search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for dezembro, 2013

Texto publicado originalmente na coluna Vivendo a Vida | Caderno Prazer & Cia | Jornal A Gazeta em 27/12/2013

Elaborado em diversas regiões do mundo, o que lhe confere características próprias, o espumante se tornou símbolo de alegria no dia-dia de quem valorizam o brinde. Nas festas de final de ano e no verão que as borbulhas se tornam obrigatórias.

Prosseco na (Itália), Cava (Espanha), Sekt (Alemanha) são vários nomes dados aos espumantes, de acordo com o país, mas foi a Champagne, na França que ganhou fama por produzir os melhores do planeta. Só pode ser chamado de Champagne o espumante produzido na região de champagne.

Felizmente, não precisamos ir longe para provar bons rótulos. O Brasil é considerado um dos melhores produtores de espumante. Existem ótimos rótulos nacionais, em várias faixas de preços. Quer saber como escolher o que mais lhe agrada?

Primeiramente, verifiquem no rótulo as diferenças entre eles quanto a quantidade de açúcar (o que sobra depois da fermentação + adição do licor de expedição). As classificações são as seguintes: Nature (Zero açúcar + residual), Extra-Brut (de 0 a 6 g/l de açúcar – bastante seco), Brut (máximo de 12 g/l de açúcar -seco) e  Demi-sec (de 32 a 50 g/l de açúcar – doce) e Doce (acima de 60,1 g/l).

Em seguida, considere o processo de produção. Os espumantes com duas fermentações, quando são formadas as bolhas de gás carbônico, responsáveis pela efervescência são os mais consumidos. Podem ser elaborados pelo método Champanoise, em que a segunda fermentação é feita na garrafa. São normalmente mais encorpados, complexos. Os do método Charmat, em que o processo ocorre em grandes taques de inox, são mais frescos, com aromas de frutas destacados.   

Por fim verifique as uvas utilizadas. Os Blanc de Blancs, 100% de uvas brancas, em sua maioria são mais leves e elegantes. Já os Blancs de Noirs, de uvas tintas, geralmente Pinot Noir, são mais estruturados. Quando não houver a menção no rótulo dos termos, normalmente será uma corte com duas ou mais uvas.

Agora, coloque o vinho na temperatura ideal (5 a 8º C), erga a taça e brinde 2014. Que seja o melhor ano da sua vida! 

Miolo Terranova Blanc de Blancs – Brasil – 21,00 – Carone

  • A menção Blanc de Blancs significa que foi elaborado a partir de uvas brancas. Esse rótulo é Ideal para abrir um jantar, pratos leves á base de peixes, frutos do mar, e canapés dos mais variados. 

Adolfo lona Rosé – Brasil – 39,00 – Espaço DOC

  • Elaborado pelo método Charmat, ou seja, quando a segunda fermentação é feita em grandes tanques de inox, apresenta belo perlage, aromas lembrando morango e frutas vermelhas. Paladar cremoso, estruturado e com ótima acidez. Combine com embutidos, carpaccio e pastinhas variadas. 

Montelvini Promosso Extra Dry – R$ 39,00 – Ville du Vin

  • Elaborados com a uva Gelra, e conhecidos no Brasil como Prosecco, são produzidos pelo método Charmat. Esse é uma classificação extra dry, fresco frutado e levemente doce. Vai combinar com massas com frutos do mar, risotos, presunto e até carnes grelhadas.

Chandon Riche Demi-Sec – R$ 57,90 – Extraplus

  • Elaborado a partir das variedades Riesling Itálico, Chardonnay e Pinot Noir. Aromas lembram doce de laranja e frutas secas como uva passa, figo com toques de mel. No paladar mostra boa acidez e uma sensação de cremosidade. Vai combinar com tortas e bolos, sorvete de creme, patês e mousses, queijos de mofo azul, peixes com molhos ricos em manteiga.

Première Bulle Fushia Nº1 Brut – 68,00 – www.buywine.com.br

  • Produzido em Limoux, na Fraça, que reivindica a invenção do vinho tipo Champagne, apresenta aroma potente, com frutas e também notas de mel e tostadas. Primeira impressão na boca excelente. Concentração de sabor, corpo. Cremoso e refrescante. Vai combinar bem com a culinária japonesa, sushis e sashimis.

Freixenet Reserva Real – R$ 139 – Ok hipermercado

  • Esse cava passou por um processo de produção diferenciado, oferecendo-lhe características únicas. O nome Reserva Real, vem do fato de ter sido feito originalmente para a visita da família real espanhola nas cavas Freixenet. Rico e estruturado vai bem com camarão e lagosta, peixes, carnes brancas e outros pratos finos levemente temperados.

Champagne Montaudon – R$ 98 – www.wine.com.br

  • Amarelo dourado claro e brilhante, ótima perlage, pequena e abundante. Aroma de bom ataque, com boa complexidade, frutas brancas, tostado e um leve mineral. Equilibrado, fresco, Deixa sensação muito gostosa na boca. Vai bem com salmão grelhado.

Champagne Gosset Brut Excellence – R$ 260,00 – Grand Cru

  • Elaborado por uma das mais tradicionais e confiáveis casas de Champagne, apresenta aroma potente, com notas de fermentação, padaria. Pão torrado. Na boca bastante  concentrado com notas minerais e cítricas. Extremamente elegante. Harmonize com ostras.  

