“Diante de um vinho de bordeaux, sinto me avontade de fazer uma reverência. É um momento em que se bebe historia”, afirmou o jornalista e sommelier Mário Telles JR, no início de uma das palestras mais concorridas do evento, “As diferenças do terroir de Bordeaux”. O expert também ergueu um brinde ao crítico de vinhos Saul Galvão, morto há dois meses. “Se estivesse vivo, ele certamente ficaria feliz com a volta do Encontro do vinho a Pedra Azul”, disse. A degustação que teve a presença do governador Paulo Hartung, foi feita ás cegas, com sete vinhos, comentados pela produtora de três deles, Heléne Garcin.
Fonte: Prazer&Cia-Agazeta.