search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for agosto, 2014

Atento as informações no twitter me interessei pelo infográfico postado por um wine blogger internacional. A imagem (foto acima) faz parte de um estudo da Vinexpo sobre a tendência para o consumo de vinho em 2017. Entrei site da Vinexpo e verifiquei que é um estudo amplo, que abrange além do consumo, mostra a tendência para os próximos três anos da produção e distribuição mundial de vinhos. Porém para ter acesso a essas informações é preciso desembolsar 1.000 euros, link > (aqui). Mas já deu para verificar pela imagem que vazou no twitter que o Brasil deve ser um dos 10 maiores consumidores de vinho tinto do mundo em 2017. Esse é o motivo do grande interesse de produtores mundiais pelo Brasil ultimamente.

Mais uma vez a Confraria se reuniu no Bistrô “Sonho da Pulga” para jogar conversa fora, apreciar bons vinhos e uma gastronomia de primeira assinada pelos confrades, Aldir Manoel e Flavio Maraninchi.

Provamos seis tintos chilenos de primeira gama, todos da safra 2003 – chamada degustação horizontal – que nesse caso teve objetivo de avaliar o comportamento dos vinhos x uvas (maioria Cabernet Sauvignon) em regiões (maioria Maipo) de uma determinada safra (2003) e país (Chile). A safra 2003 no Chile foi muito boa para os tintos, com condições climáticas favoráveis.


A degustação foi boa, às cegas, como em todos os encontros, mas não chegou empolgar no geral. Num nível desses, com rótulos custando 400 reais em média, não se espera apenas bons vinhos, mas sim excepcionais.

Como era de se esperar, os vinhos estavam na meia idade, muito parecidos, concentrados, com a maioria apresentando muita madeira e uma fruta primária. Os vinhos que me chamaram atenção foram o Carmen Gold Reserve 2003 e o Viña Quebrada de Macul Domus Aurea. Vinhos parelhos, mais evoluídos, equilibrados, com taninos finos, cremosidade e certa complexidade. Nitidamente em fase de integração, porém fica a duvida sobre a longevidade de ambos. Segue as minhas notas:

Von Siebenthal Montelig 2003 – Vale do Aconcagua – 65% Cabernet Sauvignon, 25% Petit Verdot e 10% Carmenére – Nota: ST (88)

Concha y Toro Don Melchor 2003 – Vale de Maipo – 95% Cabenert Sauvignon e 5% Cabernet Franc – Nota: ST (90)

Viña San Pedro Cabo de Hornos 2003 – Vale de Maipo – 100% Cabernet Sauvignon – Nota: ST (90)

Casa Lapostolle Clos Apalta 2003 – Apalta, Colchagua e Rapel – 70% Carmenére-merlot e 30% Cabernet Sauvignon – Nota: ST (90)

Carmen Gold Reserve 2003 – Vale de Maipo – 100% Cabernet Sauvigon – Nota: ST (91+)

Viña Quebrada de Macul
Domus Aurea – Vale de Maipo – 86% Cabernet Sauvignon, 10% Merlot e 4% Cabernet Franc – Nota: ST (92)

A Cave Geisse, uma das mais respeitadas vinícolas do Brasil, acaba de ser indicada Wine Star Awards 2014 (destaque do ano no mundo) pela revista norte-americana Wine Enthusiast. No dia 31 de dezembro serão anunciados os vencedores e receberão os troféus em Nova York, em 26 de janeiro de 2015. Veja todos os indicados e mais detalhes > aqui. Recentemente estive visitando a vinícola. Relembre aqui.

O vinho da semana – bom e barato – é o Esporão Reserva Branco 2013, produzido pela Herdade do Esporão no Alentejo a partir das castas Antão Vaz, Arinto, Roupeiro e Semillon. Estagiou em cubas de inox e em barricas novas de carvalho francês e americano durante 6 meses. A colheita de 2013 caracterizou-se pela primavera chuvosa seguida de um verão seco com temperaturas diurnas elevadas compensadas por noites frescas, possibilitando a maturação ideal e consistentes das uvas.

Na taça apresentou um visual amarelo palha, nariz com notas de frutas, abacaxi, tangerina, pêssego e um leve toque mineral. O paladar é de médio corpo, no qual as notas frutadas predominam. A madeira entrou como coadjuvante, na dose certa, sem ofuscar a fruta. Saboroso, com ótima acidez, pede um gole após o outro. 14% de álcool | Nota: 90/100 | R$ 60,00 – Enólogos: David Baverstock e Sandra Alves.

A Wine.com.br, o maior e-commerce brasileiro de vinhos, tem planos de internacionalizar a sua operação entre o segundo semestre de 2015 e o primeiro de 2016, de olho nos mercados dos Estados Unidos, Portugal e Espanha.

A revelação é de Rogério Salume, presidente da empresa, que esteve em Porto Alegre nesta terça-feira, 26, participando do Zoom do Varejo da Câmara de Dirigentes Lojistas. Veja mais informações aqui.

Faltam 10 dias para a primeira edição do evento no Espírito Santo, que vai reunir 14 produtores e apresentar 89 rótulos

No dia 5 de setembro, Vitória vai receber a primeira edição capixaba da Grande Degustação dos Vinhos de Portugal – Road Show, com a participação de 14 vinícolas lusitanas. A capital é uma das cinco cidades brasileiras a receber o evento, que acontecerá no Hotel Sheraton, das 14 às 20 horas, na Praia do Canto.

O evento chega pela primeira vez ao Espírito Santo por meio da Vini Portugal, entidade gestora da marca Wines of Portugal, que reúne organizações profissionais ligadas ao comércio, à produção, às cooperativas e demais estruturas associativas do mercado de vinhos portugueses.

Aberta ao público, a primeira edição da Grande Degustação dos Vinhos de Portugal – Road Show Vitória contará com um seminário para profissionais do setor e a prova, na qual todos os participantes inscritos terão a oportunidade de degustar 89 vinhos, entre tintos, rosés, brancos, espumantes e do Porto. 

As inscrições são obrigatórias e podem ser realizadas pelo e-mail  ou pelo telefone (11) 3149-9441. O seminário terá como tema “4 Vinícolas, 8 Vinhos, Sabores Únicos” e será ministrado por quatro produtores, das 14 às 15 horas.  

O diretor de Marketing da Vini Portugal, Nuno Vale, conta que há fila de espera para o seminário, mas ressalta que as inscrições para a degustação são ilimitadas.

“Será montada uma sala com mesas expositoras para que cada um dos 14 produtores possa oferecer seus vinhos para degustação, das 14 às 20 horas. O grande público fará a prova das 18 às 20 horas”, explica Nuno Vale.

A Grande Degustação dos Vinhos de Portugal – Road Show começa hoje (dia 26), em São Paulo, e passa por Florianópolis, nesta quinta-feira (dia 28); Curitiba, no dia 1º de setembro; em Ribeirão Preto, no dia 3, e encerra o circuito em Vitória, no dia 5. O evento é organizado pela Exponor Brasil.

VINÍCOLAS PARTICIPANTES

Aliança – Vinhos de Portugal SA;

Aveleda, SA;

Bacalhôa Vinhos de Portugal SA;

Casa Santos Lima – Companhia das Vinhas;

Enoforum;

Esporão Vendas e Marketing;

Herdade da Comporta SA;

Monte da Capela, Sociedade Agrícola e Comercial, Lda;

Provam, Lda;

Quinta do Crasto;

Sociedade Agrícola da Romaneira, SA;

Sociedade Agrícola e Comer dos Vinhos Messias;

Sociedade Agrícola Encosta do Guadiana, Lda;

Vinhos Quinta da Pedra Alta SA; 

VINHOS QUE SERÃO APRESENTADOS

1.    Messias 10 Anos: tinto

2.    Messias Tawny: tinto

3.    Quinta do Cachão: tinto

4.    Quinta do Valdoeiro: tinto

5.    2 Castas: branco

6.    4 Castas: tinto

7.    Assobio: branco

8.    Assobio: rosé

9.    Assobio: tinto

10. Esporão Reserva Branco: branco

11. Esporão Reserva Tinto: tinto

12. Bom Juíz Reserva: tinto

13. Monsaraz Red: tinto

14. Olaria Red: tinto

15. Reguengos Reserva Red: tinto

16. Herdade da Comporta: tinto

17. Herdade da Comporta: branco

18. Parus: tinto

19. Vinhas do Sado: tinto

20. Vinhas do Sado: branco

21. Bacalhôa Moscatel de Setúbal: moscatel (branco)

22. Catarina: branco

23. JP Azeitão: branco

24. JP Azeitão: tinto

25. Loridos Vintage: branco

26. Meia Pipa Private Selection: tinto

27. Monte das Ânforas: tinto

28. Quinta da Bacalhôa: tinto

29. Quinta da Bacalhôa: branco

30. Tinto da Ânfora: tinto

31. Alteza: tinto

32. Casa de Vila Verde Alvarinho: branco

33. Confidencial: tinto

34. Gran Passo Reserva Clássico: tinto

35. Portas de Lisboa: tinto

36. Portuga: tinto

37. Portuga Leve: branco

38. Quinta das Setencostas: tinto

39. Quinta de Bons-Ventos: tinto

40. Quinta do Espírito Santo: tinto

41. Portal do Fidalgo: branco

42. Varanda do Conde: branco

43. Alabastro: tinto

44. Aliança Dão: tinto

45. Aliança Dão Reserva: tinto

46. Casal Mendes Rosé: rosé

47. Casal Mendes Verde: branco

48. Espumante Danúbio Bruto: espumante branco

49. Espumante Danúbio Rosé: espumante rosé

50. Foral: tinto

51. Quinta dos Quatro Ventos: tinto

52. Vista: tinto

53. Aveleda Alvarinho: branco

54. Aveleda Reserva da Família Bairrada: branco

55. Casal Garcia Branco: branco

56. Casal Garcia Rosé: rosé

57. Casal Garcia Tinto: tinto

58. Charamba Douro: tinto

59. Quinta da Aveleda: branco

60. Herdade das Albernoas Branco: branco

61. Herdade das Albernoas Reserva: tinto

62. Herdade das Albernoas Tinto: tinto

63. Herdade Paço do Conde 2009: tinto

64. Herdade Paço do Conde Colheita Seleccionada: tinto

65. Herdade Paço do Conde Rosé: rosé

66. Herdade Paço do Conde Tinto: tinto

67. Herdade Paço do Conde Winemakers Selection: tinto

68. Vilares Reserva: tinto

69. Vilares Tinto: tinto

70. Crasto Superior: tinto

71. Crasto Superior: branco

72. Roquette & Cazes: tinto

73. Adega de Pias: tinto

74. Herdade da Capela Reserva: tinto

75. Monte da Capela: tinto

76. Terras de Pias: tinto

77. Terras de Pias Reserva: tinto

78. Quinta da Romaneira 10 Year Old Tawny: porto

79. Quinta da Romaneira Branco: branco

80. Quinta da Romaneira Doc Douro: tinto

81. Quinta da Romaneira Rosé: rosé

82. Quinta da Romaneira Syrah: tinto

83. Sino da Romaneira: tinto

84. QPA Douro Doc Branco: branco

85. QPA Douro Doc Tinto: tinto

86. QPA Douro Doc Tinto Reserva: tinto

87. QPA Porto Fine Tawny: porto

88. QPA Porto L.B.V 05: porto

89. QPA Porto Light Dry White: porto

SERVIÇO

Grande Degustação dos Vinhos de Portugal – Road Show Vitória

Data: 5 de setembro (sexta-feira)

Local: Hotel Sheraton, no Salão Tubarão

Endereço: Avenida Saturnino de Brito, 217, Praia do Canto, Vitória

Horário: Das 14 às 20 horas, com degustação para profissionais ao longo de todo o período e aberto para os consumidores das 18 às 20 horas

Entrada: Gratuita

Inscrições: Gratuitas e obrigatórias pelo e-mail  ou pelo telefone (11) 3149-9441.

Assessoria de Imprensa: RF Assessoria de Comunicação (Ingrid Pagani e Rose Frizzera) – (27) 3207-3351 / (27) 99989-2739

Avaliação ocorreu nos dias 7 e 8 de agosto na Argentina

Nos dias 7 e 8 de agosto, a cidade argentina de Mendoza foi palco do 11° Concurso Internacional de Vinhos e Licores Vinus 2014, que recebeu 44 degustadores para avaliar criteriosamente cada uma das 450 amostras inscritas, provenientes de 17 países. Dentre os vinhos premiados, 38 deles foram elaborados por vinícolas brasileiras: seis medalhas de ouro duplo, 21 medalhas de ouro e 11 medalhas de prata.

O time de avaliadores contou com a presença de três profissionais brasileiros:  os enólogos André Peres Jr., Gilberto Simonaggio e Edvaldo Gallon  representaram o país no Vinus 2014. Para Gallon, enólogo há dez anos, a experiência se mostrou gratificante. “Foi a primeira vez que participei de um concurso fora do país. A experiência foi muito interessante, conheci outra região e a participação brasileira é sempre importante para divulgarmos nosso potencial lá fora”, afirma.  Edvaldo participou do Vinus através de uma premiação da Associação Brasileira de Enologia, que o contemplou com uma viagem para um Concurso Internacional de Vinhos na América do Sul devido sua assiduidade nas degustações temáticas promovidas pela ABE.

Confira a relação de vinhos brasileiros premiados:

Medalha de Ouro Duplo

Casa Valduga Espumante Moscatel 2013 – Casa Valduga Vinhos Finos

Decima Espumante Brut Branco 2014 – Cia. Piagentini de Bebidas e Alimentos

Garibaldi Espumante Moscatel Rosé – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Garibaldi Primicias Espumante Brut Rosé – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Marcus James Espumante Brut – Cooperativa Vinícola Aurora

Ponto Nero Espumante Moscatel – Domno do Brasil

Medalha de Ouro

Alto Vale Espumante Prosecco – Domno do Brasil

Aracuri Collector Espumante Blanc de Noir 2013 – Aracuri Vinhos Finos

Aurora Espumante Brut 100% Chardonnay – Cooperativa Vinícola Aurora

Aurora Espumante Brut 100% Pinot Noir – Cooperativa Vinícola Aurora

Aurora Espumante Moscatel Branco – Cooperativa Vinícola Aurora

Aurora Reserva Chardonnay 2014 – Cooperativa Vinícola Aurora

Casa Valduga Identidade Corte 2009 – Casa Valduga Vinhos Finos

Casa Valduga Mundvs Malbec 201 -Casa Valduga Vinhos Finos

Casa Valduga Raízes Corte 2010 – Casa Valduga Vinhos Finos

Cave de Castro Espumante Moscatel -Vinhos Finos Casa Garcia

Dal Pizzol Espumante Charmat Brut – Vinícola Monte Lemos

Garibaldi Espumante Moscatel – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Garibaldi Espumante Prosecco – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Jolimont Espumante Brut Champenoise – Vitivinícola Jolimont

Jolimont Espumante Moscatel 2012 – Vitivinícola Jolimont

Lunar Ouro Espumante Asti 2012 – Famiglia Zanlorenzi

Lunar Ouro Espumante Brut 2012 – Famiglia Zanlorenzi

Ponto Nero Celebration Espumante Brut – Domno do Brasil

Zanotto Chardonnay 2013 – Vinícola Campestre

Zanotto Espumante Brut – Vinícola Campestre

Zanotto Espumante Moscatel – Vinícola Campestre

Medalha de Prata

Aracuri Collector Cabernet Sauvignon 2010 – Aracuri Vinhos Finos

Aracuri Espumante Brut Chardonnay 2013 – Aracuri Vinhos Finos

Aurora Reserva Merlot 2013 – Cooperativa Vinícola Aurora

Casa Valduga Raízes Cabernet Sauvignon 2011 – Casa Valduga Vinhos Finos

Dal Pizzol Espumante Brut Rosé – Vinícola Monte Lemos

Decima Gran Reserva Chardonnay / Viognier 2010 – Cia. Piagentini de Bebidas e Alimentos

Garibaldi Espumante Chardonnay – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Garibaldi Primicias Espumante Brut – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Jolimont Morro Calçado Cabernet Sauvignon 2008 – Vitivinícola Jolimont

Jolimont Moscato 2013 – Vitivinícola Jolimont

Lunar Espumante Prosecco Brut 2013 – Famiglia Zanlorenzi

A etapa de degustação de seleção da 22ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2014 entra em sua fase final nesta quarta-feira, quando o quarto grupo de 30 enólogos entra em cena para, às cegas, degustarem as amostras inscritas para a Avaliação Nacional de Vinhos. Os trabalhos continuam até quinta-feira, 28, no laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves.

Até o momento, 90 enólogos profissionais passaram pela tarefa de degustar e avaliar vinhos provenientes de 58 vinícolas. Em cada etapa, os pronunciamentos do presidente da Associação Brasileira de Enologia – ABE, Luciano Vian, e do chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho, Mauro Zanus, ressaltaram a responsabilidade da tarefa dos enólogos: ”Respeitem muito as amostras antes de emitir a nota final, que resume toda a qualidade do vinho. Pensem que por de trás de cada vinho há o empenho e dedicação dos viticultores, durante todo o ciclo de desenvolvimento da videira,  e dos enólogos, que aplicaram a melhor tecnologia de elaboração disponível “, pontuou Zanus em cada uma das degustações de seleção.

A degustação ocorre no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho. O resultado, que contempla as amostras mais representativas, será apresentado para um público de aproximadamente 850 apreciadores no dia 27 de setembro, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves. As inscrições para o público participar do evento abrem dia 03 de setembro  por meio do site www.enologia.org.br.

Mais de 75 rótulos de vinho serão oferecidos para degustação aos apaixonados pela bebida na próxima semana, na adega do OK Hipermercado, localizado na Reta da Penha, em Vitória.

O festival Wine Day OK será realizado nos dias 27, 28 e 29, a partir das 19h20 até as 22 horas, com entrada gratuita e, ainda, oferta dos melhores vinhos, a preços especiais.

O evento vai agrupar, a cada dia, cinco estandes de fornecedores, separados por país e oferecendo mais de 25 rótulos, para a escolha dos visitantes. Um destes espaços será surpresa, sendo revelado somente na hora. A adega do Ok conta diariamente com mais de 1.200 rótulos entre vinhos, espumantes e cervejas artesanais, sendo uma das melhores cartas do Estado.

Além das degustações, os apreciadores da tradicional bebida poderão confraternizar com vinhos especiais e conversar com especialistas que darão dicas sobre harmonizações com alimentos e outros. Cinco enólogos estarão à disposição, por dia, para dar mais informações sobre o nobre fermentado.

A abertura do festival, no dia 27, contará com a presença de Alexandre Miolo, expertise da famosa Vinícola Miolo, da região do Vale dos Vinhedos e de Campanha (RS), pertencentes ao Miolo Wine Group, principal grupo de vinhos do Brasil. 

Todos os dias serão cinco estandes de fornecedores diferentes, sendo que um será surpresa, somente na hora do evento será revelado. 

Dia 27/08

Vinícola Miolo, da região de Campanha e Vale dos Vinhedos (RS)

ABM Vinícola, com vinhos Amnésia

Vinícola Chilena Raium

Empresa Espanhola Almeria, com vinhos espanhóis

Dia 28/08

Vinícola Brasileira Pericó (SC), com vinhos e espumantes de sua região

Vinícola Santa Alícia do Chile

Empresa Wine Brands, da Califórnia (USA)

Vinícola Nieto Senetiner, empresa Porto a Porto, da Argentina

Dia 29/08

Vinícola Herdade da Esporão, de Portugal

Vinícola Novo Continente, com vinhos italianos

Vinícola Salton, brasileira, da região de Bento Gonçalves (RS), com vinhos e espumantes

Vinícola Espírito do Chile, com a linha de vinhos Cronos

Endereço

Av. Reta da Penha, 2150, Master Place Mall, Santa Luzia, Vitória. Telefone: 99719.1529

Texto publicado originalmente na coluna Vivendo a Vida | C2 + Prazer & Cia | Jornal A Gazeta

O trabalho do enólogo é grande, árduo e merece muito reconhecimento. Ele começa pela procura e estudo do solo, passando pela seleção das variedades de uvas e termina na transformação da fruta em vinho. Nesse processo, é colhida na videira uma grande quantidade de uvas maduras que são prensadas para que elas liberem o suco. Após a prensagem, as leveduras reagem com o açúcar do suco e lentamente o transformam em álcool. Quanto mais maduras e doces forem às uvas, mais álcool terá seu vinho. Este processo se chama fermentação.

Atualmente, os enólogos usam vários artifícios para se diferenciar dos demais. Podem utilizar como recipiente no processo de fermentação aço inoxidável ou carvalho, por exemplo. A cada escolha, altera-se bastante o sabor do vinho. Após a fermentação, o enólogo escolhe quanto tempo o vinho irá amadurecer, e em qual recipiente. A maturação pode durar algumas semanas ou anos. Decisões difíceis, mas que fazem os vinhos terem características diferentes.

Na semana passada, estive no bar au vin Wine4friends, na Praia do Canto, para um bate-papo regado a bons goles com Vicenzo Protti, enólogo da vinícola Masi, uma das mais antigas e respeitadas da Itália. Sua fundação data no final do século XVIII. Localizada na região do Veneto, terra natal da denominação Valpolicella, a Masi é reconhecida internacionalmente por aplicar uma técnica de vinificação milenar chamada de apassimento: logo após a colheita das uvas, em vez de as frutas serem esmagadas, como em qualquer outro vinho de mesa, as mesmas são secadas em caixas plásticas ou em esteiras por até cinco meses, antes da fermentação, até que se tornem “passificadas”.

Durante o processo, as uvas perdem cerca de 35% de seu peso, o que acarreta uma perda na mesma proporção na quantidade de vinho, o que faz com que seu preço seja alto. Dessa técnica, associado ao seu amadurecimento em madeira e em garrafa, nasce o Amarone, um vinho estruturado, macio, com acidez viva e taninos doces. É quase um Porto, porém sem a adição de álcool. Um vinho grandioso que deve ser apreciado em momentos festivos ou de meditação.

Outra técnica de vinificação utilizada é chamada de Ripasso, criada pela Mais: as uvas são submetidas a uma segunda fermentação sobre as cascas e leveduras do Amarone. Esse processo aporta ao vinho, mais cor, álcool e mais complexidade de aromas, o que acontece no vinho Campofiorin, sendo uma opção mais acessível em relação ao preço cobrado pelos Amarones. Atualmente, Valpolicella Ripasso é uma denominação de origem “DOC” específica.

A empresa também produz vinhos na Argentina, pela Masi Tupungato, que emprega em seus vinhos a mesma técnica de produção. Provei quatro de seus rótulos, dois italianos e dois argentinos. Veja a seguir.

Masi Passo Blanco Pinot GrigioTorrontés 2013 – Mendoza – Argentina – R$ 88 – Wine4Friends e Vila Fruti

Nesse vinho branco incomum, a uva italiana Pinot Grigio passa pelo processo de apassimento por 15 dias para obter concentração. Muito fresco e aromático, com textura cremosa. Nota: 88/100 pontos

Masi Passo Doble Malbec Corvina 2010 – Mendoza – Argentina – R$ 99 – Vila Fruti e Wine4Friends

Feito com apenas uvas de vinhedos antigos de Corvina Veronese (a principal uva do Amarone) e Malbec. Notas de ameixa em calda e chocolate, com paladar macio e uma acidez viva. Nota: 87/100 pontos

Masi Campofiorin Rosso del Veronese 2009 – Vêneto – Itália – R$ 180 – Vila Fruti e Wine4Friends

Produzido pela técnica de dupla fermentação é delicioso, elegante, com notas de fumo e especiarias. Ótima acidez, o que o torna um vinho muito gastronômico. Nota: 90/100 pontos

Masi Brolo di Campofiorin Oro 2009 – Vêneto – Itália – R$ 240 – Wine4Friends e Vila Fruti

Inclui a casta Oseleta, uva autóctone de Verona, resgatada pela Masi. Ela compõe 10% do corte, reforçando a cor e a concentração do vinho. Um vinhaço! Nota: 93+/100 pontos