Quando Jacques Bollinger faleceu em 1941, sua viúva Lily Bollinger levou sua famosa casa de champagne através dos difíceis anos de ocupação alemã na França. Ela dirigiu a empresa até o seu falecimento em 1977. A Blollinger prosperou sob sua liderança, dobrando de tamanho. Ela era uma figura amada em Champagne, onde era vista andando de bicicleta pelos vinhedos todos os dias. Em 1961, quando um repórter de Londres perguntou quando ela bebia Champagne, Madame Bollinger respondeu: “Só bebo Champagne quando estou feliz e quando estou triste. Ás vezes, bebo quando estou sozinha. Quando estou em companhia, considero obrigatório. Bebo um golinho se não estou com fome e bebo quando estou com fome. Caso contrário nunca toco nele, a não ser que esteja com sede.”

A formidável Madame Lily Bollinger faleceu aos 78 anos, aparentemente, nada pior por causa de todo aquele Champagne!