O Chile sabe como ninguém fazer vinhos que agradam o paladar dos brasileiros.

O Seña, tinto ícone, resultado de uma parceria entre Eduardo Chadwick (Errázuriz) do Chile e a tradicional família californiana Mondavi, representa todo esse sucesso.

A ideia do seu nascimento foi de mostrar para mundo que o Chile tinha capacidade de elaborar um vinho TOP, caro, que correspondesse na taça o seu valor.

Para isso não pouparam esforços. Foram plantados vinhedos próprios, em terroir apropriado, ao abrigo do sol da tarde, quente, para prolongar o amadurecimento das uvas. No inicio até o resultado da primeira safra, o Seña foi elaborado com parcelas de uma seleção dos melhores barricas dos vinhedos Errázuriz também no Vale do Aconcágha.

O resultado é um corte de Cabernet Sauvignon, Carmenere, Merlot, Cabernet Franc, Petit Verdot. Estagia por um longo período (18 meses) em barricas (90% novas) e mais 12 meses depois de formado o blend.

O nome Seña significa “assinatura”, “sinal”, ou “senha”.



Avaliação Pessoal: ST (93+) – Chile – 14,5% – Vale do Aconcágua – R$ 498,00 – Expand – (Oferecido por André Andrès)

Visual escuro, muita fruta, com toques forais, ameixa em calda e torrefação. O paladar se mostrou potente, já macio, bem equilibrado com a madeira. Fruta na medida. Impressiona pela concentração. Quente, mas não alcoólico. Afinal são 14,5% de álcool, que não apareceu. Um vinhaço, que já proporciona muito prazer, mas com certeza vai melhorar muito com tempo de garrafa.

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook