Esteve esta semana visitando a Capital Capixaba a equipe da Vinícola chilena Casa Donoso, já conhecida por aqui e agora com novo importador, a Vinho Sul. O enólogo Felipe Ortiz e o diretor de exportações Rodrigo Vera @rodvera1810 apresentaram alguns de seus rótulos no restaurante Vero, aonde o Chef Vinicius Dobal preparou um menu degustação com o objetivo de ressaltar a qualidade dos vinhos.


Felipe Ortiz(Enólogo), Carlos Meneguel (Vinho Sul/ES), Monica (Vinho Sul/ES), Rodrigo Vera (Export Maneger) e (Benedito)

As origens da Viña Casa Donoso data de 1989, quando um grupo de empresários estrangeiros se encantou com o Fundo La Oriental, um domaine histórico localizado no coração do Valle del Maule. Ele pertencia a Lucia Gatica, uma mulher excepcionalmente encantadora, que inspirou, não só um dos primeiros vinhos engarrafados, Donna Lucia, mas o conceito da Viña Casa Donoso em si, orientada para uma vinificação tradicional e muito voltado para melhor estilo francês . Este trabalho deu origem aos vinhos, que agora representam Viña Casa Donoso. Ao longo dos anos, a vinha dobrou com a incorporação de um terroir na região de San Javier, um pouco mais ao sul. Hoje, Viña Casa Donoso tem novos proprietários, fortemente comprometida com as linhas clássicas de vinhos-icon , premium e varietal, uma presença nos cinco continentes e uma equipe de primeira classe para cultivar e colher as melhores uvas para o melhor vinho. Bem-vindo à Casa Donoso!

A empresa possui dois diferentes vinhedos no Vale de Maule. A inicial, Fundo La Oriental situada a leste de Talca, (daí seu nome), Capital da região VII. O segundo, um pouco mais ao sul, Fundo Las Casas, está situado no meio de colinas e uma paisagem pastoral.


O enólogo Felipe Ortiz

A dança das taças

Rolha em perfeito estado, um ótimo sinal, que no mínimo mostra uma importação responsável.

Menu degustação elabora pelo Chef Vinícius Dobal

Bicentenario Reserva 2008 – 100% Chardonnay – Maipo Valley – R$ 40,00 – 13,5% – ST (87)

  • Visual amarelo palha translúcido, aromas surpreendentes, fugindo totalmente do tradicional da casta, lembrando mais um SB com suco de caju. Pitanga e carambola. O paladar e leve, fresco, agradável, um bom aperitivo. Um pouco mais de acidez o deixaria imbatível.

Salada de Lagosta com molho de manga, laranja e gegibre

Bicentenário Carmenére 2008 – 100% Carmenére – 13,5% – Maule – R$ 45,00 – ST (85)

  • Visual rubi escuro, madeira passa um pouco por cima da fruta, prevalecendo aromas de estrebaria e madeira velha, não se percebendo as características de um carmenére. O paladar mostra bom corpo, acidez viva, taninos a amaciar, final mostra média persistência.

Nhoque de Ragu de Costela

Casa Donoso 1810 2007 – Cabernet Sauvignon & Carmenére – 13,5% – Maule – ST (88) – r$ 85,00

  • O 1810 já mostra um salto de qualidade e equilíbrio. Visual rubi brilhante, aroma encantador e franco, aonde a Cabernet a meu ver fez o trabalho de equilibrar os aromas, tirando a intensidade do pimentão e o herbáceo, liberando uma fruta limpa e de qualidade. O paladar confirma o nariz, acrescentando uma boa cremosidade, baunilha, madeira bem colocada, bom frescor, com final bem agradável, harmonizando perfeitamente com o prato abaixo.

Filet ao molho Roti e risoto de cebola caramelizada

‘D.” Donoso 2007 – Cabernet, Carmenére, Malbec e Cabernet Franc – 14% – ST (90+) – r$ 185,00

  • Mais um belo vinho na taça, desta vez foi o D Donoso, top da vinícola. O vinho mostrou um visual quase intransponível, aromas complexos, especiarias, frutas vermelhas, baunilha, cedro, café, couro, que se alternavam na taça. O paladar mostrou equilíbrio, gordo, amplo, boa acidez,muita fruta, baunilha, cremosidade, madeira bem colocada, com final longo e agradável.

Pana Cotta com calda de Mirtilios e Fraboesa!

A turma de sortudos convidados!!!