search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for maio, 2014

Texto publicado originalmente na coluna Vivendo a Vida | C2 + Prazer & Cia | Jornal A Gazeta

Realizado entres os dias 21 e 22 de junho, o Vitória ExpoVinhos – 6º Salão Internacional de Vinho de Vitória transformou a capital do Espírito Santo no centro das atenções para os apreciadores da bebida. O evento, realizado pela Federação do Comércio do Estado do Espírito Santo (Fecomercio-ES), reuniu mais de 60 expositores, entre importadoras, produtores e distribuidores, que apresentaram cerca de 1.500 rótulos, no Centro de Convenções, em Santa Lúcia.

Durante os dois dias de feira, o Wine Tasting proporcionou a uma multidão de participantes – sommeliers, importadores, diversos profissionais do vinho e aos consumidores em geral, uma grande amostra do que hoje está disponível no mercado capixaba, e rótulos de empresas que buscavam parceiros comerciais por aqui, de olho no consumo per capta da bebida no estado, que segundo os organizadores da feira, já é terceiro no ranking nacional.

Nos stands, alguns com a presença dos enólogos e proprietários das vinícolas, foram abertas linhas inteiras de produtos, dos mais básicos aos mais consagrados, para alegria geral dos enófilos. A variedade e as opções eram tantas que os participantes não estavam dispostos a deixar o grande salão antes de provar aqueles vinhos que só conheciam por sites, jornais e revistas especializadas. Com tanta gente boa junto, ainda era possível comparar vinhos de diferentes produtores do mesmo país, dentre os vários disponíveis.

No espaço gourmet do evento o público pode degustar e conhecer diversos produtos capixabas, além de pratos preparados pelos alunos do curso de gastronomia do Centro Universitário Vila Velha (UVV). Sob o comandado do chef Alessandro Eller foram servidos risotos e massas variadas. 

Paralelamente a feira, várias personalidades do mundo vínico conduziram palestras, com salas lotadas, mostrando o interesse em vinhos, definitivamente pelos capixabas. Participei de duas bem interessantes.

Mateus Godoy, sommelier com experiência no Grupo Fasano e gerente de distribuidores das águas S. Pellegrino, Acqua Panna e Perrier, falou sobre “A importância das Águas na Gastronomia e Coquetelaria”. Ficou claro que como o vinho, a água também deve ser escolhida para acompanhar refeições e outras bebidas a partir de critérios de harmonização.

Nicolas R. Farias Torres, Nicolas Torres, embaixador da Ventisquero na América Latina, e filho da grande enóloga chilena Cecília Torres (Vinícola Santa Rita), falou sobre o tema “Novos e Clássicos Vales para a Produção de Vinhos de Alta Gama no Chile”. Entendi que o consumidor brasileiro começa a cobrar novos vinhos, diferentes, vinhos mais equilibrados e menos carregados na fruta e na madeira. Para isso é preciso bons e novos terroirs.

O Prêmio Top Five, colocou mais uma vez a disposição do mercado 30 rótulos com qualidade certificada, em seis categorias: Tinto e Branco Velho Mundo, Tinto e Branco Novo Mundo, Espumante e Sobremesa. A escolha desses rótulos foi feita por 14 jurados (incluindo este colunista), em uma degustação às cegas. O resultado, como no ano anterior, foi divulgado antes do início do evento, dando aos visitantes a oportunidade de conhecer os vinhos com tranquilidade nos dois dias de feira. Veja a lista completa do Top Five: http://www.vivendoavida.net/?p=33448.

A premiação confirmou a qualidade de alguns rótulos, como o excelente chileno Casa Del Bosque Reserva Sauvignon Blanc 2013 (Carone), R$ 59, e o português QPA Touriga Nacional 2007 (Espaço D.O.C), R$ 168. Entre as surpresas, o delicioso vinho branco italiano Monti Langue Bianco DOC 2009 (Zanatta), R$ 85 e o espumante brasileiro, Casa Pedrucci Reserva Brut (DZ Empório), R$ 65.

Os vinhos nacionais foram muito bem representados no Top Five com sete rótulos entre os 30 premiados. A vinícola Basso, situada na cidade de Farroupilha, Serra Gaúcha, emplacou os rótulos Monte Paschoal Dedicato Champenoise (Perim) R$ 62, Chardonnay reserva 2012, R$ 55 e o Cabernet Reserva 2012, R$ 55. Também foi do Brasil o título de melhor custo x beneficio da feira com o tinto Aurora Reserva Merlot 2012 (Carone), R$ 36.

Sem dúvida, foi a melhor edição do evento, e, quem teve a oportunidade de participar, certamente saiu de lá com uma visão ampla dos vinhos disponíveis no mercado capixaba e nacional. Parabéns para Vanderlei Martins e Elvecio Faé, os dois pilares do evento.

Por fim, destaco para vocês leitores alguns rótulos, meus preferidos, que se mostraram encantadores na taça. Saúde!

Ferrari Brut – Itália – R$ 199 – Carone (tel: 3137.2844)

  • Belo espumante italiano, complexo, tostado e maduro, embora muito refinado. Grande personalidade na boca, com avelãs e crosta de pão, cremosa, harmônica e persistente.

Casa Pedrucci Brut Reserva – Brasil – R$ 60 – DZ Empório (tel: 3062.7070)

  • Aroma muito bom, fresco e intenso, lembrando frutas brancas e leve panificação. Na boca é cremoso, frutado e muito refrescante. Grande destaque!


 

Monti Langue 2009 – Itália – R$ 85 – Zanatta (tel: 3026.6440)

  • Um vinho branco italiano rico, com notas de pêssego, mel, especiarias e mineral. Paladar levemente amanteigado, com álcool e acidez integrados.

Papale 2009 Linea Oro – Itália – R$ 210 – Vinhos e Delicias (tel: 32357013) 

  • Fruta exuberante, paladar abaunilhado, gordo e aveludado pautando a degustação. Final intenso, deixando uma sensação de quero mais. Primitivo Top!

Ventisquero Grey Single Block Chardonnay 2009 – R$ 99 – Carone (tel: 3137.2844)

  • Aroma intenso, levemente amanteigado, fruta na medida e madeira muito bem colocada. Paladar com boa acidez, equilibrado longo. Um belíssimo Chardonnay!

Esporão Reserva tinto 2011 – Portugal – R$ 89 – Ok Hipermercado

  • Aromas de frutas maduras, negras e vermelhas, com notas de tostado e especiarias. O paladar é rico, exuberante, confirmando a fruta em compota, taninos firmes e longo final.

A maioria dos turistas que desembarcam diariamente em Buenos Aires tem em mente provar uma boa carne. Beneficiada pelas raças de gado, e o uso da grelha, a experiência carnívora por lá é realmente muito saborosa, tornando diferente do que estamos acostumados aqui no Brasil.

Durante minha estada portenha a convite da Wines of Argentina tive a oportunidade de conhecer o La Cabrera, no bairro de Palermo Soho, um restaurante onde se pode comer uma das melhores carnes de Buenos Aires.

Além do ambiente charmoso e aconchegante, a qualidade dos cortes, todos servidos com uma boa variedade acompanhamentos (salada, pães, legumes, purê, molhos, pastinhas, batatas, picles), são deixar qualquer um satisfeito.

Outro diferencial da casa é a carta de vinhos, com ampla variedade de rótulos e bons preços, que faz com que você possa harmonizar a sua carne com um vinho à altura. Tudo pelo menos 1/3 do que é cobrado no Brasil. Em torno de 50 dólares o casal, já com um bom vinho.

Pães, grissini e salada.

As famosas Morcillas

Bandiola, uma suculenta carne de porco.

Picanha com bacon, afff!

La Cabrera – Os dois endereços

Cabrera 5099 e 5127 – Palermo Soho

www.parrillalacabrera.com.ar

Robert Parker, o mais respeitado e odiado critico de vinhos do mundo está lançando uma nova revista em parceria com a editora Hubert Burda Media. A revista com o nome 100 Points by Robert Parker, voltada para o os milionários, falará de produtos de luxo em geral, inclusive vinho, porem não fará críticas e resenhas. A nova revista deve ser lançada agora em junho e será trimestral.

O serviço de luxo atingiu um novo patamar. O hotel Casa Madrona, em Sausalito, nos arredores de San Francisco, Califórnia, decidiu acrescentar um pouco mais para os clientes que ficarem hospedados em sua suíte mais luxuosa. Por cerca de £ 6.000 (US $ 10.000) por noite, é possível receber seu champagne voado através de um drone. Putz, é muita frescura!!! Veja mais aqui.

Horácio, Pedro Henrique e Natália são três aventureiros que formam a família Barros, que embarcou em uma viagem que visitou 34 países, em 27 meses começando pelo Brasil-Belo Horizonte, somando mais de 100 mil km percorridos em um motorhome de 27 m². A ideia do idealizador do projeto, o aposentado mineiro Horácio Barros, era conhecer produtoras de vinho no mundo todo e divulgar as características e os produtos de cada região. Entre os destinos estiveram: países da América do Sul, América do Norte, Europa, Oceania e África. A jornada enoturística teve início em janeiro de 2012 e terminou recentemente. A família viveu muitas aventuras, segundo Pedro Barros.

Visite o site da viagem . Lá é possível encontrar dicas sobre a bebida, fotos e vídeos dos itinerários em vários países, como Espanha, Canadá, África do Sul e Uruguai.

Parabéns a Família! Inveja!

Acaba de chegar ao Brasil direto da Itália o primeiro vinho em lata. O Vino Cinque possui o selo IGT (Indicazione Geografica Típica) o que significa que é produzido em uma única região da Itália, a Emilia-Romagna, sob condições muito específicas. Isso garante a procedência do vinho e que nele sejam utilizados apenas às uvas e processos rigidamente controlados. Para sua produção, os enólogos italianos conduziram longas degustações, buscando o equilíbrio ideal e assim conferiram ao Cinque uma intensa refrescância – que se transformou na alma do produto.

A lata de alumínio é um formato prático, moderno e adequado para qualquer ocasião, tudo isso sem perder os atributos essenciais para preservar um bom vinho, como o isolamento com o ambiente externo e a vedação à entrada de luz. Além disso, é fácil de gelar (um termômetro na lateral fica azul quando a temperatura estiver “no ponto”) e de transportar. Sem contar que a lata de Cinque reflete também uma preocupação especial com a sustentabilidade. A reciclagem do alumínio é muito mais rápida e fácil do que a reciclagem do vidro.

Por ser descomplicado e prático, cabe em qualquer situação – casa, praia, parque, piscina, montanha. Acompanha muito bem pratos leves, tais como saladas, grelhados e frutos do mar. Vai bem também com massas caseiras e até com uma pizza. É para se tomar muito gelado por isso vem com um termômetro na latinha que, quando estiver azul, indica que está no ponto certo. 

Mais informações: 

Texto publicado originalmente na coluna Vivendo a Vida | C2 + Prazer & Cia | Jornal A Gazeta

Não é simples entrar no Mundo de Baco. Todo consumidor de vinho sabe disso. A estrada é longa – repleta de taças – até se chegar ao posto de enófilo, como são chamados os amantes da bebida. Se você não aprecia vinhos, a dificuldade em ingressar neste universo deve ser o principal motivo. Ao contrário da cerveja, onde não há requintes de consumo (é só abrir a garrafa ou latinha, bem gelada de preferência), o vinho exige uma série de regras. A começar por abrir uma garrafa. É preciso um abridor especial, de nome saca-rolhas. Há vários tipos por aí. Com o instrumento em mãos, é preciso uma certa técnica para tirar a rolha sem quebrá-la. 

Vinho aberto, vem a dúvida: em que copo servir? O melhor é uma taça. E saiba que há uma para cada tipo de vinho, incluindo os vinhos borbulhantes, mais conhecidos como espumantes (ou champagne, se vier da região de mesmo nome na França). Antes de dar o primeiro gole, é aconselhável conferir a temperatura. Mais baixa (de 4ºC a 8ºC) para espumantes e vinhos brancos, mais alta (de 12ºC a 18ºC) para os tintos e fortificados.

Viu quantas etapas é preciso vencer para degustar um vinho? É ou não é complicado? E o pior, não acabou. Antes de cumprir todo este ritual, ainda é necessário comprar um vinho – tinto, branco, rosé, espumante, frisante, fortificado… E sabe quantos rótulos estão à venda somente em Vitória? Mais de 10 mil. Ou seja, em frente à adega de uma loja, na prateleira do supermercado ou, especialmente, com a carta de vinhos em mãos em um bar ou restaurante, as dúvidas são imensamente maiores do que as certezas. 

