Entre as minhas principais metas para 2013 está a de beber menos, porem com mais qualidade, de preferência caldos que ainda não conheça. E parece que as coisas estão caminhando bem. Nem bem começou o ano e já estou tendo gratas surpresas na taça. Uma delas foi conhecer o Hermitage M. Sorrel 2006, um vinho soberbo, que expressa de forma única a real qualidade da uva Syrah.

Hermitage é uma das principais apelações do Rhône, França. Suas vinhas são cultivadas na região desde o ano 500 AC. Sua área está restrita apenas a uma colina na cidade de Tain L’Hermitage. Tem uma excelente exposição ao sol. Os vinhos da região são tão valorizados como os crus classes de Bordeaux. Muitas vezes eram adicionados os vinhos de Bordeaux para conferir mais robustez, profundidade e cor. Por lá produzem vinhos tintos e brancos. Nos tintos se utiliza a uva Syrah, sendo permitido até de 15% de uvas brancas, Marsanne e Roussanne. O resultado são vinhos potentes, encorpados e complexos.

O nome Hermitage se deve a lenda do cavaleiro ferido nas cruzadas que retorna para viver como eremita na colina até o fim de seus dias.

História da vinícola

Marc Sorrel vem de uma família instalada em Tain L´Hermitage há mais de um século, onde seu pai, Henri era tabelião. Apaixonado pela viticultura, possuia 3,4 hectares de vinhedos em Hermitage, vendendo sua colheita aos negociantes até 1970, quando decidiu elaborar e engarrafar seu próprio vinho. Essa mudança teve pleno êxito, tendo produzido duas safras de qualidade em 1978 e 1979. Com sua saúde em declínio, ele convidou seu filho Marc, engenheiro quimico de formação, a assumir a produção. Marc Sorrel então iniciou o aprendizado do métier em 1982, com um enólogo que trabalhava com seu pai. Henri Sorrel faleceu em 1984, quando Marc se viu sozinho como vinicultor. Marc herdou 2 hectares de seu pai, o restante indo a seus irmãos. Ele adquiriu outras terras em Hermitage, formando o vinhedo total de 4 hectares que ele explora hoje.

Os Vinhedos

Os vinhedos estão situados na Côtes-du-Rhône setentrional, margem esquerda do rio Rhône, com orientação sul, estando abrigado dos ventos frios do norte e criando um microclima de influência mediterrânea. A uva syrah é a principal variedade da região, e uma das atribuições de sua origem é exatamente Tain l´Hermitage. Nesse terroir, a syrah produz vinhos de grande expressão aromática e estrutura muito equilibrada, além de uma evolução lenta que lhes confere grande valorização.

Equipamentos

A vinícola está equipada com 7 tanques inox com capacidades entre 2000 e 5000 litros, possuindo equipamento automático para mergulhar o chapéu durante a fermentação (pigéage). Uma prensa pneumática é usada para as uvas brancas. A cave é climatizada a 17 ºC. A condução do vinho para o engarrafamento é feita por gravidade.

Tagliatta servida do restaurante Ville du Vin

Avaliação Pessoal:
ST (95)
– 100% Syrah – 13,2% – 22 meses em barricas – R$ 600,00 – Ville du Vin

  • Quando aberto assustou, aromas estranhos…a tal acidez volátil?, rs. Não sei. Porém depois de uma hora aerando em decanter começou a abrir e mostrar o seu melhor. Esse é um daqueles vinhos que se fosse apenas para ficar sentindo os aromas já valia. Notas frutadas lembrando cereja e ameixa, pimenta do reino, e um leve licoroso. Enche a boca e deixa um retrogosto longo e gostoso. Fruta limpa e fresca. Potente, mas não alcoólico. Muito equilibrado. Ótima acidez. Um vinhaço, que mostra com a uva Syrah deve se expressar.

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook