Bem meus amigos, ontem completei 8 anos de casamento. Fazendo uma analogia ao vinho, quando no casamento existe qualidade, evolui muito bem. E graças a Deus o meu casamento é assim com um grande vinho, estruturado e ao mesmo tempo delicado, integrado, evoluído muito bem.

Para comemorar decidi abrir a principio o Yacochuya 2001 ST (94+), um vinho argentino elaborado por Michael Rolland, que me surpreendeu de forma positiva na taça. O visual apresentou um acastanhado típico dos vinhos evoluídos, aromas complexos de figos em calda, cedro, especiarias, própolis que se alternavam a todo tempo na taça. O paladar estava cremoso, intenso, equilibrado, que apesar dos seus incríveis 16% de álcool, que não se fazia sentir. Um vinho que vai evoluir muito bem com o passar dos anos, tem bagagem para isso.

Não satisfeito, decidi então arrumar uma rival para o argentino, abri uma garrafa de Don Melchor 2002 ST (90+), um dos mais conceituados vinhos chilenos da atualidade. Na taça a diferença de estilo se mostrou gritante e evidente. Apesar de 9 anos de safra o vinho se apresentou primário, coloração fechada, quase intransponível, aromas lácteos que me incomodou um pouco. O paladar mostrou força, mais agradável que no nariz, aveludado, também bastante equilibrado, com uma ótima persistência.