Pois foi pensando nestas dificuldades que o dinamarquês Heini Zachariassen, um grande apreciador de vinhos, começou a procurar uma saída que facilitasse a busca por conhecimento acerca da bebida de Baco. Ele convocou o amigo Theis Soendergaard e, juntos, decidiram criar uma ferramenta para auxiliar os amantes do vinho a obterem informações e compartilharem dados de forma rápida e fácil. Sem nenhuma complicação! Foi assim que nasceu o Vivino – o melhor e maior aplicativo de vinhos do mundo. 

A inspiração veio do IMDb Movies, maior site de cinema do mundo, uma espécie de “Google dos filmes”. O software exclusivo do Vivino, que chegou ao mercado há apenas dois anos, permite aos seus usuários identificar rapidamente um vinho, somente fotografando o rótulo com o smartphone. Para isso, basta baixar, gratuitamente, o aplicativo na App Store ou no Google Play.

A partir da identificação do rótulo praticamente imediata pelo programa são informados o nome do vinho, o produtor, a vinícola, a região, o país, as castas utilizadas, a safra, entre outras informações. Ainda é possível ler comentários, ver preços, descobrir os locais de comercialização dos rótulos e ter sugestões de harmonização. A grande sacada do Vivino é que ele é uma ferramenta ágil e ampla para aqueles que buscam saber quais vinhos as pessoas reais gostam e não o que os críticos de vinhos indicam.

O software possui uma adega virtual de 3,5 milhões de vinhos digitalizados. Com este imenso banco de dados – único no mundo – o aplicativo já contabiliza mais de 4 milhões de usuários e 50 milhões de consultas em todo o mundo. Só no Brasil são mais de 550 mil usuários. E isso que ele só é oferecido em inglês. É não, era! Esta semana o Vivino lançou a sua versão em português. Assim, a expectativa é ultrapassar a barreira de 1 milhão de usuários brasileiros até o final do ano. 

Hoje, o banco de dados do aplicativo possui, por exemplo, 23 mil rótulos brasileiros, mais de 150 mil chilenos e 134 mil argentinos. Estão inseridos no programa quase 150 mil vinícolas, 1.768 regiões produtoras de vinho, 55 países, 1.407 variedades de uvas e 1,5 milhão de avaliações. Os vinhos franceses, espanhóis, italianos, norte-americanos, chilenos e argentinos são os mais procurados. Entre as variedades de uvas, as mais populares são Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot e Pinot Noir.

O Vivino possui um layout cor de vinho semelhante ao do Instagram. Seu funcionamento é super amigável. O aplicativo está totalmente conectado às redes sociais, permitindo aos usuários curtir e compartilhar seus vinhos no Facebook e no Twitter. A avaliação dos vinhos é uma das principais ferramentas apreciadas pelos enófilos. Isso porque cada rótulo da adega virtual do Vivino apresenta uma nota, advinda do cruzamento de pontos fornecidos pelos usuários que já consumiram o vinho. O sistema didático atua com a concessão de estrelas: 1 (Não gostei); 2 (Ok); 3 (Bom); 4 (Ótimo); e 5 (Sensacional). Através desta pontuação é que são feitos rankings dos vinhos preferidos pelos usuários.

Ainda no mês de maio os apaixonados por uma boa cerveja terão a oportunidade de aprender sobre o mundo das artesanais. A Expo Beer-ES, 1º Salão Capixaba de Cervejas Artesanais, que acontece entre os dias 29 e 31, no estacionamento do Shopping Vitória, na Capital, irá reunir as principais microcervejarias artesanais do país. A abertura do evento contará com a presença do dono da Falke Bier, Marco Falcone.

Com o lema, Beba menos, beba melhor, a Expo Beer-ES vai colocar o Espírito Santo no circuito de eventos do ramo oferecendo aos participantes a oportunidade de degustar e harmonizar as principais cervejas produzidas no Brasil, além de contribuir para a realização de rodadas de negócios entre comerciantes e empresários interessados.

Um dos pontos altos do evento serão os workshops. No dia 30 de maio, a Expo Beer-ES recebe o mestre em Estilo de Cerveja e Avaliação pelo Siebel Institute of Chicago, Maurício Beltramelli, que na ocasião irá ministrar a palestra: Iniciação ao mundo das cervejas artesanais.

No dia 31 de maio, será a vez do chef de cozinha e sommelier, Ronaldo Rossi, que tem larga experiência na área de gastronomia e cerveja, passar o seu conhecimento com o curso: Harmonização culinária com cervejas especiais.

