Acabou a minha expectativa, sábado passado pude conhecer na taça a mais recente safra de um dos vinhos mais admirados pelos Capixabas, o Memorias (2007). A safra 2007 do Chile está sendo considerada a melhor de todos os tempos, com condições climáticas super favoráveis.

A colheita ocorreu em Abril de forma manual e cuidadosa em caixas de 13kgs com baixa produtividade (5.400kg/ ha). Os cachos foram selecionados, desengaçados e levemente esmagados. O vinho foi submetido a uma crio-maceração de 8ºC por 5 dias com posterior início da fermentação alcoólica em 16 dias. Maceração pós-fermentativa de 15 dias e trasfega para amadurecimento em barricas.

Depois estagiou por 14 meses em barricas de carvalho francês novas (30%) e (70%) em barricas de 2º uso. Um ano em garrafa antes de sair ao mercado.


Avaliação Pessoal: ST (90+/93)

Rolha em perfeito estado, visual púrpura quase intransponível, aromas encantadores de tabaco, esmalte, café, herbáceo leve e o eucalipto tradicional. O paladar se apresenta com concentração nitidamente maior que a safra anterior, robusto, taninos firmes, acidez viva, com delicioso retrogosto frutado e longo. Um vinho que merece decanter de no mínimo de uma hora e uma boa carne de caça para harmonizar. Tem todas as características de um vinho de longa guarda.

Chile – Maipo – 80% Cabernet Sauvignon e 20% Carmenére – 15% – Decanter, preço médio R$ 120,00