Em uma festa cercada de pessoas com um super alto astral, na casa do colunista de vinhos do jornal A Gazeta, André Andrès, tive a oportunidade de provar vários vinhos, acredito que foram mais de 30. Um deles foi o mítico Mouchão Tonel 3-4, levado pelo Sr. Helvécio Faé, dono de uma das maiores adegas por estas bandas.

O Mouchão Tonel 3-4 é resultado da atenção, por parte do chefe de adega da Mouchão, que observou a qualidade dos vinhos envelhecidos nos tonéis 3 e 4 sempre apresentavam qualidade superior aos demais. A partir dai, nas melhores safras, o vinho dos tonéis 3 e 4 é engarrafado a parte, após um estágio de 24 meses nestes toneis, que são feitos de carvalho português, macacauba e mogno, onde decorre a fermentação malolática.

História da vinícola:

Vastas planícies, pontuadas por algumas florestas e extensos olivais, são a paisagem dominante da região do Alentejo. Foi para aqui que, no início do século XIX, Thomas Reynolds migrou, tendo como objetivo o negócio da cortiça.

Três gerações depois, o seu neto John Reynolds adquiriu uma propriedade de 900 hectares, denominada Herdade do Mouchão. Aqui, à atividade corticeira a família acabou por adicionar a produção de vinhos. Plantaram-se várias vinhas e em 1901 construiu-se uma adega tradicional, de grossas e brancas paredes de adobe e um elevado pé direito, tudo encimado por um magnífico telhado de telha vã portuguesa. Pensa-se que foi também por iniciativa de John que as primeiras plantas da casta Alicante Bouschet foram trazidas de França.

Durante a década de cinquenta, do século XX, a atividade vitivinícola sofreu uma singular expansão que se traduziu por um aumento das áreas de vinha, pelo aperfeiçoamento das tecnologias de vinificação e pelo início da venda de vinhos engarrafados, em detrimento da velha tradição de venda de vinho a granel, com um cunho muito regional.

Um século após a sua fundação, e depois de ter recuperado das expropriações agrícolas que ocorreram após a revolução de 1974, a Herdade do Mouchão continua na posse da família Reynolds, mantendo uma tradição ancestral passada de pais para filhos.

Todo o processo de vinificação se mantém praticamente intocável, preservando a tradicional vindima e a fermentação das uvas em lagares de pedra com pisa a pé.

Num mundo enológico em constante evolução, a Herdade do Mouchão mantém-se como sempre foi: uma tradição de família.

Avaliação Pessoal: ST (97+) Herdade do Mouchão Tonel 3-4

Na taça mostrou visual violáceo, sem halo de evolução, com lagrimas finas e numerosas. Aroma potente e intenso de frutas escuras em geléia (ameixas negras e amoras), especiarias, ervas, com sutil e elegante toque mentolado, muito intenso e persistente. Paladar bastante encorpado, acidez destacada e taninos em grande quantidade, muito finos. Um vinho de grande personalidade, que se encontra em sua infância, devendo evoluir muito bem por longos anos. Mas já proporciona um enorme prazer na taça!

Portugal – Alentejo – Alicante Bouschet e Trincadeira – 14,5% – Enólogo Paulo Laureano – Importador Adega Alentejana – R$ 400,00

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook