Dificilmente se encontra uma pessoa que não goste de um vinho chileno. Em um dia desses de frio aqui na capital capixaba, reunimos os amigos no La Dolina com a proposta de harmonizar um risoto de tomate confitado acompanhado de uma fraldinha feita no método argentino. Dentro de todos os vinhos levados entre eles franceses, italianos, argentinos, o Miguel Torres Manso de Velasco 2007 foi o mais elogiado.

A espanhola Miguel Torres em 1979 comprou uma pequena vinícola no Chile, região do Curicó, uma das maiores e mais antigas regiões vinícolas do Chile. Torres foi a primeira empresa estrangeira a se estabelecer no Chile, implementando práticas modernas de produção. Um exemplo, os primeiros tanques de aço inoxidável foram trazidos pela empresa.

O nome Manso de Velasco foi uma homenagem a José Antonio Manso de Velasco então Governador do Chile. Outro detalhe, é elaborado de uvas provenientes de vinhedos com mais de 100 anos, é mole!


Avaliação Pessoal: ST (91+)

O vinho realmente impressiona pela bela coloração quase preta, aromas ainda primários de frutas em compota, chocolate, tosta que logo se mostram na taça. Na boca é potente, gordo, taninos firmes, acidez viva, com um belo final frutado e longo. Foi uma ótima companhia para o prato!

Chile – Vale do Curicó – 100% Cabernet Sauvignon – Preço: 160,00