Recentemente tive a oportunidade de provar dois belos vinhos da tradicional vinícola chilena Ventisquero na varanda Vivendo a Vida. Conhecida por manter a qualidade desde a sua linha mais básica, até os de alta gama, provou que também exibe uma excelente capacidade de evolução.

O primeiro a ir para taça foi o Ventisquero Grey Cabernet Sauvignon 2001. O tipo de vinho que me agrada de cara – perfumado, com toques de frutas vermelhas e negras, estrebaria e fumo. Também algo de mentolado e herbáceo bem sutil. Na boca, elegante e charmoso. Não da vontade de parar de beber. Pronto, encantador. Final bem gostoso e longo. Álcool equilibrado. 13,5% de álcool. Avaliação Pessoal: 92/100

O segundo foi o Icone Ventisquero Vertice 2005 – valle de Apalta, creio que também seja a primeira safra. Uma criação conjunta entre Felipe Toso, o enólogo chileno de Viña Ventisquero, e John Duval, o ex-Penfolds enólogo australiano. Todas as uvas foram colhidas à mão de encostas Apalta. O vinho é uma mistura de Carmenere e Syrah

Aroma franco, com ótimo equilíbrio entre a fruta e o carvalho. Nenhum passando por cima do outro. Bastante concentrado em boca. Já no ponto de ser apreciado, mas deve evoluir ainda na garrafa. Complexo. Pimenta preta, especiarias, frutas vermelhas e violeta. Final longo e concentrado. Álcool 14,5%. Avaliação Pessoal: 91/100

Vina Ventisquero