Cercado de mistério, o vinho Caballo Loco não traz em seu rótulo a safra e nem a uva. Na verdade é um corte de diversas uvas e de safras, que começou a ser utilizada nos anos 90 sob o comando de Jorge Coderch, o “Caballo Loco“, que emprestou o nome ao vinho.

Nesta época havia várias barricas das variedades Cabenet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot e Malbec das safras 1990 e 1993, mas em quantidades reduzidas, insuficientes para uma linha varietal. Assim a vinícola decidiu criar o seu Top, o Caballo Loco.

Em 1994, metade desta barrica foi usada para o Caballo Loco Number 1, a outra metade foi reservada e misturada para o Number 2 e assim sucessivamente. A cada safra 50% da anterior se soma a atual.

O Nº 12 que degustei é 50% da colheita de 2007 e 50% das colheitas entre 1990 e 2006.

Avaliação Pessoal: ST (93+)
-
Chile – Vale do Maipo, Colchagua e Curicó – 14,6% – Cabernet Sauvignon, Carmenère, Malbec e Merlot – 18 meses em barrica – Importador Ravin
-
R$ 260,00

  • Já tinha provado o nº9 e gostado muito, mas parece que esse está ainda melhor. Visual rubi intenso, aromas intenso de frutas, como pitanga, manga, ameixa em calda, couro, e um caramelo maravilhoso. O paladar mostrou bom corpo, concentrado, taninos sedosos, boa acidez, bastante equilibrado, com uma madeira bem trabalhada que não sobrepõe à fruta. Bastante longo. Sem dúvida, um vinhaço!

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook