A segunda participação dos vinhos brasileiros na New York Wine Expo, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, terá a participação de oito vinícolas, quase o triplo da estreia no ano passado. A comitiva brasileira ocupará quatro mesas – com o patrocínio do Ministério das Relações Exteriores (MRE) –, de 25 a 27 de fevereiro, na NY Wine Expo, uma feira voltada ao trade e também aberta ao consumidor norte-americano, que terá a oportunidade de conhecer e degustar vinhos de diversos países e produtores no Jacob K. Javits Convention Center.

O time do Wines of Brasil, projeto realizado pelo Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) com o objetivo de posicionar o vinho brasileiro no mercado internacional, já está escalado com Aurora, Lidio Carraro, Casa Valduga , Miolo e a trading Suriana, que representará as vinícolas Geisse, Sanjo, Santo Emílio e Dom Cândido. Na edição de 2010, Casa Valduga, Lidio Carraro e Miolo participam pela primeira vez desta feira, que este ano deve receber em torno de 150 expositores e 600 vinhos de todos os lugares do mundo.


A ação conta com o planejamento e acompanhamento da representante dos vinhos brasileiros em Nova Iorque, a consultora Nora Favelukes, presidente da QW Wine Experts, radicada há mais de 20 anos nos EUA, e que desde o ano passado trabalha para o Wines of Brasil. “Intensificamos no ano passado a promoção dos produtos brasileiros nos Estados Unidos, que é o segundo país importador de vinhos no mundo”, afirma a gerente de Promoção Comercial do Wines of Brasil, Andreia Gentilini Milan.

Segundo ela, dentro da programação da feira de vinhos nova-iorquina haverá um seminário sobre vinhos brasileiros para cerca de 40 convidados. “Este seminário busca ampliar o conhecimento dos produtos brasileiros entre os importadores e, depois, entre os consumidores norte-americanos”, comenta. O evento está marcado para as 15h30, com duração de uma hora, do dia 27 de fevereiro.


Rodada de Negócios

Para potencializar a participação na New York Wine Expo e atender um pedido das vinícolas, o Wines of Brasil, em conjunto com o MRE, realizará no dia 24 de fevereiro uma Rodada de Negócios na Embaixada do Brasil em Nova Iorque com a presença das vinícolas que estarão presentes na feira, exceto Casa Valduga e Miolo, que já contam com importadores nos EUA.   

Conforme Andreia, a intenção da Rodada de Negócios é dar seguimento aos contatos realizados pelas vinícolas no evento “Buscando Importador”, que ocorreu no dia 30 de setembro do ano passado. Na ocasião, cada vinícola realizará reuniões com potenciais importadores durante toda a tarde. As rodadas acontecerão das 14h30 às 18h, com a organização de Nora Favelukes, da QW Wine Experts. “Vamos seguir as conversas iniciadas no ano passado, buscando concluir as negociações com importadores para as vinícolas brasileiras interessadas no mercado norte-americano”, explica.   

Presente e futuro

A gerente de Promoção Comercial do Wines of Brasil destaca que os Estados Unidos é o país mais representativo para a exportação de vinho brasileiro, já tendo registrado a importação de vinhos de 22 empresas verde-amarelas. O segundo colocado, a Alemanha, adquiriu vinhos de 13 empresas brasileiras. Os norte-americanos compraram cerca de US$ 2,3 milhões em vinhos brasileiros nos últimos cinco anos.

Estimativas de especialistas apontam que o mercado americano será o maior mercado consumidor de vinhos no mundo daqui quatro anos. “É um grande mercado, cuja produção interna representa 70% do vinho consumido pelo norte-americano, mas com 30% de vinhos importados, o que é um volume gigantesco. Só com esse volume, eles são hoje o terceiro maior importador de vinhos do mundo”, salienta Andreia.

Histórico

Na New York Wine Expo do ano passado, a Casa Valduga buscou e conseguiu um distribuidor para seus vinhos em Nova Iorque. A Lidio Carraro encaminhou contatos com diversos importadores. A Miolo, que já possuía distribuição nacional nos Estados Unidos, usou a feira para promover os seus vinhos entre os consumidores norte-americanos.

“Foi a primeira oportunidade em que participamos de um evento para consumidores. Pudemos notar a aceitação e a curiosidade dos vinhos brasileiros”, recorda Andreia. Cerca de 7 mil visitantes passaram pela feira durante os seus três dias de realização. “O espaço do Brasil esteve sempre bem movimentado”, conta Andreia.  

Crédito: Ana Paula Kleinowski / Ibravin

 Orestes de Andrade Jr./Assessoria de imprensa