Um dos principais focos do Comitê Interprofissional de Champagne (CIVC) sempre foi resguardar o nome da região, fazendo com que ele seja usado somente para designar seus produtos. Ou seja, nenhum espumante feito fora de lá pode ser chamado de Champagne, por exemplo. Mas, além disso, a verdade é que a entidade luta para que o nome Champagne não seja usado em nada que não seja da região, pois isso representa uma Denominação de Origem.

Sendo assim, quando a Apple anunciou que pretende lançar uma nova versão do iPhone com a cor “Champagne” na próxima quarta-feira, logo uma batalha legal está sendo prevista.

A empresa de tecnologia deve lançar a versão 5S do telefone celular em duas cores: grafite e Champagne. No entanto, essa última cor deve esbarrar na atuação do Comitê, que defende o nome da região. No passado, o CIVC teve sucesso ao banir o comércio de produtos que pretendiam usar Champagne no nome, ou em sua promoção de marketing, isso incluiu espumas de banho, sapatos e lingerie, por exemplo.

Em entrevista à revista Decanter, um representante do CIVC disse que a entidade está aguardando mais informações sobre o produto antes de entrar com qualquer ação, mas garante: “A Denominação é protegida na França, União Europeia e na maioria dos países do mundo, onde Champagne só pode designar vinhos da região de Champagne”. Nos Estados Unidos, contudo, essa proteção ao nome é apenas limitada e alguns produtores de espumante ainda usam a nome para designar seus produtos.