A Expo Beer–ES também abrigará cinco empresas que fornecem produtos, serviços e insumos do setor. Bares e restaurantes locais também marcarão presença, pois, petisco combina com cerveja e a dupla perfeita não pode faltar.

Os ingressos para 1º Salão Capixaba de Cervejas Artesanais estão à venda no postos de vendas oficiais e no endereço eletrônico: www.blueticket.com.br. Menores de 18 anos estão proibidos de participarem do evento. 

Evento: Expo Beer-ES – 1º Salão Capixaba de Cervejas Artesanais

Local: Estacionamento do Shopping Vitória - Vitória-ES

Data: 29, 30 e 31de maio de 2014

Horário: 17h às 0h

Classificação: 18 anos

Ingressos à venda: blueticket e O Frank Irish Pub e Banca Rocker’

Valor: R$ 25,00 (evento) R$ 125,00 (evento + workshop)

Com a padronização de estilo imposta pela critica internacional em um mercado ainda imaturo e com a necessidade de retorno imediato, é uma missão quase impossível encontrar vinhos com “personalidade”. Fico sempre surpreso e feliz quando encontro. A sensação de provar algo diferente e saboroso foi a que tive com o Monti Langue Bianco DOC 2009 – 70% Chardonnay e 30% Riesling Renano – (R$ 85 Zanatta Wine Store), na taça. Um vinho italiano rico, vibrante, com notas de pêssego, mel, especiarias e mineral. O paladar também agradou muito. Gordo, levemente amanteigado, com álcool e acidez integrados, deixando uma sensação agradável e longa na boca. Pede mais um gole. Fica a dica, saúde!

Saiu o resultado Top Five – Vitória ExpoVinhos 2014, que premiou os cinco melhores vinhos degustados na tarde de ontem por um grupo de jurados no Hotel Senac Ilha do Boi. Foram seis categorias: Tinto e Branco Velho Mundo, Tinto e Branco Novo Mundo, Espumante e Sobremesa. Com a divulgação do resultado antes do evento os visitantes poderão degustar os vinhos premiados durante os dois dias da feira, que começa hoje a partir das 18 horas no Centro de Convenções de Vitória, em Santa Lúcia. Quem ainda não fez a sua inscrição, poderá fazer na hora.

Brancos do novo mundo

  • Salton Virtude Chardonnay 2011 – Brasil –
  • Casa Del Bosque Reserva Sauvignon Blanc 2013 – Chile
  • Dedicato Monte Paschoal Chardonnay 2012 – Brasil
  • Brancott State Sauvignon Blanc 2013 – Nova Zelandia
  • Kim Crawford Spot Sauvignon Blanc 2013 – Africa do Sul

Brancos do Velho Mundo

  • Carvalhas 2011 (Viosinho, Rabigato e Códega) – Portugal
  • Marquesa de Alorna Reserva 2011 – Portugal
  • Monti Langue Bianco DOC 2009 (Chardonnay e Riesling) 2009 – Itália
  • Drapeaux de Floridene 2011 (Semillon e Sauvignon Blanc) – França
  • Milmanda 2008 Chardonnay – Espanha

Espumantes

  • Casa Pedrucci Reserva Brut 2011 – Brasil
  • Vértice Millésime 2009 – Portugal
  • Escorihuela Gascón Champenoise Extra Brut – Argentina
  • Monte Paschoal Dedicato – Brasil
  • Santa Digna Estelado – Chile

Vinhos de sobremesa

  • Salton Intenso – Brasil
  • Grandjó Late Harvest 2007 DOC – Portugal
  • Bastardo Licoroso 2010 – Portugal
  • Madeira Justino´s 10 anos – Portugal
  • Morandé Edición Limitada Golden Harvest – Chile

Tintos do Velho Mundo

  • Fleur de Clinet 2009 – França
  • Solengo IGT 2006 – Itália
  • Crasto Reserva Vinhas Velhas 2010 – Portugal
  • Conde de Ervideira Private Selection – Portugal
  • QPA Touriga Nacional 2007 – Portugal

Tintos do Novo mundo

  • Flaherty 2011 – Chile
  • Monte Paschoal Reserva Cabernet 2012 – Brasil
  • Kankanas de Elqui Syrah 2008 – Chile
  • Vertice 2009 – Chile
  • Aurora Reserva Merlot 2012 – Brasil