Casa Valduga Sur Lie, o primeiro espumante sem dégorgement da marca!

Amigos, semana passada estive mais uma vez na Serra Gaúcha, Rio Grande do Sul, para participar como jurado do X Concurso do Espumante Brasileiro, que acontece de dois em dois anos na região.

Em paralelo ao concurso participei de diversas atividades, entre elas uma visita a vinícola Casa Valduga, localizada no Vale dos Vinhedos, referência quando o assunto é a qualidade de sucos, espumantes, vinhos finos e até cerveja.

Durante o almoço farto e saboroso no restaurante Maria Valduga, localizado dentro do complexo enoturistico, tive a oportunidade de provar seu mais novo produto, o espumante Casa Valduga Sur Lie.

Suas 3.000 garrafas numeradas são produzidas pelo método tradicional, com uvas Chardonnay e Pinot Noir. Até aqui tudo normal. A diferença é que esse espumante não passa pelo processo de dégorgement/degola (remoção das leveduras que ficam em suspensão durante a fermentação/remuage) e consequentemente, sem dosagem pós-dégorgement de licor de expedição (sem açúcar – classificação Nature).

Sur Lie é o nome dado a técnica que permite que a bebida permaneça em constante evolução, na presença de leveduras, até a abertura da garrafa.

Por não passar por este processo as leveduras continuam a trabalhar enquanto a garrafa mantem-se fechada. Esse é o seu grande diferencial, continua envelhecendo por tempo indeterminado e a decisão de interromper esse processo é única e exclusiva sua, que decidirá o tempo de maturação da bebida, para aprecia-la conforme sua preferência. Lembrado que já sai para o mercado com no mínimo 30 meses de maturação.

Para confirmar minha opinião trouxe mais uma garrafa para prova e a impressão foi a mesma. Na hora de abrir a garrafa não estranhe, a tampa é de cerveja mesmo. Na taça mostrou um visual levemente turvo em virtude das leveduras, tem borbulhas delicadas e persistentes, aromas de frutas tropicais e de panificação. No paladar é fresco, com notas amendoadas e excelente corpo. Vai como aperitivo, entradas leves, frutos mar, comida japonesa, mas tem estrutura para acompanhar pratos mais elaborados.

Avaliação Pessoal: Silvestre Tavares (ST 91) – Preço: R$ 74,64

Onde encontrar:  

Carlos Abarzúa é eleito Enólogo do Ano 2017

O título de Enólogo do Ano 2017 saiu para um especialista em espumantes. Carlos Abarzúa, enólogo da Vinícola Geisse há mais de 30 anos, nasceu no Chile, mas veio para o Brasil na década de 1980. Ele recebeu o reconhecimento dos colegas de profissão e da Associação Brasileira de Enologia (ABE), que outorga o prêmio desde 2004, em evento que reuniu mais de 150 enólogos na noite desta sexta-feira, 27, no Salão de Eventos Malbec, no Dall’Onder Grande Hotel. O jantar de confraternização foi alusivo ao Dia do Enólogo e aos 41 anos da entidade, comemorados em 22 de outubro.

Abarzúa foi eleito pelos colegas de profissão que integram o quadro social da entidade. Ele é o 14º enólogo a conquistar a distinção conferida pela ABE, com o objetivo de enaltecer o profissional que, durante sua trajetória, soube conduzir seu trabalho, não só qualificando o vinho, mas aportando ao mundo do vinho algo a mais. Os 98 enólogos que votaram indicaram 40 nomes, mas foi o de Carlos Abarzúa que somou o maior número de indicações.

Como prêmio, o Enólogo do Ano 2017 ganhará uma viagem técnica com a finalidade de visitar uma feira do setor vitivinícola. O chileno veio para o Brasil na década de 1980 e atua há mais de 30 anos na Geisse. Com formação pelo Inacap de Santiago do Chile, já participou de mais de 20 congressos e seminários no Brasil e no exterior. Também é degustador em concursos internacionais no mundo inteiro, tendo participado em eventos no Brasil, Bulgária, Espanha, Eslovênia, Estados Unidos, Itália e Panamá.

Realizou diversos cursos de especialização na Argentina, Chile, Espanha, Estados Unidos, França e Portugal. O especialista em espumantes, foi presidente da ABE no biênio 2008-2009. “Carlos Abarzúa é um dos enólogos que conquistou posição de liderança no setor e merece nosso reconhecimento. A escolha expressa a vontade dos associados e nos deixa orgulhoso em saber que o Brasil pode contar com o profissionalismo de enólogos como o Abarzúa”, destaca o presidente da ABE, Edegar Scortegagna.

ENÓLOGOS HOMENAGEADOS

Enólogo do Ano 2004 – Antônio Czarnobay

Enólogo do Ano 2005 – Gilberto Pedrucci

Enólogo do Ano 2006 – Firmino Splendor

Enólogo do Ano 2007 – Adriano Miolo

Enólogo do Ano 2008 – Ismar Pasini

Enólogo do Ano 2009 – Nauro José Morbini

Enólogo do Ano 2010 – Lucindo Copat

Enólogo do Ano 2011 – Daniel Dalla Valle

Enólogo do Ano 2012 – Dirceu Scottá

Enólogo do Ano 2013 – Juliano Daniel Perin

Enólogo do Ano 2014 –  Delto Garibaldi

Enólogo do Ano 2015 – Christian Bernardi

Enólogo do Ano 2016 – Flávio Zílio

Enólogo do Ano 2017 – Carlos Abarzúa

WSET Wine Tasting Notes: aplicativo gratuito ajuda armazenar suas impressões sobre vinho de forma organizada e profissional!

O Wine and Spirits Education Trust (WSET), uma organização dedicada a fornecer qualificações reconhecidas mundialmente no vinho, acaba de lançar um aplicativo de notas de degustação, baseado no Systematic Approach to Tasting (SAT) no Nível 2, chamado WSET Wine Tasting Notes.

O aplicativo é gratuito e está disponível tanto no iTunes quanto no Google Play. Ele orienta os usuários através do processo de avaliação, a partir da aparência do vinho, aroma e paladar.

Também permite aos usuários armazenarem imagens dos vinhos e outras notas úteis. Embora seja uma grande ajuda para os alunos do WSET, todos os amantes do vinho podem se beneficiar com o uso, pois permite que você armazene suas notas e impressões sobre o vinho de forma organizada e profissional.

O aplicativo WSET Wine Tasting Notes não faz parte de um curso, mas foi criado para ser uma ferramenta útil para estudantes de todos os níveis. Ele inclui dicas úteis sobre como gravar suas anotações e oferece um ótimo provador das habilidades que uma pessoa pode adquirir com um curso WSET.

Inclui uma base de dados de mais de 300 países e regiões produtoras de vinhos, mais de 100 variedades de uvas, um abrangente descritor de aromas, registro de notas em modo de degustação “cego”, e capacidade de armazenar fotos dos vinhos.

Google Play

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.wset.tastingapp

App Store

https://itunes.apple.com/us/app/wset-tasting-notes-wine/id1291862104?mt=8

Cantina do Bacco da Praia do Canto inaugura hoje sua varanda!

A Cantina do Bacco da Praia do Canto ganhará um novo espaço para receber os clientes a partir desta quinta-feira (26). A casa, que passou por um projeto de expansão, agora conta com a tradicional varanda, já presente nas outras unidades em Vitória.

Assinado pela arquiteta e urbanista Liane Destefani, o espaço da varanda tem as cores verde e vermelho, que fazem referência à bandeira da Itália, e azul, propiciando um ambiente intimista. A varanda tem capacidade para 30 pessoas sentadas e é ideal para os clientes que querem aproveitar um almoço ou jantar com vista para a rua Joaquim Lírio, reduto disputado na Praia do Canto.

Além disso, a varanda é uma ótima pedida para aproveitar o happy hour da casa – a partir das 17h, com novos drinks como o Cadão Tônic (Cadão Moscatel Douro, água tônica e folhas de hortelã, R$ 23,00).

A Cantina do Bacco também ganhará uma área VIP, própria para receber grupos de amigos que buscam um espaço exclusivo e diferenciado dentro do estabelecimento. A capacidade do espaço será de 30 pessoas.

Novidades no cardápio e adega

Junto com a inauguração da varanda, a casa conta com um novo cardápio, com pratos em três opções de tamanhos: para uma pessoa, para duas pessoas e para até 3 pessoas. Além disso, há a opção da troca dos acompanhamentos, o que deixa o cliente bem à vontade. Entre as novidades de pratos estão o Ribeye com Spaghetti com Ervas (R$ 52,00), Arroz de Polvo (a partir de R$ 58,00) e a Salada de Polvo (R$ 55,00).

Na parte dos vinhos, a Cantina do Bacco da Praia do Canto conta com uma adega totalmente reformulada, com mais de 350 rótulos, entre vinhos tintos, brancos, rosés, porto e espumantes.

Do Chile, destaque para os vinhos da linha Siegel e San Vicente. De Portugal, destaque para os vinhos da linha Cadão e Quinta da Pedra Alta. Da Argentina, destaque para o vinho Chateau Vieux. Da Espanha, destaque para o Baron de Escal. A adega também conta com vinhos de países como Itália e França.

Para aqueles que procuram um ótimo custo-benefício e pretendem gastar em torno de R$ 50,00 a R$ 70,00 por garrafa, a Cantina do Bacco da Praia do Canto tem diversas opções. Entre elas, o vinho Don Paulo, vinho verde QPA e outros.

Para os fãs de espumantes, o Lopez Brut, Veuve Cliquot, Moet Chandon, Rivani e outros..

Serviço:

Cantina do Bacco da Praia do Canto

Endereço: Rua Joaquim Lírio, nº 240, Praia do Canto.

Horários de funcionamento: De terça a quinta-feira, das 17h às 00h/Sexta-feira e sábado 12h às 00h e domingo, das 12h às 16h

Telefone: (27) 2142-3040.

Brasileiros estão consumindo mais vinhos chilenos

Potência na indústria do vinho no chamado Novo Mundo, o Chile acaba de divulgar, através da associação Wines of Chile, os dados mais recentes de suas exportações de vinhos. As informações são de agosto deste ano e indicam crescimento, em relação ao mesmo período em 2016, de 23,5% em volume e 26% em valor nos envios de vinhos ao Brasil.

O aumento das exportações em volume indica que os brasileiros estão consumindo mais vinhos chilenos; o crescimento em valor está relacionado, especialmente, à categoria de vinhos premium, que têm conquistado cada vez mais espaço em nosso mercado e impacta na elevação desse dado.

“O resultado é reflexo das estratégias da Wines of Chile, que vem focando suas ações na difusão do segmento premium, representado por rótulos mais complexos, sofisticados, com alto potencial de guarda e elaborados nos mais variados terroirs do Chile”, resume Mario Pablo Silva, presidente da associação.

Esses vinhos também representam as singularidades do país, que possui vales com vocação especial para vinhos de alta gama, como o Vale de Colchagua; passando por vinhedos tradicionais em regiões como o Vale do Maule, Vale do Maipo e Vale de Casablanca; chegando a regiões extremas como o Vale de Copiapó (ao Norte) e o Vale de Osorno (ao Sul).

De maneira geral, até o momento o aumento acumulado das exportações de vinho chileno é de 5,1% em volume e 5% em valor. Neste bom desempenho, destacam-se, além do Brasil, a China (elevação de 24,4% em volume e 29,1% em valor). Os rótulos do Chile lideram o ranking de vinhos importados no Brasil desde 2002 e fecharam 2016 detendo 47% do mercado.

Casillero del Diablo lança rótulo comemorativo ao Halloween

A lendária marca de vinho Casillero del Diablo, da vinícola chilena Concha y Toro, acaba de lançar uma edição limitada do Reserva Cabernet Sauvignon em comemoração ao Halloween. Batizado de Devilish Release, o conteúdo da garrafa é o mesmo do rótulo tradicional. A grande novidade fica por conta da embalagem diferenciada, que remete ao tema do Dia das Bruxas.

Embora tenha sido lançado no País neste ano, o rótulo já faz parte das comemorações do Halloween dos Estados Unidos, México, Costa Rica, Colômbia, China, Japão, Coréia do Sul e Singapura.

“O vinho tem uma excelente aceitação e resultado de vendas nos mercados estrangeiros. O rótulo complementa o portfólio da marca e atende aos consumidores que buscam algo diferente neste período e, por isso, resolvemos trazer a novidade para o Brasil”, observa Michele Carvalho, gerente de Marketing de Casillero del Diablo.

A edição limitada Devilish Release está disponível no e-commerce da marca e pode ser adquirido pelo www.conchaytoro.com.br. Também está à venda nas principais lojas do Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo. O preço sugerido é R$ 48,00.

Vinícola Campos de Cima faz parceria com a Azul Linhas Aéreas no Outubro Rosa

A Vinícola Campos de Cima, uma sociedade 100% feminina, e a Azul Linhas Aéreas, fecharam uma parceria em que clientes da Azul Business – classe executiva da companhia em seus voos internacionais – recebem um Welcome Drink do premiado espumante Rosé Campos de Cima. A ação está disponível, durante o mês de outubro, para três destinos internacionais – uma na Europa (Lisboa, Portugal) e dois nos Estados Unidos (Orlando e Fort Lauderdale) – nos voos partindo de São Paulo (Viracopos).

A iniciativa faz parte do “Outubro Rosa”, que nasceu com o objetivo de alertar e lembrar as pessoas quanto à importância da prevenção e do diagnóstico da doença que mais mata mulheres no país, o câncer de mama.

“Este é um tema de grande relevância e que tem que estar bem presente em todas as mulheres”, comenta Hortência Ayub, sócia proprietária da Vinícola Campos de Cima. “O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, em grande parte dos casos, aumentando assim as chances de tratamento e de cura. O autoexame é de extrema importância, bem como as consultas regulares ao seu médico”, alerta.

Para dar início à ação, Hortência esteve presente em um voo para Lisboa, apresentando a Vinícola e o espumante Rosé num bate papo informal com os clientes da Azul Business.

Espumante Rosé Campos de Cima

O Rosé Campos de Cima é um espumante Brut, elaborado com as uvas Chardonnay e Pinot Noir pelo método tradicional, mesmo método pelo qual são elaborados os champanhes franceses. Passa um mínimo de 24 meses em envelhecimento com as leveduras, sendo um espumante bastante complexo, com uma perlage fina e delicada. Esta edição limitada de 3.200 garrafas venceu Medalha de Ouro no Concurso Mundial Bruxelas – Brasil 2016 e é já um dos espumantes mais famosos da Campanha Gaúcha.

Conheça os 10 Vinhos Portugueses da década por Jancis Robinson

A mais influente jornalista e “Master of Wine” do mundo esteve hoje (23/10/2017) em Portugal a convite da REVISTA DE VINHOS. Para celebrar 10 anos de colaboração com a EV-Essência do Vinho, a publicação portuguesa especializada em vinho, gastronomia e enoturismo desafiou Jancis Robinson a apresentar os 10 vinhos portugueses que mais a marcaram na última década.

Soalheiro Primeiras Vinhas, branco, Vinho Verde

Quinta dos Roques 2007, branco, Dão

Barca Velha 1999, tinto, Douro

Quinta do Crasto Vinha Maria Teresa 2005, tinto, Douro

Luis Pato Vinha Barrosa 2005, tinto, Bairrada

Niepoort Batuta 2007, tinto, Douro

Poeira 2011, tinto, Douro

Bojador Vinho de Talha 2015, tinto, Alentejo

Barbeito Ribeiro Real Tinta Negra Lote 1, 20 Years, vinho Madeira

Graham’s Single Harvest Tawny Port 1972, Vinho do Porto

Conheça as amostras premiadas no Concurso do Espumante Brasileiro 2017

97 espumantes premiados, 97 Medalhas de Ouro. O alto padrão dos espumantes brasileiros mais uma vez foi revelado na principal degustação às cegas do produto no país. O X Concurso do Espumante Brasileiro, promovido pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), é o maior da história com 308 amostras de 80 vinícolas. Desta vez, todos os classificados entre os 30% em cada categoria, conforme normas internacionais, alcançaram pontuação correspondente a Medalha de Ouro, ou seja, de 88 a 91 pontos.

“Depois de 10 anos com um crescimento quase exponencial em número de amostras, atingimos um recorde, superamos as 300 amostras, o que demonstra a importância do espumante para o Brasil e nos coloca com responsabilidade para produzirmos sempre com mais qualidade, safra após safra”, destaca o presidente da ABE, Edegar Scortegagna. O enólogo disse que é preciso refletir e, cada vez mais, buscar qualidade. “O espumante brasileiro atingiu um alto nível, onde não podemos nos permitir cometer erros. Devemos manter o alto padrão de qualidade reconhecido mundo afora. E para isso, precisamos buscar matéria prima correta e modernizar nossas vinícolas, pois hoje podemos afirmar, sem medo, que o espumante brasileiro está entre os melhores do mundo”, enfatiza.

O editor do Blog Vivendo a Vida, Silvestre Tavares, foi um dos jurados.

