Atualmente, a região de Graves compreende duas partes: a mais ao norte, Pessac-Léognan, com mil hectares, é a melhor e recebeu sua própria apelação; o restante da área cerca de 3 mil e quatrocentos hectares, faz parte da apelação Graves.

Os vinhos de Pessac-Léognan foram classificados junto com os de Graves, em 1953 e 1959. A classificação máxima é de Grands Crus e, entre eles, o grande Haut-Brion, que apesar dessa classificação, é sempre colocado como Premier Cru ao lado de outros quatro do Médoc. No total, a região tem 13 Grands Crus tintos e oito Grands Crus Brancos.

A mescla tintas são as mesmas do Médoc: Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Malbec e Petit Verdot, assim como a características do vinho, embora os Pessac-Léognan sejam mais encorpados que os primeiros.

O Domaine de Chevalier é gerenciado desde 1983 por Olivier Bernard, que construiu novas instalações, renovou o vinhedo e trouxe quatro grandes ventiladores para combater as geadas na primavera.

Avaliação Pessoal: ST (91+) – 65% Cabernet Sauvignon, 2% Cabernet Franc, 30% Merlot e 3% Petit Verdot – 18 meses em carvalho – 12,5%

  • Visual ainda escuro, sem sinais de evolução, aromas mostra toque terroso, terra molhada, tabaco e alcatrão. No paladar apresenta bom corpo, taninos firmes, ótima acidez, confirma os sabores do nariz com um final bastante longo. Um vinho que ainda deve evoluir muito bem na garrafa.

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook