É possível que, quando passar perto do Ecorkhotel, em Évora, ele passe despercebido. É que a nova unidade hoteleira revestida de cortiça camufla no resto da paisagem alentejana.

Na verdade, o Ecorkhotel é um hino à sustentabilidade. Desenhado por José Carlos Cruz, o eco-hotel é claramente marcado pela cortiça, um produto 100% natural e que, apesar de multifuncional, ainda não tinha sido utilizado como revestimento exterior na área da hotelaria.

“Tinha havido duas utilizações. Uma no pavilhão português [na Expo de] Hannover e [outra] em Xangai. É o primeiro hotel do mundo com este revestimento”, explicou ao Economia Verde Manuel Policarpo, diretor-geral do hotel.

Rodeado por sobreiros, azinheiras e oliveiras centenários, o hotel tem um design moderno, ambiente contemporâneo e ligação estreita ao montado alentejano. A utilização da cortiça no exterior atua como isolante térmico e acústico, permitindo uma eficiência energética excepcional e ambiente natural.

Na verdade, todo o hotel foi pensado a pensar no ambiente. É usada a geotermia para aquecimento do edifício principal e piscinas. Há também painéis solares para aquecimento das águas quentes do hotel e das piscinas interior e exterior – é que Évora é a cidade portuguesa com maior número de horas de sol, e há que aproveitar este recurso.

A economia local não foi esquecida durante a construção deste hotel de quatro estrelas. “Procurámos a utilização de materiais regionais, [até] para diminuir ao máximo a pegada ecológica”, explicou Manuel Policarpo.

Em breve, serão construídos painéis solares fotovoltaicos para produção de energia eléctrica. Construído em parceria com a Amorim, o Ecorkhotel oferece alojamento de 56 suítes privativas, com uma área de 70 metros quadrados cada. Fica a cinco minutos do centro de Évora e emprega 24 colaboradores – que serão 30 na época alta.