Um homem britânico chamado Ian Hutcheon se dedica a duas atividades básicas em sua vida: astronomia e fabricação de vinhos. Morador do Vale de Cachapoal, na região central do Chile, ele possui uma vinícola e um centro de observação astronômica.

Neste lugar, ele passou a vender um produto que simboliza a união de suas duas paixões: um vinho que leva em sua composição um meteorito que caiu na Terra há mais de seis mil anos.

Hutcheon, aficcionado por tudo que tem relação com astronomia, adquiriu seu meteorito com um colecionador americano. Trata-se de um corpo celeste com cerca de dez centímetros de diâmetro, originário do cinturão de asteroides que se situa entre as órbitas de Marte e Júpiter. Agora, ele se tornou parte da composição de “Meteorito”, a mais inusitada novidade da vinícola do inglês.

Durante um ano, o meteorito envelheceu junto a um barril de Cabernet Sauvignon, um dos vinhos mais clássicos do mundo e uma das especialidades de Hutcheon. Os processos de fabricação e fermentação são praticamente iguais ao de qualquer vinho. A diferença é que o meteorito em questão é colocado na mistura durante a última fase de maturação do produto, a fermentação malolática. É nesta etapa que os sabores especiais de cada tipo de vinho são adicionados, para aderir pouco a pouco à mistura.

Por enquanto, a única maneira de adquirir uma garrafa dessa safra espacial é comprando diretamente com o fornecedor, em seu observatório espacial no Chile. Mas Hutcheon afirma que pretende abrir as vendas de “Meteorito” para exportação em breve. [DiscoveryNews]

Via: hypescience