E por falar em Amarone, uma criação italiana do Vêneto, provei recentemente o “Amarone della Valpolicella Musella 2007“. Mescla tradicional de Corvina, Rondinella e Molinara. Como já sabem, suas uvas são colhidas e colocadas durante pelo menos três meses antes da fermentação para secar. Esse procedimento faz com que o a açúcar se concentre, ficando muito potente e com teor alcoólico de até 17%.

Na taça apresentou um visual negro, quase intransponível. Nariz intenso com destaque para cereja preta, ameixa, couro e terra. Paladar volumoso, com taninos doces, firmes, e uma acidez que equilibra os seus 16% de álcool. Precisa respirar por no mínimo 1 hora para liberar seu melhor. Já está bom, mas vai melhorar muito na adega. Foi bem com um Rack de cordeiro e um risoto de aspargos, feito pelo Chef Aldir Manoel. Preço: 225,00 no Ville du Vin | Avaliação pessoal: 90+/100