Amigos, segue uma dica de um vinho italiano “supertoscano” que provei esta semana e me surpreendeu de forma positiva na taça. O nome dele é I Pini 2008, do produtor Fattoria di Basciano, um corte de 34% Syrah, 33% Merlot, 33% Cabernet Sauvignon, que passa por 18 meses em barril de carvalho francês 50&50%.

A vinícola Renzo Masi e a Fattoria di Basciano são duas empresas da família Masi. Esta última localiza-se numa colina às margens do rio Sieve, e foi adquirida em 1932. Uma torre do século XIII domina o casario medieval, rodeado por vinhedos, oliveiras, bosques de carvalho e ciprestes. Nos anos 50 os vinhedos mistos com outras culturas foram substituídos por especializados, e, na década de 90, novamente replantados com alta densidade, sob a supervisão do enólogo e agrônomo Paolo Masi. Hoje a área total da propriedade é de 60 hectares, dos quais 30 são plantados com Sangiovese, Colorino, Canaiolo, Cabernet Sauvignon, Merlot e Syrah. O complexo abriga a cantina de envelhecimento em barricas, que está em processo de renovação completa.

Renzo Masi, por sua vez, é o nome da empresa “negociante”, que compra e produz uvas para os seus vinhos de imbatível relação preço/qualidade. Sua produção é de 1.800.000 garrafas por ano, enquanto que a Fattoria di Basciano elabora 150.000.

A região do Chianti Rufina (pronuncia-se Rufina), no nordeste da zona do Chianti, já foi reconhecida como superior em 1716, pelo edito do grão duque Cosimo III, que a delimitou geograficamente. Os solos são bastante similares às margas argilo-calcárias de Panzano no Chianti Classico, e as várias pequenas elevações ao norte protegem bem os vinhedos, gerando um mesoclima relativamente quente e seco.

Toda a família Masi está engajada atualmente no empreendimento, com o Sr. Renzo e sua mulher Anna Lisa administrativamente à frente, e o talentoso filho Paolo, formado na Universidade de Florença em 1990, no comando técnico, trazendo novo ímpeto para a qualificação e desenvolvimento dos produtos.

O vinhos Renzo Masi – Fattoria di Basciano têm conquistado importantes premiações na mídia especializada internacional (inclusive da célebre revista inglesa Decanter, onde elencou três vinhos entre os melhores abaixo de £20,00), se posicionando entre os tops da região, mesmo com preços muito inferiores à média.


Avaliação Pessoal: ST (91) = Excelente

Visual vermelho rubi brilhante, aromas encantadores de frutas vermelhas, baunilha, coco (palavra paroxítona e sem acento representa a fruta do coqueiro, rsrsrs) explodindo na taça. O paladar apresenta bom corpo, taninos redondos, fruta, baunilha, madeira bem colocada, ótima acidez, fresco, em fim um vinho super agradável e equilibrado. Harmonizei com um cordeiro com risoto de funghi e foi perfeito.

Itália – Toscana/Chianti – Classificação: Colli della Toscana Centrale I.G.T. – 14% Alcool – 8.000 garrafas – Preço: 110,00