O IWC Challenge 2013, um dos mais reconhecidos concursos de vinho do mundo, premiou o um vinho português triplamente.

O vinho recebeu o Prémio especial James RogersTrophy 2013, que premeia o melhor vinho no primeiro ano de produção de uma adega; foi eleito o melhor vinho tinto da Região do Dão com uma medalha de ouro e melhor vinho tinto Português com um troféu.

O vinho Dona Georgina 2005 da Quinta de Lemos foi ainda nomeado como um dos cinco melhores vinhos do mundo.

O ano de 2005 foi o primeiro de produção de vinhos da Quinta de Lemos, e Dona Georgina em particular, caracteriza-se por ser um «blend» duas castas: Touriga Nacional e Tinta Roriz.

As notas de prova do IWC descrevem-no como um vinho muito complexo, com presença de corpo, e saborosas notas misturadas de molho de soja e casca de laranja com a cereja muito presente, apresenta textura aveludada e fim de boca persistente.

O envelhecimento é feito em carvalho francês durante 15 meses e posteriormente é engarrafado fazendo um estágio em garrafa de cerca de três anos.

Hugo Chavez, enólogo da Quinta de Lemos, comentou com satisfação a distinção obtida no IWC: É um enorme orgulho ganhar estes prémios e distinções com o nosso primeiro vinho. Faz-nos acreditar que temos potencial para muito mais. A nossa meta é fazermos vinhos de referência Portugueses e do Dão. Prémios destes motivam-nos a trabalhar mais e melhor.

Toda a quinta produz vinho sob produção integrada, um sistema de controlo de produção equilibrado entre a produção biológica e a chamada convencional.

De acrescentar que «Dona Georgina» é alusivo ao nome da mãe do produtor, sendo uma homenagem à matriarca da família.

Sobre a Quinta de Lemos:

Nasceu em meados dos anos 90 pela mão de Celso de Lemos, com o sonho de criar vinhos exclusivos. Um vinho dedicado aos seus amigos mais próximos e à família, que sirva para unir as pessoas em torno de boas conversas e que reforce a ligação entre as pessoas. A quinta encontra-se no vale do Dão, escondida numa altitude de 340m, onde se encontram 25 hectares de vinha e 3000 de oliveiras. Todos os anos a Quinta de Lemos apresenta dois ou três blends que, em homenagem aos antepassados familiares, são baptizados com nomes da família; e quatro vinhos mono-varietais diferentes das castas Jaen, Tinta Roriz, Touriga Nacional e Alfrocheiro.