Cristiano Van Zeller é um dos produtores mais versáteis e dinâmicos do Douro, e, depois que vendeu a Quinta do Noval, em 1993, revitalizou propriedade pertencente à família de sua esposa e a produção de vinhos da Quinta Vale D. Maria. Há bons Portos, é claro, porém o vinho de mesa é excelente: uma mistura poderosa e ricamente acarvalhada de castas do Douro.

Melhora dos vinhos de mesa do Douro

A mitologia do Douro relata que foi a qualidade terrível de seu vinho de mesa que obrigou seus comerciantes a misturá-lo com conhaque e criar o vinho do Porto. Pode ter sido assim, mas, desde 1991, a região tem feito grandes progressos e hoje produz vinhos de mesa admiráveis, que estão entre os melhores de Portugal.

A melhoria começou a acontecer quando os produtores perceberam que os bons vinhos precisavam ser feitos com uvas escolhidas, em vez de serem feitos com uvas as rejeitadas para o vinho do Porto.

Avaliação Pessoal: ST (93+) RP (93) WS (92) – Quinta Vale D. Maria 2004
– Portugal – Douro – 15% – Enólogos: Sandra Tavares & Cristino Van Zeller – Barricas de carvalho, 70% novas e o restante com 1 ano de uso – Blend de 41 variedades – Importadora Vinho Sul – R$ 200,00

  • Na taça apresentou um visual granada, com halo de evolução, límpido, brilhante, sem sedimentos. Aroma de fruta negra (ameixa) intensa, balsâmico, esmalte e resina. O paladar seco, bom corpo, pecando no álcool que se mostrou sobrando, talvez um qualidade para uma evolução saudável, boa acidez, taninos de excelente qualidade. Retrogosto frutado, ameixa, com toques de especiarias e de madeira. Persistência bastante longa. Um vinho que com certeza vai evoluir, integrando seu teor alcoólico, e acalmando sua fruta exuberante. Uma questão de estilo. Muitos gostam para consumir agora, e outros vão preferir ele mais evoluído.

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook