2º Concurso Pan-Americano de Sommeliers envolveu 19 profissionais de 10 países em Bento Gonçalves (RS)

O brasileiro Tiago Locatelli é o 2º melhor sommelier das Américas. A campeã do 2º Concurso Pan-Americano de Sommeliers, cuja final foi disputada nesta quarta-feira (24) no Hotel e Spa do Vinho Caudalie, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS), foi a canadense Véronique Rivest, que era a atual vice-campeã. Está mantida assim a hegemonia do Canadá na competição, vencida por Élyse Lambert na última edição em 2009, em Buenos Aires, que teve o do brasileiro Guilherme Correa na terceira posição. “Subimos um degrau”, comemora Danio Braga, presidente da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) e da Alianza Pan-Americana de Sommeliers (Apas). O outro brasileiro na disputa, Diego Arrebola, ficou em 11º lugar entre 19 sommeliers de 10 países (Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Estados Unidos, México, Peru, Uruguai e Venezuela).

Depois de uma exaustiva fase classificatória, realizada na terça-feira (23), envolvendo um dia inteiro de provas teóricas e práticas, a finalíssima aberta ao público foi realizada ontem no Centro de Eventos do Hotel e Spa do Vinho Caudalie. Os três sommeliers finalistas – a canadense Véronique Rivest, o brasileiro Tiago Locatelli e o norte-americano Ian Cauble – cumpriram seis provas, sempre se expressando na língua não materna.

Na primeira, uma degustação às cegas de três vinhos (um branco e dois tintos), onde o candidato tinha 12 minutos para falar de suas características, sugerir as uvas que entram em sua composição e de qual região e país procedem. Os comentários ainda tinham de abordar a temperatura de serviço ideal e pratos adequados para harmonizar com eles. Depois, em três minutos os candidatos deveriam adivinhar o que eram cinco líquidos oferecidos nas taças. A terceira prova era um serviço de champagne, que deveria ser cumprida em seis minutos. A quarta, serviço de um vinho tinto em decanter, em seis minutos. Em seguida, os finalistas tiveram de harmonizar um cardápio internacional em quatro minutos. E, por último, a correção oral, em três minutos, de uma carta de vinhos com 10 rótulos.

O 2º Concurso Pan-Americano de Sommeliers, uma espécie de Copa América do Serviço de Vinho, foi promovido pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS), Associação Internacional de Sommeliers (ASI) e Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). A vencedora está classificada para o Concurso Mundial de Sommeliers, que ocorrerá em 2013 no Japão. “Foi um orgulho realizar este concurso no berço da vitivinicultura brasileira em um local elegante e refinado como merece a profissão de sommelier”, comenta Danio Braga. Ele promete criar a ABS-RS no início do ano que vem. “Precisamos formar mais sommeliers aqui no Rio Grande do Sul”, diz ele.

O melhor sommelier do mundo, Gerard Basset, foi um dos jurados do concurso, ao lado de Shinya Tasaki, campeão mundial em 1995 e atual presidente da ASI, e Michèle Chantôme, responsável pela comunicação da ASI. Um jantar de gala encerrou a programação do concurso.

Paralelamente ao concurso, a ABS e o Ibravin promoveram, de segunda (22) a quarta (24), uma série de visitas técnicas pelas vinícolas da Serra Gaúcha. “Foi uma boa oportunidade para os sommeliers das Américas conhecerem mais a produção vitivinícola brasileira”, afirma o gerente de Marketing do Ibravin, Diego Bertolini. A agenda contemplou visitas na Aurora, Casa Valduga, Chandon, Dal Pizzol, Miolo e Salton, além de um mini Circuito Brasileiro de Degustação com a participação de 13 empresas (Casa Valduga, Courmayeur, Don Giovanni, Domno do Brasil, Don Laurindo, Dunamis, Geisse, Laurentia, Larentis, Lidio Carraro, Pizzato, Peterlongo e Valmarino).

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook