A coluna Vivendo a Vida de hoje, 22/03, publicada no Caderno Prazer & Cia do Jornal A Gazeta, traz dicas de vinhos para acompanhar a Torta Capixaba.

Tenho certeza que apreciar um bom vinho em harmonia com uma refeição é um dos maiores prazeres da vida. O vinho certo pode transformar uma simples refeição em um grande acontecimento.

Em busca deste prazer, a coluna reuniu no Supermercado São José, Praia do Canto, um dos locais mais tradicionais no preparo da Torta Capixaba, um júri formado pelos enófilos, Carlos José Vieira, Gabriel Lordello, José Henrique Neffa, André Andrès e Fernando Moreira Giestas, para uma degustação composta de 12 vinhos brancos, de diversas uvas e estilos, a fim de encontrar o que melhor harmoniza com prato. A degustação foi surpreendente, mudando conceitos para a maioria dos participantes.

Existem regras específicas para harmonizar sabores de um prato e de um vinho. A mais importante é o equilíbrio entre ambos: o prato e vinho devem se completar e não se sobrepor, um deve valorizar os atributos do outro, surgindo um terceiro sabor.

Toda vez que for harmonizar você primeiro experimenta o vinho sozinho, faça as suas observações sobre ele. Repita com o prato, teste e faça suas observações. Ai depois você casa os dois na boca. Ponha um pouco da comida na boca, tome um gole do vinho e mastigue os dois juntos. Tem que surgir o terceiro sabor. Que pode ser bom ou ruim. Se for bom, você fez uma harmonização perfeita.

Para esta degustação seguimos o roteiro acima, e chagamos as seguintes conclusões. Em virtude da textura e sabores delicados dos ingredientes como palmito fresco, siri, aratu (caranguejo), sururu, bacalhau, coentro, cebola e cebolinha existentes na Torta Capixaba, além dos espumantes (Brut, Extra-Brut ou Cava) que são considerados verdadeiros coringas nas harmonizações, os vinhos brancos, sem, ou com pouca passagem por madeira, mais delicados, foram considerados os melhores na prova, casando com os ingredientes e textura do prato. Fujam dos brancos untuosos e amadeirados, eles atropelam a Torta.

A melhor harmonização ficou com um vinho da uva Antão Vaz – Portugal – Conde de Ervideira Reserva 2011, e o melhor custo beneficio - Chardonnay – Chile – Santa Ema Selección Terroir Chardonnay 2011. São refrescantes, e possuem como principais características, aromas minerais, toques frutados, além de uma acidez excelente. São também boas opções os vinhos elaborados com as uvas Sauvignon Blanc (menos aromáticos), Pinot Grijio e Verdicchio da (Itália), Albarinõ (Espanha), Muscadet (França), Chablis (França), Vinhos Verdes (Portugal), e alguns cortes portugueses. Se preferir um rosé, os elaborados na região da Provence são boas opções. São delicados no nariz, tal como em boca, com uma acidez perfeita.

Para quem não abre mão de um vinho tinto, mesmo não sendo recomendado, devido a um gosto metálico e amargo que pode surgir quando o iodo dos peixes entra em contato com os taninos, uma opção são os elaborados com a uva Pinot Noir ou Gamay. Por ter um baixo teor de taninos esse efeito é minimizado.  


Santa Ema Selección Terroir Chardonnay 2011 – Chile – Casablanca – 3 meses em barrica – 100% Chardonnay – R$ 29,00
– Onde encontrar: Ville du Vin Nota: 88/100

Nariz de média intensidade de frutas tropicais como banana, maracujá e abacaxi. Paladar Jovem e frutado, bem equilibrado. O melhor custo x beneficio da prova.


Verdelho Esporão 2009 – Portugal – Alentejo – 100% Verdelho – R$ 62,80
- Onde encontrar: CaroneNota: 87/100

Nariz com notas minerais e certo toque vegetal. Paladar agradável, fruta madura está bem presente, confirmando notas minerais. Foi na prova, mas pela sua acidez média, não é indicado adicionar azeite na harmonização.


Conde de Ervideira Reserva 2011 – Portugal – Alentejo – Antão Vaz – R$ 89,00
- Onde encontrar: Supermercado São José Nota: 91/100

Nariz elegante, leve nota tropical, fundo doce. Paladar delicioso, gordo, porem fresco, com excelente acidez dando suporte. Melhor harmonização.


Don Olegario Albarinho Rias baixas 2011 – Espanha – Rias Baixas – 100% Albariño – R$ 94,00
- Onde encontrar: Grand Cru Nota: 88/100

Nariz gostoso, típico, com notas cítricas e florais. Um branco que começou bem no aroma e melhorou na boca. Algo mineral, que lembrou um Chablis. Frutas tropicais também aparecem, como abacaxi. Na boca, delicado e elegante. Longo. Ótima acidez e equilíbrio.

Estreia no programa Minuto do Vinho – Rádio CBN – Áudio – http://migre.me/dMOgx

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook