Na noite de ontem a importadora Qualimpor representada no Espirito Santo por Leonardo Dantas e José Eustáquio, receberam enófilos e jornalistas para um jantar harmonizado no melhor restaurante de comida Portuguesa da capital Capixaba, o Porto do Bacalhau. João Palhinha, diretor comercial das vinícolas Herdade do Esporão e Quinta do Crasto no Brasil, apresentou as novas safras de alguns de seus rótulos.

Herdade do Esporão: Em uma região desafiadora no interior de Portugal, o espírito de desafiar e superar limites fez com que fossem produzidos os mais tradicionais vinhos portugueses. Nascia a Herdade do Esporão, uma marca que sempre acreditou no potencial do Alentejo. Com produtos como o Esporão, considerado um dos melhores vinhos portugueses, e o Monte Velho, a Herdade do Esporão é uma vinícola reconhecida por seu amor pela natureza, tradição e inovação.

Quinta do Crasto: Situada à margem direita do Rio Douro, entre a Régua e o Pinhão, a Quinta do Crasto é uma propriedade com cerca de 130 hectares, dos quais, 70 são ocupados por vinhas. Com localização privilegiada e importantes investimentos realizados nos últimos anos, esta tradicional vinícola conta com modernas instalações que produzem vinhos de altíssima qualidade.

Leonardo Dantas, João Palhinha e José Eustáquio / João Palhinha (Esporão) E Wyvianny Merlo (Porto do Bacalhau)

Entradas: Torresmo de bacalhau e tomate com lascas de bacalhau.

O melhor bacalhau do mundo

Vinha da Defesa 2009 – Syrah e Aragonês – Alentejo – 13,5 – ST (85)

Aromas abertos de frutas vermelhas, paladar agradável, equilibrado, acidez viva liberando bom frescor, com muita fruta e final agradável.

Esporão Private Selection Branco 2009 – Semillon, Marsanne e Roussanne – Alentejo – 14,5% – ST (95)

É para ficar admirado com a regularidade na qualidade deste vinho. Mais uma safra e mais uma alegria. Visual amarelo brilhante, aromas encantadores e explosivos de frutas em calda, coco, caramelo, tosta e por ai vai…O paladar e gordo, cremoso, untuoso, acidez simplesmente perfeita, elegante, com muito final de boca.

Crasto Superior 2009 – Touriga Nacional, Touriga Franca, Souzão e Vinhas Velhas – 14% – ST (86+)

Visual púrpura intranponivel, aromas de uva passa, frutas vermelhas e negras e leve nota tostada. O paladar está muito verde, taninos duros, acidez viva, fruta em compota, que no mínimo para o meu gosto tem que envelhecer mais três anos em garrafa para mostrar a que veio.

Roquette & Cazes 2007 – Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Franca – 15% – Douro – ST (91+)

Na taça mostrou ser realmente um vinho para ganhar competição. Muita fruta no nariz aliada a uma madeira bem colocada que remete a aromas de coco. Na boca a força do douro fala alto, estruturado, taninos firmes, acidez viva, chamando para um prato reforçado. Um belo vinho que vai crescer muito na garrafa.

Late Harvest (Colheita Tardia) – Semillon – Alentejo – 14,% – ST (85+)

Um vinho interessante, bem elaborado, com dulçor equilibrado, boa acidez, untoso, com notas frutas e caramelo.

Torta de Sintra