, fumo e especiarias. Paladar de bom corpo, com taninos finos e secos, com boa acidez. Vinho agradável, pede outro gole. 91/100 pontos

2006 Piccini Villa al Cortile Brunello di Montalcino Riserva – 14%

  • Visual rubi escuro, com bom ataque aromático, ainda com frutas frescas, além de especiarias como pimenta do reino e alcaçuz. No palato apresentou médio corpo, com o álcool e os taninos bem presentes. 90+/100 pontos

2007 Trezzi Brunello di Montalcino – 14%

  • Visual rubi claro, aroma tímido, que foi surgindo aos poucos, lembrando frutas como cereja e chocolate. Um pouco magro no meio de boca, mas com boa acidez. Final curto. 86/100

2005 Agricoltori del Geográfico Brunello di Montalcino – 13%

  • Com aparente defeito. O famoso Bouchonné – O vinho contaminado pelo Tricloroanisole, abreviadamente TCA,  um contaminante que afeta dezenas de milhões de garrafas, transmite ao vinho odor de mofo. O TCA origina-se do uso do cloro no processo de esterilização das rolhas. O TCA sufoca o aroma e sabores frutados do vinho e destrói qualquer semelhança de caráter varietal.