Tudo que o produtor faz, desde a escolha do vinhedo e das variedades de uva até o modo de elaborar o vinho, visa determinar o estilo de vinho a ser produzido. Na hora de comprar a bebida, a variedade de marcas e produtores pode nos deixar confusos, por isso, é bom identificar os estilos de vinho de você gosta e usá-los como ponto de partida. Sem duvida, ao colocar o nariz na taça e sentir os aromas do Don Melchor 2000, fui transportado para o meu ponto de partida, o início de toda a paixão que me impulsionou a minha curta história de doze anos no mundo do vinho, que combinou com a safra em questão.

Vinho ícone da vinícola Concha y Toro, o Don Melchor faz parte da história vitivinícola chilena. Para ele, é destinada uma área exclusiva com predominância da Cabernet Sauvignon. Teve a sua primeira safra em 1987, e tem uma equipe técnica e diretor a parte.

Em seus cinco primeiros anos, havia uma concentração forte da fruta, que a partir do seu 5º ao 15º ano, foi trabalhado um pouco mais dos aromas, da elegância, buscando uma complexidade maior. Deste ano em diante, houve uma grande revolução. Mesmo com toda sua complexidade, a fruta ficou mais contida.

Segundo o site do produtor, a safra foi marcada por bom tempo, um inverno frio e chuvoso marcou o início do ano. Mais tarde, durante a primavera e o verão, embora as temperaturas eram suficientes para um desenvolvimento equilibrado da vinha, as temperaturas eram ligeiramente abaixo da média histórica da região. Este último além de algumas chuvas em meados de abril, foi estendido o período de colheita em busca de frutos maduros da Cabernet Sauvignon.

Mundialmente, o Brasil representa de 8% a 10% das vendas do vinho. Isso coloca o País em terceiro lugar, somente atrás de Canadá e Chile.

Avaliação Pessoal: ST (98) – Don Mechor 2000

Na taça mostrou visual acastanhado, já mostrando halo de evolução, com lagrimas finas e numerosas. Aroma intenso de frutas negras, ameixas negras e amoras, especiarias, ervas, toque mentolado, alternado com o passar do tempo. Paladar é encorpado, ótima acidez e taninos finos. Fechando com uma persistência muito longa. Um vinho que deve evoluir bem, mas acredito estar no seu melhor momento!

Chile – D.O Puente Alto – 100% Cabernet Sauvignon – Importador: VCT

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook