1° Encontro das Chefs: Nove dias de gastronomia no Shopping Praia da Costa | 2 a 10 de maio | Vila Velha

Renomadas chefs ensinam seus segredos durante aulas abertas ao público em comemoração ao Dia das Mães no primeiro evento destinado à valorização da gastronomia feita por mulheres

Nove dias dedicados à gastronomia para celebrar o Dia das Mães. Assim chega o 1° Encontro das Chefs, valorizando a gastronomia feita por mulheres no Espírito Santo. O evento reúne renomadas chefs, entre elas capixabas, paulista e até uma chef peruana, entre os dias 2 e 10 de maio para aulas-shows abertas ao público, no Shopping Praia da Costa, em Vila Velha. Todos os dias, nos horários de 15h, 18h e 20h uma aula diferente será apresentada, com 30 lugares para quem quiser assistir. Quem estiver fora do espaço reservado poderá acompanhar tudo por meio de telões em toda a Praça de Alimentação. Além disso, haverá uma Vila Gastronômica funcionando durante todos os dias, das 15h às 22h. Serão dez tendas contendo restaurantes, flores e produtos regionais.

As flores e os agroprodutos estarão disponíveis com suas tendas todos os dias. Os demais espaços serão alternados entre restaurantes. Participam do evento o Pancakes on the Beach, Della Bistrô, Los Chicos, Ristorante Valentina, De Passagem, Daju Bistrô, Bem Fit, Via Gourmet, Ana Flávia Trindade, Vila dos Chefs, Chocolateria Brasil, Regina Maris, Preferito e a personal chef Giana Tonini. Os restaurantes estarão servindo pratos individuais no valor máximo de R$ 15,00.

Aulas

A aula inaugural ficará por conta do padrinho do evento: chef Juarez Campos. Ele falará sobre a cozinha ítalo capixaba. O renomado chef abraçou a ação para dar destaque e incentivo às mulheres chefs de cozinha no Estado. A aula inaugural contará, também, com a presença da chef do Carone Gourmet, Arlete Nunes.

A chef Pamela Tello é a presença internacional do evento, que virá ao Estado contar os segredos do ceviche. Outra convidada é a chef Janaína Rueda, que comanda o famoso bar paulista Dona Onça e está entre as 10 Top Chefs Brasileiras. Também de São Paulo, virá a chef Bianca Calheiros especialista em alimentação infantil. Além delas, participam do evento 21 chefs capixabas, entre professoras e chefs de famosas cozinhas no Estado.

A participação de professoras é também um marca do evento: da UVV participam Andrea Souto, Cynthia Paixão, Cynthia Amorim, Virna Brandão, Giovana Moyses e Marcela Bourguignon; da faculdade Novo Milênio, Lilia Meireles, Maria Luiza Gireli, Carolina Morais, Fernanda Cassa e Isaura Caliari;  e também a professora do IGA Letícia Leite.

Entre as chefs capixabas, destacamos Regina Maris, do restaurante que leva seu nome; Roseli Nanami Valle, chef do Pancakes on the Beach; a personal chef Giana Tonini; Julia Farias que comanda o Daju Bistrô; Luiza Daher, do Vila dos Chefs; Cleuza Costa do Della Bistrô; Sylvia Lis, chef e gerente de cerimonial do Governo do Estado; Cecília Cunha do Restaurante Alecrim Cozinha Artesanal de Pedra Azul; Flávia Gama, responsável pelas delícias da Chocolateria Brasil; Carol Cicone, que comanda o novíssimo foodtruck Hasta La Pista; e a historiadora e doutora em História da Gastronomia Patrícia Merlo.

O encerramento acontece em 10 de maio, Dia das Mães, e fica por conta do chef, professor e apresentador Alessandro Eller que vem acompanhado por sua mãe, Zilda Eller. O dia será dedicado às mamães, mas os filhos também vão se divertir. A tarde terá aulas especiais para os pequenos, ensinando a preparar cupcakes e brigadeiros para presentear as mães.

Vila Gastronômica

Culinária saudável, afetiva, brasileira, espanhola, peruana, capixaba, panificação, sanduíches, finger foods, brigadeiros e cupcakes estão entre os temas que serão abordados. Será uma verdadeira viagem gastronômica, já que além das aulas, as tendas da Vila Gastronômica contarão com restaurantes das mais diversas especialidades, entre elas a mexicana, norte-americana e brasileira.

Novidade no evento são as bike foods, que vêm de São Paulo e Rio de Janeiro. Haverá Tasty Café, Cacau Festa, Carolinas Feito em Casa, Don Coneone – pizzas cone, Pão de Mel da Gema. Além disso, dois food trucks também participam. O Avenida Brigadeiros fará sua estreia na entrada principal do Shopping Praia da Costa durante o evento. O truck estará funcionando para atender ao público das 15h às 21h, com um cardápio contendo opções do brigadeiro de colher e boleados com 22 combinações de sabores diferentes. A outra participação é do Hasta La Pista, truck de sanduíches gourmet que iniciou sua jornada há três meses, da chef Carol Cicone.

Distribuídos entre as tendas da vila, 16 restaurantes servem pratos e porções no valor máximo de R$ 15. São eles: Pancakes on the Beach, Della Bistrô, Valentina, Los Chicos, Via Gourmet, Ana Flavia Trindade Bolos e Cupcakes, Preferito, Giana Tonini Personal Chef, Chocolateria Brasil, Vila dos Chefs, Regina Maris, La Dolina, Daju Bistro, De Passagem e Bem Fit.

Além das atividades gastronômicas, todos os dias contarão com programação cultural de música e dança.

Serviço: 1° Encontro das chefs

  • Local: Shopping Praia da Costa (Vila Velha/ES)
  • Data: 2 a 10 de maio
  • Horário: das 15h às 22h
  • Informações: (27) 3320-6000
  • WhatsApp: (27) 9 9506-4608
  • Entrada gratuita.

Programação de aulas – I Encontro das Chefs (2 a 10 de maio)

Dia 2 de maio (sábado)

  • 15h: Andrea Souto e Cynthia Paixão (Chefs e professoras da UVV)

Tema: Cozinha Afetiva – Receitas Francesas (lanches de mãe): Quiches e tartaletes

Detalhes: Massas básicas que servem para a confecção de quiches e tarteletes. A proposta é a execução de 2 quiches de fácil execução (a clássica lorraine e uma de alho poró com peito de peru defumado) e 2 tartaletes com um creme base e variação de cobertura de frutas. Os dois pratos são rápidos e adequados para lanches da tarde ou pequenos jantares.

  • 18h: Juarez Campos (Chef e sócio proprietário do Oriundi Restaurante) e Arlete Nunes (Chef Carone Gourmet)

Tema: Cozinha ítalo capixaba: Risoto de Moqueca Capixaba e variações

Detalhes: Risoto feito com os ingredientes de uma moqueca capixaba e o aproveitamento com a sobra desse risoto. Serão usados ingredientes capixabas com três técnicas culinárias italianas.

  • 20h: Regina Maris (Chef e proprietária do restaurante Regina Maris)

Tema: Fazendo Mágica com o Jiló: Jiló recheado do Roda de Boteco

Detalhes: Jiló recheado com lombo de porco, mergulhado em angu coberto com molho de tomate e queijo parmesão.

Dia 3 de maio (domingo)

  • 15h: Patrícia Merlo (historiadora) e Vanete Arrigoni (chef, especialista em cultura gastronômica e degustações e proprietária do Empório Uva e Oliva)

Tema: Cozinha do Litoral e Sabores da Imigração: Capelletti al mare

Detalhes: O Espírito Santo é um dos poucos estados brasileiros cuja identidade está fortemente associada à culinária. Nossa cozinha tradicional é litorânea, contudo, existem outros sabores para além do mar. Graças às imigrações, a culinária transformou-se, interiorizou-se, incorporando outros ingredientes e aromas. O capeletti al mare é uma releitura que mistura o estranhamento e a adaptação tão característicos da cozinha capixaba. Unindo em um único prato ingredientes típicos de nossa cozinha tradicional litorânea (urucum, os mariscos e o coentro) à massa artesanal italiana.

  • 18h: Roseli Nanami (nutricionista, chef e sócia-proprietária do Pancakes on the Beach)

Tema: Comida conforto com combinações saudáveis: Panqueca Integral de Berinjela e Queijo Coalho grelhados com tomate seco

Detalhes: Panquecas à base de farinha de trigo integral com recheio de berinjela e queijo Coalho grelhados com tomate seco. Servido com sweet chilli (molho especial da casa).

  • 20h: Janaína Rueda (chef do Bar da Dona Onça, em São Paulo. Está entre as 10 Top Chefs Brasileiras)

Tema: Cuscuz de caranguejo

Dia 4 de maio (segunda-feira)

  • 15h: Cynthia Amorim (chef especializada em gastronomia italiana, professora da UVV) e Virna Brandão (chef especialista em culinária capixaba)

Tema: Do mar à mesa – novas receitas com frutos do mar

Detalhes: Cynthia: Bobó de Frutos do Mar: Creme de aipim com um toque de temperos capixabas, leite de coco e frutos do mar fresquinhos.

Virna: Arroz Lambe Lambe: Trata-se de um prato feito com mexilhões refogados e cozidos em uma base semelhante à de moqueca capixaba. Quando os mesmos começam a se abrir acrescenta-se o arroz e um caldo do cozimento de peixes ou camarões. O arroz vai penetrando às conchas e absorvendo um sabor incrível, tornando-se inevitável não lambê-las. Daí o nome do prato.

  • 18h: GianaTonini (personal chef)

Tema: Cozinha Saudável: Espaguete Mediterrâneo

Detalhes: Saudável no sentido da substituição do carboidrato por legumes e mantendo o mesmo formato de espaguete/massa.

  • 20h: Júlia Faria (Chef e proprietária do Daju Bistrô) e Luiza Daher (Vila dos Chefs)

Tema: Cozinha Brasileira: Arroz de camarão no coco

Detalhes: Arroz cremoso de camarão ao molho de moqueca e champignon com coco, servido no coco verde, prato único e super simples de fazer.

Dia 5 de maio (terça-feira)

  • 15h: Lilia Meireles (Chef e professora na Novo Milênio)

Tema: Receitas rápidas para aquecer o coração da mamãe: bacalhau confitado e espaguete com camarões e pesto de tomate seco

Detalhes: Entrada de bacalhau e prato principal de massa com camarões.

  • 18h: Cleuza Costa (Chef e proprietária do Della Bistrô)

Tema: Molhos: Praticidade e sabor no dia a dia: Fonduta aos dois queijos

Detalhes: Massa ao molho cremoso com uma mistura de queijos e muito sabor.

  • 20h: Chef Sylvia Lis (Chef e gerente de cerimonial do Governo do Estado)

Tema: Tapas Espanholas

Detalhes: Calabacin Rellena de setas (abobrinha recheada com cogumelos), Tosta de Pan com tomates rallados Y jamón (pão tostado com tomates ralados e presunto espanhol), Huevos Rellenos de salmão defumado com salsa de yogurt (ovos recheados com molho de iogurte) e Patatas Bravas (batatas bravas).

Dia 6 de maio (quarta-feira)

  • 15h: Malu Gireli (chef e professora na faculdade Novo Milênio)

Tema: Pães artesanais: Pão de azeitona e crostini de abobrinha

Detalhes: Opções de lanches leves, saudáveis e ricos em sabores.

  • 18h: Cecília Cunha (chef e proprietária do Alecrim)

Tema: Palmito: pupunha assado no cartoccio com salada de rúcula e croutons de polenta

Detalhes: Forma diferente do uso de ingredientes do dia a dia, croutons de polenta. Palmito em outra versão, sem ser conserva, sem sódio, mais saudável. Usando o que se tem em casa.

  • 20h: Flávia Gama (sócia proprietária da Chocolateria Brasil)

Tema: Sobremesa gelada: Torta de limão

Detalhes: Sobremesa gelada e refrescante de limão, com texturas diferentes.

Dia 7 de maio (quinta-feira)

  • 15h: Carolina Morais (chef e professora na Novo Milênio)

Tema: Confeitaria Funcional: Brownie Funcional

Detalhes: Brownie funcional sem adição de lactose, glúten e ovos.

  • 18h: Bianca Calheiros (consultora associada da Mandarina Consultoria – São Paulo)

Tema: Alimentação Infantil

  • 20h: Paulo Machado

Tema: Alegria do Gosto

Detalhes: Cozinha do Pantanal – Apresentação da receita de Caribeu (um guisado de carne com mandioca, típico da região pantaneira).

Dia 8 de maio (sexta-feira)

  • 15h: Fernanda Cassa (chef e professora na Novo Milênio)

Tema:Risoto sem segredo: Risoto básico com vários acompanhamentos

Detalhes: Técnica de preparo de um risoto básico e os diversos acompanhamentos possíveis.

  • 18h: Isaura Caliari (chef e professora na Novo Milênio)

Tema: Cozinha Alternativa: Pão de talos de brócolis e aveia e aproveitando o bacalhau

Detalhes: Trabalhando o novo conceito de desperdício zero dentro da alimentação. A importância de reconhecer nutrientes e beleza no ingrediente como um todo.

  • 20h: Pamela Tello (chef e proprietária do Bom Bocado, restaurante de Lima, capital do Peru)

Tema: Criatividade e identidade culinária – os segredos da ceviche peruana e a versão capixaba: Lasleches

Detalhes: La “leche de tigre” e uma preparação de origem peruana, base para ceviches e vários outros pratos, uma boa base de leche de tigre e a possibilidade de misturar diversas frutas e frutos do mar e assim conseguir, com a nossa criatividade, misturas divertidas e saborosas. Na aula show, faremos a base e, a partir desta,  interatuando com o público em variadas combinações.

Dia 9 de maio (sábado)

  • 15h: Giovana Moyses e Marcela Bourguignon (chefs e professoras na UVV)

Tema: Bacalhau em 3 versões: 1.Salada de Bacalhau com feijão branco e crisp de couve; 2. Bacalhau Espiritual; 3. Bacalhau ao leite de coco e pimentões com farofinha crocante de coco.

Detalhes: Desmistificando o uso do bacalhau, formas de apresentação (entradas, saladas, prato principal) dessalga, tipos de peixes e métodos de cocção diferenciados.

  • 18h: Letícia Leite (chef e professora no IGA)

Tema: FingerFood – Recebendo com charme: Polentinha cremosa com mix de cogumelos e crisp de parmesão.

Detalhes: Nossa proposta é preparar uma variedade de pratos que são classificados pelo nosso tema. Ex: Nachos ao Guacamole, Mini Bruscheta, Brochettes de Caprese ao Pesto, Tartelettes (peito de peru defumado, azeitonas, atum). Wrap de queijo prato e pasta de salsa.

  • 20h: Pamela Tello (chef e proprietária do Bom Bocado, de Lima, capital do Peru) e Paulo Machado (chef especialista na cozinha do Pantanal)

Tema: Cozinha Sustentável

Detalhes: A sustentabilidade se une com a cozinha de tradição. Irão demonstrar o uso de ingredientes tradicionais que se unem ao conceito de reutilização. Farão uma Moqueca de banana com grãos e brotos (quinoa, chia, etc..) e farofa de capim santo.

Dia 10 de maio (domingo)

  • 16h: Letícia Leite (chef e professora no IGA)

Tema: Oficina para as crianças – brincando de ser confeiteiro

Detalhes: Cupcakes e brigadeiros para presentear as mamães

  • 18h: Carol Cicone (chef e proprietária do Hasta La Pista Foodtruck)

Tema: Sanduíches para festas: Mini dog de cheddar e bacon, mini cheeseburguer e mini clubsanduíche de tomate seco e pesto de rúcula.

Detalhes: Sanduichinhos para serem servidos em festinhas de crianças, coquetéis ou até mesmo em um lanche informal em casa. Fáceis de fazer e muito saborosos.

  • 20h: Alessandro Eller (chef e professor da UVV)

Tema: Produtos capixabas com denominação de origem: mignon de sol com fettutine de socol e fonduta de morbier e resteia

Você torce o nariz para os vinhos de Beaujolais?

Você torce o nariz para os vinhos de Beaujolais? Não sabe o que está perdendo! Em virtude das boas companhias venho provando e apreciando muito. Essa predileção foi confirmada em recente evento no Rio de Janeiro, organizado pela Inter Beaujolais, sob o comando do Raphael Allemand.

Beaujolais fica localizada na França entre as cidades de Mâcon e Lyon. Embora geograficamente faça parte da Borgonha, é uma região à parte, cheia de particularidades. Também chamada de “pequena Toscana”, em virtude de suas magníficas paisagens montanhosas com pedras douradas, nascem por lá vinhos de 12 denominações diferentes, sendo 10 crus, o destaque. No geral, são vinhos deliciosos, gastronômicos e com preços bem inferiores aos da Borgonha.

Os vinhos em sua grande maioria são de tintos elaborados com a uva Gamay, variedade quase exclusiva do Beaujolais. Dos 36.000 ha de Gamay plantados no mundo, mais de 20.000 se encontram nessa região. A Chardonnay é única uva branca plantada, que origina vinhos frescos, frutados e florais.

Todas as uvas da região de Beaujolais devem ser colhidas à mão. Estes são os únicos vinhedos, juntamente com Champagne, onde a colheita é obrigatória mão.

Apesar de existir vinhos elaborados pelo método tradicional de vinificação, a maioria utiliza a “maceração carbônica”, que consiste em colocar os cachos inteiros nas cubas fechadas, sem desengaçamento nem prensagem, com a posterior adição de gás carbônico, que fará com que as cascas se rompam e se inicie a fermentação alcoólica.  Esta técnica preserva fresco e frutado o vinho, sem extrair taninos amargos das cascas da uva.

Beaujolais Nouveau

Você já deve ter ouvido falar Beaujolais Nouveau, vinho de qualidade discutida, em virtude de suas características, tendo os aromas de banana e corpo ralo como os maiores vilões. Mas não tem como negar o excelente trabalho de marketing feito. Todos os anos, sempre na terceira quinta-feira de novembro, o Nouveau (novo, em francês), chega em vários países para comemorar a nova safra. Beaujolais Nouveau representa somente 1/3 da produção de vinhos de Beaujolais. Não pode ser feito a partir de uvas cultivadas nos 10 crus de Beaujolais, somente a partir de uvas provenientes das denominações de Beaujolais e Beaujolais-Villages. É um vinho para ser consumido rápido.

As 12 denominações de Beaujolais

A pirâmide começa com Beaujolais genérico, que são metade da produção, com vinhos mais simples. Um degrau acima está o Beaujolais-Villages, que representa 25% da produção total. Os vinhos dessa denominação já são melhores, com mais corpo e finesse. Procure os de bons produtores. Ex: Georges Duboeuf, Joseph Drouhin, Labrouyère, Louis Jadot, Dominique Piron.

Os 10 Crus de Beaujolais

Já a norte estão localizados 10 Crus de Beaujolais. Aqui a coisa fica muito séria, com os melhores vinhos, cada um apresentando uma personalidade especifica na taça, facilmente descoberta no rótulo com a denominação específica de sua comuna (village) “sem” menção ao nome Beaujolais. Vamos a eles:

Saint-Amour (320 ha)

Vinho fino, vivo, equilibrado, de cor rubi e com aromas florais e de especiarias. Esse cru, com seu nome charmoso, situa-se ao extremo norte do vinhedo, em solos de silício e argila.

Juliénas (600 ha)

Vigorosos e de forte personalidade, os vinhos de cor rubi intenso oferecem aromas de pêssego, frutas vermelhas, flores e especiarias. Caracterizada pela diversidade de solos, a denominação é principalmente constituída de xisto e granito.

Chénas (250 ha)

Plantados em areia granítica, os Chénas são raros, típicos e generosos. A sua cor rubi com reflexos granados e seus aromas florais e de madeira enriquecem após alguns anos de adega.

Moulin-à-Vent (660 ha)

Nascidos em solo granítico com veias de manganês, esses vinhos de guarda são potentes e estruturados. Intensos e tânicos, eles têm uma cor rubi escuro, aromas florais e de frutas maduras. Emblemático, o moinho (le moulin) domina e identifica essa denominação.

Fleurie (890 ha)

Há nomes mágicos para designar o tom carmim, a sutileza da violeta, a feminilidade da íris e o sabor “gourmand” das frutas vermelhas. O granito rosa da denominação lhe confere toda sua elegância.

Chiroubles (360 ha)

Tenro, frutado, saboroso, o Chiroubles com sua cor luminosa e seus aromas florais, é o mais elegante dos crus. Suas encostas íngremes formam as mais grandiosas paisagens dos vinhedos.

Morgon (1100 ha)

Seu terroir composto de granitos e de xistos intercalados, é a assinatura desses vinhos carnudos e potentes, de forte personalidade. A cor granada intensa, os perfumes de frutas maduras e de caroços de frutas são as marcas dessa denominação.

Régnié (370 ha)

Pouco tânicos, redondos, equilibrados, assim são os Régnié com sua cor cereja de reflexos violáceos e seus aromas de frutas vermelhas. A denominação é plantada sobre solos graníticos arenosos.

Brouilly (1300 ha)

Símbolo do vinhedo, o monte Brouilly produz vinhos carnudos e de cor forte. No nariz, apresentam aromas de frutas vermelhas e notas minerais no paladar. Os solos são graníticos e ácidos. É a maior denominação dos crus de Beaujolais.

Côte de Brouilly (310 ha)

Nas encostas do cume do monte Brouilly nascem vinhos elegantes, minerais, de cor purpura , com aromas de frutas frescas e de íris. A geologia do terroir, de granito, sela a elegância desses vinhos.

Um Beaujolais para cada ocasião

Os festivos, saborosos e frutados

Beaujolais e Beaujolais Villages Nouveaux

Os tenros, redondos e frutados

Chiroubles – Brouilly – Régnié

Os finos sedosos e perfumados

Feurie – Saint Amour – Côte de Brouilly

Os intensos, potentes e generosos

Juliénas – Chénas – Morgon – Moulin-à-Vent

Quais foram as melhores safras?

2009 – Safra excelente, histórica, com características excepcionais de complexidade.

2010 – Safra muito boa, frutado, maciez e aromas.

2011 – Grande safra, riqueza, opulência, maciez, muito próximo da 2009.

2012 – Safra complicada com pouco volume, vinhos elegantes de grande fineza.

2013 – Safra tardia, os vinhos são estruturados com uma bela expressão aromática e muito frescor.

2014 – Maciez, fineza, elegância, estrutura e persistência aromática. Excelente safra.

Os vinhos de Beaujolais harmonizam com quais pratos?

Beaujolais Nouveau – frios, frutos do mar, batatas gratinadas com cebolas ou ainda carpaccio de salmão.

Beaujolais – frios, patés, presuntos, salsichas.

Beaujolais-Villages – escargots, queijos de cabra, churrasco, terrines de peixes ou de legumes, queijos de cabra frescos e saladas de frutas.

10 crus do Beaujolais – carnes grelhadas, cozidos com fígado de vitela, aves ou cordeiro, terrines e peixes de rio e coq au vin.

Cave Geisse entra para o guia 1001 Vinhos para Beber Antes de Morrer

O espumante Cave Geisse indicado no livro 1001 Vinhos para Beber Antes de Morrer 2015, como único representante brasileiro na categoria. O livro de Neil Becktt, junto com uma equipe de 44 especialistas, reúne 1001 resenhas sobre os mais notáveis vinhos produzidos em todas as regiões do mundo, explicando o porquê de serem tão especiais, com referência de preço e sugestão da época ideal para consumi-los. Mais um significativo reconhecimento da notoriedade de Cave Geisse no mundo.

6 vinhos laranjas para você conhecer na taça

Tendência de consumo, os vinhos “laranjas” estão conquistando o paladar de enófilos antenados, que procuram cada vez mais novas e agradáveis sensações na taça. Eles são uma releitura dos vinhos produzidos nas origens da viticultura, cerca de 5.000 anos atrás, que se deu provavelmente na República da Geórgia, no Cáucaso.

Josko Gravner, reconhecido enólogo do Friuli na Itália, foi o precursor na elaboração deste estilo. Abandonou o casual quando o mais lucrativo era produzir vinhos modernos na Itália, para voltar a arte da vinificação perdida no tempo. Gravner optou pela vinificação em ânforas (recipientes de barro) trazidas da Geórgia, que amplificam a pureza dos seus vinhos.

A primeira atração desse estilo de vinho é a sua coloração alaranjada (embora não sejam todos assim), que pode se alternar entre o dourado intenso e o âmbar, brilhante ou com certa turbidez, oriundo do processo de produção. Para explicar de uma forma simples, o vinho laranja é um branco produzido como um tinto. A suco da uva fica em contato com as cascas. Esse contato, que transfere cor aos vinhos, originado da casca. A exposição ao oxigênio e a utilização das ânforas de barro e em outros materiais, reforça esta coloração.

Em geral, os vinhos laranjas revelam uma enorme complexidade, apresentando desde notas florais, cítricos, frutas secas, de cogumelos, e até intensas notas minerais. A estrutura é firme, lembrando um tinto, porém com frescor e mineralidade de um grande vinho branco.

Quando o assunto é harmonização os vinhos laranjas se saem muito bem. Além de peixes e frutos do mar, pratos temperados, como por exemplo da cozinha tailandesa, carnes de frango e porco, e até intensas como a de cordeiro.

Apesar da Itália ser o maior expoente e com maior oferta de rótulos desse estilo, países como Eslovênia, Brasil, Chile e Argentina vem apresentando bons resultados a preços bem mais atrativos. Hoje indico alguns rótulos que provei e estão disponíveis no mercado capixaba e brasileiro.

Dettori Bianco Romangia IGT 2011 – Itália | sardegna – R$ 169,60 – www.decanter.com.br

Elaborado 100% com uva Vermentino e 36 meses em tanques de cimento, apresenta visual dourado, aromas de laranja, floral, defumado e ervas. Paladar estruturado, com boa acidez que da vida e equilíbrio.

Simcic Marjan Rebula 2012 – Eslovênia \ Goriška Brda – R$ 120 – www.decanter.com.br

Elaborado 100% com a uva Rebula e 8 meses em cubas de inox, apresenta visual dourado, aromas com destaque para notas cítricas e de ervas. Paladar frutado, denso, com mineralidade destacada.

Dettori Renosu Bianco Romangia IGT 2010 – Itália \ Sardegna – R$ 115 – www.decanter.com.br

Eleborado com um corte de uvas Vermentino, Moscato de Sennori e passagem por 24 meses em tanques de cimento, apresenta visual com nuançes alaranjadas, aromas de pêssegos, ervas mediterrâneas e grande. Paladar equilibrado com longo final.

De Martino Muscat Viejas Tinajas 2013 – Chile | Itata – R$ 110 – www.decanter.com.br

Elaborado 100% Muscat (Moscatel de Alexandria) e passagem por 12 meses em ânforas centenárias de argila, apresenta visual laranja, aromas de casca de laranja, pitanga, lichia e jasmim. Paladar com denso, com leve dulçor, equilibrado pela bela acidez.

Damijan Podversic Nekaj 2010 –  Itália | Friuli – R$ 330 – www.decanter.com.br

Elaborado com 100% a uva Friulano (Vinhas 10-60 anos) e passagem por 36 meses em grandes cubas de carvalho, apresenta visual alaranjado, aromas de frutas cristalizadas, especiarias, floral, mel e de frutas secas. Paladar com textura oleosa, boa acidez, corpo médio e longo final. 

Gravner Ribolla Gialla 2006 – Itália | Friuli – R$ 458 – www.decanter.com.br

Elaborado 100% com a uva Ribolla Gialla e passagem por 36 meses em botti de carvalho da Eslavônia, visual alaranjado, aromas de frutas cítricas, mel,  especiarias, e um leve toque oxidativo. Paladar seco, untuoso, com boa acidez e longo final.

Evento vai divulgar os vinhos de Beaujolais no Rio de Janeiro | Segunda-feira | 27 de abril

Inter Beaujolais, instituição que representa todos os vinhos da região francesa de Beaujolais, irá realizar, no dia 27 de abril, segunda-feira próxima, um evento inédito reservado exclusivamente aos profissionais do setor de vinhos e aos jornalistas, no Windsor Atlântica Hotel, em Copacabana, Rio de Janeiro. O evento contará com uma palestra, realizada pelo francês Charles Rambaud, Diretor de Exportação da Inter Beaujolais, com o objetivo é apresentar os terroirs de Beaujolais.

Logo em seguida os participantes terão a oportunidade de provar e harmonizar os vinhos na companhia dos produtores e importadores, numa pequena feira.

Serviço:

Palestra, Degustação e Mini-Feira

Dia 27 de Abril, das 11 às 14h

Windsor Atlântica Hotel – Av. Atlântica, 1020, Copacabana – Rio de Janeiro

Vagas Limitadas.

É necessária confirmação prévia por e-mail, no endereço [email protected] informando nome completo, telefone e atividade no mundo do vinho e/ou jornalística.

Como já comentado aqui no Blog Vivendo a Vida, desde 2013 o Wine Blog Hunter é uma das atividades realizadas no ExpoVinis Brasil, principal evento de vinhos da América Latina que acontece entre 22 e 24 de abril em São Paulo. O concurso é realizado em conjunto com o especialista Cesar Adames e consiste em reunir um grupo de blogueiros de vinhos do Brasil que se inscreveram para eleger o Melhor Tinto e o Melhor Branco da feira. Neste ano foi incluída a categoria Espumantes.

Os blogueiros “caçam” os rótulos que acreditam ser o melhor espumante, branco e tinto de até R$ 50,00(preço para consumidor final), independente da nacionalidade. Após a seleção, os vinhos são degustados às cegas no segundo dia do ExpoVinis e o resultado é divulgado em seguida.

“Nosso objetivo é, juntamente com Cesar Adames, jornalista e professor que organiza o concurso,promover a difusão dos rótulos com excelente custo-benefício e movimentar a blogosfera do vinho”, conta Ana Ishida, show manager da feira.

Veja o resultado:

Melhor Espumante: Garibaldi Chardonnay/Vinícola Garibaldi, Brasil, R$ 30,00

Melhor Branco: Aurora Reserva Chardonnay 2014/Vinícola Aurora, Brasil, R$ 40,00

Melhor Tinto: Clos de Torribas Tempranillo Reserva 2008, Espanha, R$ 49,90

Dicas de vinhos e espumantes em garrafas pequenas

Embora existam diversas maneiras de preservar o vinho em garrafa tradicional de (750ml) após aberto, como por exemplo, utilizando um aparelho chamado vacuvin para retirada do ar, maior inimigo do vinho, as vantagens das garrafas em pequenos formatos, meia-garrafa de 375 ml, e a miniatura de 187,5 ml, são diversas e compensam as desvantagens, como a não proporção do preço e menor capacidade de evolução.

Para começar, a conveniência. O vinho em garrafa menor é perfeito para uma única pessoa, que mora sozinha, ou duas pessoas que querem desfrutar, na hora do almoço ou jantar, de um grande momento, provando diferentes vinhos combinando com diferentes pratos.

Não ocupa muito espaço, facilitam seu transporte, é leve o suficiente para ser levada na bolsa ou na mochila, num passeio de barco, no camping, piquenique, ou até mesmo num show. Muitas dessas garrafas dispensam o abridor ou taça, já que muitos rótulos vêm com “screw-cap” ou copo na própria tampa.

Permite também que você conheça alguns vinhos caros, sem prejudicar o bolso. Ideal para os vinhos fortificados e de sobremesa, geralmente concentrados e recomendados em pequenas doses.  

Outra vantagem desses formatos, diz respeito aos vinhos de safras clássicas, por exemplo, de Bordeaux, destinadas a longa guarda. Isso acontece, já que amadurecem mais rapidamente do que os convencionais. Oferecem também uma chance ter a ideia de como os vinhos finos estarão em seu pico de maturidade.

Então, onde você pode procurá-los? Em um giro pelas adegas, supermercados e visitas em lojas on-line da grande Vitória verifiquei que a oferta é enorme, para todos os bolsos e gostos. Segue algumas dicas. Saúde!

Aminésia Rosé e Branco 250 ml (Portugal) –  R$ 22 – Ok Hipermercado

O rosé é elaborado com as uvas touriga nacional, syrah e aragonês, possui aroma frutado, com notas de morango, cereja e algum citrino. Já o branco, foi desenvolvido com as uvas chardonnay, antão vaz e arinto, aromas de frutos tropicais e sabor fresco.

Espumante Unique Black (Brasil) 187 ml – R$ 21 – Zanatta

Com uma embalagem inovadora, com taça que se encaixar diretamente na garrafa, esse espumante tem uma proposta descontraída para o público jovem. Conta com duas opções de espumante: Prosecco e Moscatel (mais doce).

Nano Sileni Estates Sauvignon Blanc 187 ml (Nova Zelândia) – R$ 38 – R$ Wine4Friends

Apresentado em embalagem sustentável, já com copo acoplado, esse Sauvignon Blanc apresenta nariz intenso com notas de pêssego, leve maracujá, caja e abacaxi. Uma verdadeira salada de frutas. No paladar confirma a fruta com ótima acidez, o que proporciona muito frescor.

Ysern Sauvignon Blanc 375 ml (Uruguai) – R$ 32 – Canto do Vinho

Nariz fresco com nota intensa de frutas, como cajá e maracujá e também aspargos. No paladar, além da confirmação da fruta, mostrou muita mineralidade e frescor, típico da casta.

Bodegas Arrocal Arrocal 2011 375ml (Espanha) – R$ 41 – Grand Cru

Visual rubi escuro, aroma sedutor com notas de groselha, especiarias e flores. Paladar macio, sedoso, com sabores de frutas vermelhos. Suculento e persistente.

Alta Vista Premium Malbec 375 ml (Argentina) – R$ 32 – Supermercado São José

O tipo de vinho perfumado, com toques de chocolate, café e também de frutas negras. Na boca, elegante e charmoso. Pode melhorar um pouco com o tempo, mas já está pronto para o consumo.

Dolcetto DAlba Tre Vigne DOC 2012 375ml (Itália) – Vietti  – wine.com.br

Frutas maduras, com destaque para cereja, e uma leve ponta adocicada. Na boca um vinho agradável, com boa fruta, fresco, macio, com bela acidez.

Aurora Colheita Tardia (Brasil) 500 ml – R$ 21 – Perim

Elaborado com as uvas Sémillon e Malvasia Bianca este sobremesa brasileiro, aromas que iniciam com lichia e variam para floral, pêssego, abacaxi e um leve mel. O paladar apresenta uma textura aveludada agradável, leve, delicado, com um ótimo equilíbrio entre acidez e dulçor, com final agradável e de média persistência.

Dicas de vinhos para harmonizar com hambúrguer

Vinho pode não ser a primeira bebida que você pensaria para acompanhar hambúrgueres, mas o grande número de estilos, a partir de diversas variedades de uva e métodos de produção, tornam essa tarefa mais fácil. Na hora da escolha, o mais importante é considerar o tipo da carne utilizada e os ingredientes. Prefira combinar um hambúrguer pouco condimentado com vinhos leves e os mais elaborados com vinhos potentes. Vamos as dicas:

Hamburguer x vinho branco

Chardonnay funciona perfeitamente com hambúrgueres de frango e com queijo suíço, cheddar ou Brie, bem como cogumelos grelhados.

Hambúrgueres de peixe, incluindo o atum, são um par perfeito para a Sauvignon Blanc, que tem sabores intensos, alta acidez e notas de frutas para equilibrar o defumado ou alimentos salgados. Se tiver ingredientes como salsa, coentro, pimentão, ou outros recheios picantes, este vinho também é uma boa escolha.

O médio corpo e a acidez fresca da Pinot Grigio tornam esta uva par de hambúrgueres de peixe grelhado, como o hambúrguer de salmão crocante e hambúrgueres de peixe branco com molho tártaro. Hambúrgueres cobertos como por exemplo o queijo cheddar, também são uma ótima opção para servir com Pinot Grigio.

Hamburguer x Vinho tinto

Hambúrgueres de carne de boi, cordeiro ou porco com níveis elevados de gordura, coberto com queijos e demais ingredientes de sabores intensos, são ideais para harmonizar com vinhos elaborados com as uvas Cabernet Sauvignon, Touriga Nacional, Tempranillo, por exemplo.

Se for grelhado, no churrasco, boas opções são o Shiraz, Zifandel e Malbec. Estes vinhos são robustos com camadas de frutas frescas que combinam com as carnes e seus condimentos, como catchup e mostarda. Queijo gorgonzola também vai bem com estes vinhos.

Vários sabores combinam bem com os taninos macios e sabores da Merlot, Barbera, Dolcetto, Carmenére, incluindo carne de boi e cordeiro. Ingredientes como pimentão, cebola frita, pimentas ou cogumelos também formam boa parceria.

6 rótulos para harmonizar

Canepa Novísimo Pinot Grigio 2014 – Chile – R$ 18,70 – www.wine.com.br

Aroma de frutas brancas frescas, maçã, pera, abacaxi, com nuances de lima e mineralidade. Paladar leve, fresco, equilibrado e fácil de beber.

Gran Reserva Tarapacá Carmenère 2012 – Chile – R$ 47,90 – Supermercado Extraplus

Aroma de frutas negras, especiarias, notas balsâmicas e de baunilha. Paladar com bom volume, acidez equilibrada e persistente. Taninos suaves e maduros.

Tre Donne Barbera D’Alba DOC 2012 – Italia – R$ 76, 50 – Grand Cru

Aroma de frutas vermelhas maduras, amora, ameixa e cereja, notas de especiarias. Paladar frutado, de bom corpo e equilíbrio, com taninos finos, frescor e notas de especiarias.

Fabre Montmayou Reserva Malbec 2011 – Argentina – R$ 75 – Canto do Vinho

Aroma de frutas vermelhas maduras, framboesa, cereja e amora, com notas de carvalho, cravo, pimenta e violeta. Paladar frutado, estruturado, encorpado, com taninos maduros, notas de frutas em compota e final longo.

Beronia Reserva 2009 – Espanha – R$ 106 – Supermercado Carone

Aroma de frutas vermelhas e negras maduras, toque de especiarias, como baunilha, tabaco, além de suave presença de couro. Paladar robusto, com presença de frutas maduras, baunilha e toque apimentado.

Robert Mondavi Private Selection Zinfandel 2012 – USA – R$ 95 – www.buywine.com.br

Aroma de geleia de frutas vermelhas, frutas negras maduras, notas de biscoito e tosta. Paladar rico com sabores de amora e cereja preta seca emoldurado por uma estrutura firme, taninos aveludados e final agradável.

Lista dos vinhos ganhadores do TOP TEN Expovinis 2015

Confira a lista dos vinhos ganhadores do Top Ten Expovinis 2015.

  • Espumante Nacional: Aracuri Brut Chardonnay 2013/Aracuri Vinhos Finos (Produtor)
  • Tinto Velho Mundo (II): A Sirio Rosso IGT 2007/Azienda Agricola Sangervasio (Produtor)
  • Tinto Novo Mundo: Renacer Malbec 2011/Bodega y Viñedos Renacer (Produtor)
  • Branco Importado: Casas del Toqui Terroir Selection Sauv. Blanc Gran Reserva 2014/Bodegas de Los Andes Comércio de Vinhos (Importador)
  • Rosado: Saint Sidoine Côte de Provence Rosé 2014/Cellier Saint Sidoine (Produtor)
  • Fortificados e Doces: Alambre Moscatel de Setúbal 20 Anos José Maria da Fonseca/Decanter (Importador)
  • Tinto Velho Mundo (I): Pêra Grave Reserva Tinto 2011/Luxury Drinks Portugal (Importador)
  • Espumante Importado: Champagne Georges de la Chapelle Nostalgie/Champagne Georges de la Chapelle (Produtor)
  • Branco Nacional: Vigneto Sauvignon Blanc 2014/Vinícola Pericó (Produtor)
  • Tinto Nacional: Valmarino Cabernet Franc Ano XVIII 2012/Vinícola Valmarino (Produtor)