A Tannat foi introduzida por volta de 1870 para o Uruguai por imigrantes bascos, tornando-se então a “casta nacional”, bem adaptada ao seu solo e clima. Considerada uma variedade exótica, a demanda está crescendo rapidamente.

O Uruguai é o único produtor no mundo onde existem vinhedos significativos em quantidade ainda mais longas do que em sua terra natal: Madiran e Irouléguy, no sudoeste da França. A Tannat é cerca de um terço da superfície de vinhedos plantados no país.

Com a uva Tannat pode-se elaborar o vinho tinto de maior potencial em cor e corpo que é possível de ser transmitido. É um vinho preferido para acompanhar as refeições, principalmente carnes assadas. É um vinho forte e austero que irá surpreendê-lo.

As vinícolas uruguaias produzem vinho Tannat da qualidade Reserva através do envelhecimento em barricas de carvalho, conseguindo atenuar significativamente a sua dureza, com excelentes resultados. Sua complexidade e sólida estrutura nos permitem elaborar assemblages incomuns. Está sendo usada com Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc, mesmo com a Syrah.

As vinícolas também se dedicaram com esmero para desenvolver vinhos das melhores castas francesas como a Cabernet Sauvignon e Merlot, com envelhecimento em barricas de carvalho, ou vinhos brancos Chardonnay eSauvignon Blanc, de qualidade superior.

Fonte: winesofuruguay