Coluna Vivendo a Vida publicada hoje, dia 19/07, no Caderno Prazer & Cia do Jornal A Gazeta

vinho do Porto, também conhecido como “fortificado e generoso” é produzido exclusivamente a partir de uvas provenientes da região demarcada do Douro, Portugal e, armazenados em Vila Nova de Gaia, região metropolitana do “Porto”, que deu nome a bebida. Além dos fortificados, se destaca, também, nos vinhos não fortificados. É nesta região que é produzido o melhor vinho português (Barca Velha, da Casa Ferreirinha).

A versão mais provável da descoberta do vinho do Porto data do século XVII, quando ingleses começaram a importar grandes quantidades de vinho português. Para que a bebida resistisse às longas viagens marítimas eram acrescentados aguardente nos barris.

Hoje, mesmo sem a ajuda dos marinheiros, a bebida continua recebendo doses de aguardente em sua produção. Nesse processo a fermentação é interrompida na fase inicial, fazendo com que as leveduras parem de agir, deixando o vinho mais doce e mais alcoólico, com 19 a 22º de álcool.

Após a adição de aguardente, os vinhos do Porto são divididos em dois grupos; os que passam por madeira, envelhecendo em casco ou em cuba, normalmente feita de carvalho, e os envelhecidos em garrafa, que passam por um novo período de envelhecimento.

Conforme o tempo e o tipo de envelhecimento apresentam grande variedade de aromas e sabores. Além disso, recebem uma classificação própria, que determina também o seu preço.

Você sabe reconhecê-los? Veja os estilos mais consumidos:

Porto Branco: feitos a partir das clássicas castas brancas de vinho do Porto, normalmente envelhecem por dois ou três anos em grandes tonéis e que estão disponíveis em estilos mais doces ou mais secos.

Porto Ruby: estilo mais jovem e frutado de porto, normalmente envelhecidos em cuba durante dois ou três anos.

Porto Tawny e Tawny com menção de idade: envelhecem por períodos mais longos em cascos de carvalho. Estes incluem os maravilhosos vinhos do Porto Tawny com 10, 20, 30 e 40 anos, que melhoram quanto mais tempo estagiam em madeira.

Porto Colheita: vinificado a partir de um único ano (colheita), mas não deve ser confundido com o Vinho do Porto Vintage. Uma vez que o Colheita deve aguardar um período mínimo de sete anos em casco de carvalho.

Porto LBV: resultado da colheita de um único ano, envelhece em madeira por um período mínimo de 4 a 6. Devido a este longo envelhecimentos em madeira são menos adstringentes e encorpados que os Vinhos do Porto Vintage. Considerado uma melhor relação qualidade/preço. Normalmente prontos para consumir quando lançados no mercado.

Porto Vintage: representa a melhor produção de um único ano excecional. Este vinho permanece em tonel por apenas cerca de 2 anos e depois envelhece em garrafa. É ‘declarado’ ou lançado pelos produtores apenas nas melhores safras, em média três vezes a cada década.  Os vinhos do Porto Vintage precisam de tempo para ser apreciados.

Indicados:

Saúde!