Considerado a principal janela para o mundo dos espumantes brasileiros, o X Concurso do Espumante Brasileiro reuniu um júri formado por 53 profissionais entre enólogos, sommeliers e jornalistas especializados. As degustações aconteceram nos dias 18 e 19 de outubro, na Câmara da Indústria e Comércio de Garibaldi (CIC), integrando a programação da Fenachamp 2017. A divulgação dos resultados e entrega das medalhas ocorreu em coquetel realizado na noite do dia 20 de outubro no CTG Sentinela da Serra, no Parque da Fenachamp, em Garibaldi (RS).

Participaram espumantes elaborados por vinícolas de sete estados brasileiros, sendo eles: Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, numa demonstração da diversidade da produção nacional. Os espumantes foram degustados às cegas, seguindo normas internacionais, dentro de suas categorias: espumantes de segunda fermentação (charmat e tradicional) e espumantes de primeira fermentação (moscatéis). O concurso seguiu as normas da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) e da União Internacional de Enólogos (UIOE).

Lista completa em PDF do Concurso do Espumante Brasileiro 2017

https://pt.scribd.com/document/362169410/Premiados-no-Concurso-Brasileiro-do-Espumante

PRÊMIO DESTAQUE CLEBER ANDRADE

O 10º Concurso do Espumante Brasileiro seguiu o formato da edição anterior, prevendo uma distinção especial concedida a espumantes que se sobressaírem em suas categorias. O objetivo é exaltar ainda mais a produção nacional. Este ano, o prêmio carrega o nome de Cleber Andrade, uma homenagem que a ABE presta ao ex-presidente e um dos enólogos mais marcantes que o Brasil já teve.

O Destaque Cleber Andrade foi entregue a seis espumantes, um em cada categoria. Para isso, ao final do concurso, foi realizada uma degustação de preferência entre os produtos que conquistaram Medalha de Ouro e melhores medianas, a fim de destacar a preferência dos jurados.

DESTAQUES

Destaque Cleber Andrade – Categoria Espumante Brut elaborado pelo método charmat

Ponto Nero Espumante Brut – Domno do Brasil Indústria e Comércio de Bebidas

Destaque Cleber Andrade – Categoria Espumante Brut elaborado pelo método tradicional

Monte Paschoal Dedicato Espumante Champenoise Brut

Basso Vinhos e Espumantes

Destaque Cleber Andrade – Categoria Espumante Brut Rosé

Cave Amadeu Espumante Brut Rosé – Vinícola Geisse

Destaque Cleber Andrade – Categoria Espumante Nature e Extra-Brut

Don Guerino Cuvée Espumante Extra Brut – Don Guerino Vinhos Finos

Destaque Cleber Andrade – Categoria Espumante Moscatel

Monte Paschoal Dedicato Espumante Moscatel Rosé

Basso Vinhos e Espumantes

Destaque Cleber Andrade – Categoria Espumante Demi-Sec

Conde de Foucauld Espumante Demi-Sec Branco

Cooperativa Vinícola Aurora

Vale dos Vinhedos apresenta projeto para criação da Zona Franca de Vinhos

Na ultima terça-feira, 17, uma comitiva de Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul e Garibaldi esteve reunida, em Brasília, com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Durante o encontro foi apresentado o projeto para criação da Zona Franca de Vinhos, no Vale dos Vinhedos. Os Prefeitos Guilherme Pasin, de Garibaldi, Antônio Cettolin, de Monte Belo do Sul, Adenir Dallé, o Vereador Eduardo Viríssimo e a diretora da APROVALE, Deborah Villas Boas estiveram presentes. Além disso, os Deputados Federais João Derly (REDE) que articula junto aos Ministério a viabilidade do projeto, e Luiz Carlos Heinze (PP) acompanharam o grupo.

Conforme o Prefeito de Bento Gonçalves foram discutidas ações para viabilizar a implementação da Zona Franca. “Esse é mais um passo para concretização de um importante projeto, que reforçará ainda mais o turismo, o crescimento de investimentos e a geração de empregos na região do Vale dos Vinhedos. Com a diminuição da carga tributária, aumentaremos a venda do produto, movimentando o setor”, destaca. Atualmente 54,73% do valor de uma garrafa de vinho é em impostos. A proposta inicial prevê uma validade de 12 anos após sua aprovação.

O Presidente da Câmara aprova a concretização do projeto, e sinalizou a vontade de conhecer o Vale dos Vinhedos.

Idealizado por empreendedores do distrito, encampado pela Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale), o pleito foi apresentado nesta quarta-feira, 18, na audiência pública com o tema “Demandas, entraves e possibilidades de desenvolvimento do Enoturismo no Brasil” na Comissão do Turismo.