A partir de hoje começo a falar sobre a ExpoVinis 2013 e algumas degustações paralelas interessantes que participei dentro da programação do evento. A primeira “Degustação Premium” teve como tema os 10 melhores vinhos nacionais, eleitos pelos jurados do evento. O painel foi conduzido por Hector Riquelme, um dos jurados (Sommelier Chileno, degustador do Decanter Wine Award). Riquelme (foto acima), que veio ao Brasil exclusivamente para o evento é considerado o melhor sommelier chileno, coaltor do guia Descorchados e vice-presidente da associação chilena de sommeliers.

Os vinhos degustados e a minha opinião abaixo:

Villaggio Grando Brut Rosé

Foi considerado pelos jurados o melhor espumante nacional na prova Top Ten. É proveniente de um terroir localizado na região de Herciliópolis, Município de Água Doce, nos campos de altitude de Santa Catarina em um planalto de características únicas de solo e clima, próprios para o desenvolvimento de vinhedos que resultam em ótimas uvas.

Elaborado pelo método “Charmat” com as uvas Pinot Noir e Merlot, apresenta na taça um visual casca de cebola, aromas de frutas vermelhas bem destacada. Se faz sentir a estrutura do Pinot Noir e o frescor característico dos espumantes brasileiros. Um vinho versátil, gastronômico e também para aperitivo. Equilibrado, com teor de álcool – 11,5%. Nota: 87/100

Quinta do Bonifacio Habitat Brut Rosé

Quinta Don Bonifácio é uma vinícola familiar, comandada pelos irmãos Marina e Gonçalo Libardi. Está situada a 800 metros de altitude em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. O projeto nasceu no ano de 2000 com a construção do Vinhedo Santa Lúcia e do Vinhedo São Francisco.

Elaborado pelo método Champenoise, o mesmo usado por espumantes da região de Champagne, com a uva Pinot Noir . Permaneceu por 24 meses em contato com as leveduras. Apresentou um visual casca de cebola, mais fechado, austero, não tão aromático como o primeiro. Boca fresca, ideal para mariscos. 12% de álcool. Nota: 88/100

Casa Geraldo Brut

Vinícola que produz vinhos no extremo sul de Minas Gerais há mais de 30 anos, com uvas provenientes da Serra Gaúcha. Elaborado com a uva Chadonnay, apresenta um visual claro, aromas terrosos, seco, boa acidez e equilíbrio. 12% de álcool. Nota: 86/100

Campos de Cima Extra Brut 

A vinícola Campos de Cima está situada na cidade de Itaqui, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, quase na Argentina. 

Elaborado com uvas Chardonnay e Pinot Noir, é sem dúvida, o melhor espumante brasileiro da categoria de preço. Perlage abundante e muito duradouro mesmo. Aromas de fermentação (panificação) e frutas. Ótima acidez, cremoso e longo, 12,5%. Nota: 90/100

Dadivas Chardonnay 2012

A Lidio Carraro, pequena e jovem vinícola boutique da Serra Gaúcha
(Encruzilhada do Sul – RS), com uma qualificada lista de reconhecimentos na Europa e nos Estados Unidos, foi a que conquistou o exclusivo selo de Vinho Licenciado Oficial da Copa do Mundo da FIFA 2014.

Vinho ganhador entre os 10 melhores vinhos da feira, apresentou um nariz bastante floral e frutado. Boca leve, fresco com notas de lichia, fazendo lembrar um Torrontés. Não passou por madeira. 14% de álcool. Nota:87/100

Salton Virtude 2011

A gigante Salton, localizada na Serra Gaúcha, tem 30.000 metros de área coberta, em 70 hectares de área e foi integralmente construída com recursos próprios. Aliás, não se trata somente de uma vinícola e sim de um projeto ambicioso, que inclui restaurante, vistas ao eno-turismo e muito mais.

O seu virtude é um campeão de prêmios, fermentado em barrica, apresenta um visual amarelo intenso, aroma de frutos secos e tropicais, coco e baunilha. Boa acidez, corpulento, encanta. Adorei.  Tem fruta para aguentar esse carvalho novo. 13% de álcool. Nota: 90/100

Perini 4 2009

O vinho tinto Perini Qu4tro safra 2009 conquistou o Top Ten da Expovinis 2013. Esta é a primeira vez que a Vinícola Perini, do Vale Trentino, tem um rótulo eleito entre os 10 melhores vinhos da Expovinis. OPerini Qu4tro, rótulo ícone da Vinícola Perini, foi eleito o melhor na categoria vinho tinto nacional da Serra Gaúcha.

Elaborado a partir da assemblage de Cabernet Sauvignon, Merlot, Tannat e Ancellotta, apenas em anos considerados excepcionais na qualidade das uvas, tem uma produção limitada a 10.000 garrafas. Na taça apresnta um visual violáceo intenso, novo, com aromas de frutas morango, amoras, frutas, com leve especiarias (pimenta branca). Paladar com boa acidez e corpo, com notas de café e baunilha. 12% de álcool. Nota: 89/100

Don Gerrino Gran reserva Terondego 2012

A Don Guerino é uma das mais modernas e belas vinícolas do país, rodeada por uma área de 50 hectares de vinhedos, numa paisagem única que encanta seus visitantes. NasceU no ano de 2000, no município de Alto Feliz, na serra Gaúcha, com o plantio das primeiras videiras.

A Terondego é uma uva tinta italiana que se adaptou bem ao clima da região sul do Brasil, mais precisamente no vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves – RS. 

Visual violáceo, aroma com uma fruta bastante viva, lembrando frutas vermelhas e tuti fruti. Muito potente em boca, gastronômico, boa acidez. Boa persistência. Nota: 87/100

Pericó Basaltino Pinot Noir 2012

A Vinícola Pericó é uma vinícola brasileira localizada na serra catarinense fundada em 2003 por Wandér Weege, administrador da Malhas Malwee. Super premiada, mostra o que o terroir de altura pode agregar para o vinho.

A Pinot Noir se adaptou muito bem ao vale e o Basaltino sem duvida é a prova disso. Recebeu o primeiro lugar na premiação TOPTEN , na categoria Tintos Nacionais de Outras Regiões. Apresentou um visual rubi, aroma de frutas vermelhas, framboesas, morango, terrosas e uma tostado intenso. Boca fresca, fruta limpa, com bom equilíbrio e álcool. Boa persistência.  Nota: 90/100

Suzin Zelindo 2008

A SUZIN é uma vinícola jovem de origem italiana que teve início em São Joaquim, Santa Catarina em meados de 2001, criada pelo patriarca da família Sr. Zelindo Melci Suzin, atualmente com 73 anos, juntamente com seus dois filhos, Everson e Jeferson Suzin.

O seu vinho Zelindo é um corte de 70 Merlot e 30 CS, estagiou de 10 meses em barricas de carvalho francês. Na taça apresentou visual violáceo, aroma de pimenta preta, torrefação, couro novo. Encorpado, sobra um pouco de Madeira. Ideal para acompanhar um churrasco.  14% de álcool. Nota: 88/100