Em estudo publicado no periódico “Australian Journal of Grape and Wine Research”, a professora da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP Inar Castro e colegas criaram um ranking de vinhos da América do Sul com base em seus benefícios à saúde.

Foram analisadas 666 garrafas de vinhos da Argentina, do Brasil, Chile e Uruguai que custam menos de US$ 50. Metade era 2009 e a outra, com as mesmas marcas, de 2010 – o objetivo era ver se a safra poderia influenciar os resultados, o que não ocorreu.

Os primeiros colocados do ranking foram o tannat e o malbec argentinos, praticamente empatados. Depois vêm, nessa ordem, as uvas syrah, carménère, cabernet sauvignon e merlot. As pesquisadoras não divulgam as marcas analisadas.

Também é possível olhar para os resultados de acordo com o país. Entre os vinhos de alta funcionalidade, a maioria eram argentinos, seguidos pelos chilenos, brasileiros e uruguaios.

A uva campeã não é exatamente uma surpresa. A tannat, como o nome indica, é rica em taninos. “E quanto mais tanino e quanto maior o sabor adstringente, mais potente o efeito para a saúde. Por isso o chá-verde, que é amargo, é rico em antioxidantes”, afirma a nutricionista e bioquímica Lucyanna Kalluf.

Para chegar a essa conclusão, as pesquisadoras da USP avaliaram a atividade antioxidante (capacidade de “varrer” os radicais livres que causam oxidação celular), concentração de substâncias fenólicas (compostos como o resveratrol que têm ação antioxidante e anti-inflamatória) e a quantidade de antocianinas (pigmento roxo da família dos flavonoides).

Continue a leitura
aqui.

Nada de regimes restritivos, sucos estranhos ou suplementos vitamínicos – para ter uma alimentação saudável e escapar dos males causados pelos alimentos industrializados, basta se espelhar na dieta que os nossos avós seguiam. Foi isso que a jornalista Marcia Kedouk descobriu durante suas pesquisas para escrever o livro Prato Sujo – Como a Indústria Manipula os Alimentos para Viciar Você (Editora Abril), lançado no último dia 8. Continue a leitura aqui.

Os franceses gostam de explicar as características — e o preço — de seus vinhos pelo terroir, um conceito subjetivo que combina particularidades de solo, clima, geologia e variedades de uvas. Mas uma pesquisa americana acrescenta um novo, e pouco charmoso, elemento às chances de sucesso de um vinho: a composição de micro-organismos presentes na casca da uva. Segundo o estudo publicado numa das importantes revistas científicas do mundo, bactérias e fungos são tão fundamentais quanto o terroir.

Em tese, o transporte das uvas revestidas por fungos e bactérias de Bordeaux, na França, para outra região poderia levá-la ao cultivo de vinhos de qualidade semelhante ao francês. O recém-descoberto “kit micróbio”, no entanto, só valeria para locais em que o clima fosse parecido com o do país europeu. Esta teoria, no entanto, ainda não foi estudada. Continue a leitura aqui.

O vinho base ou base de espumante, servirá de plataforma para futuros espumantes ou champagnes, independente do método escolhido para a segunda fermentação, se pelo Charmat ou pelo Tradicional (Champenoise).

O método escolhido para a segunda fermentação serve para definir a proposta escolhida para o espumante. A qualidade de um vinho com borbulhas depende, estritamente, da qualidade de seu vinho base. 

As uvas são colhidas mais cedo para manter o perfeito equilíbrio açúcar(maturação)/acidez. A acidez é um dos pilares de um vinho com borbulhas, sem ela nada feito. Aqui, na Serra Gaúcha, Brasil, temos uma das melhores condições e clima e solo do planeta para a produção deste tipo de vinho.

Mais, pode-se conservar o vinho base, em condições especiais, por pares de anos podendo-se elaborar a segunda fermentação neste período inclusive aproveitado esta e aquela safra. 

No caso de elaboração de um espumante de qualidade excepcional é possível passar o vinho base por barricas de carvalho para dar ao espumante aromas e sabores especiais.

O Governo do Espírito Santo e o município de Jaguaré assinaram com a Wine.com.br um “Protocolo de Intenção” para criar condições para a instalação de uma fábrica de cápsulas de café e tornar o Estado referência em alta tecnologia de produção de café em cápsula no Brasil e no mundo.

A Wine.com.br lançará uma empresa (“start-up”, ainda sem marca) que cuidará do novo negócio da área de café. O investimento de 50 milhões de Reais prevê a implementação para o segundo semestre do ano que vem de um Centro de Inovação em Vitória e a instalação, em até dois anos, de uma fábrica de alta tecnologia de produção de café em cápsula. Quando estiver na fase de operação e expansão, a fábrica que será construída em Jaguaré, ES, poderá gerar até 250 empregos diretos e 400 indiretos.

O Centro de Inovação, que antecederá a fábrica, será responsável pelo desenvolvimento de produtos (máquinas, processos, cápsulas, torrefação, moagem e blend), treinamento e capacitação de mão de obra, prioritariamente na região do Espírito Santo. Este será o primeiro Centro de Inovação de café em cápsula ligado a um país produtor do mundo.

A nova marca deverá ser lançada pela start-up no segundo semestre de 2014. O objetivo dos gestores desta nova empresa é desenvolver um blend que tenha a essência do Brasil.

 O Brasil é atualmente o maior produtor e exportador de café verde do mundo com cerca de 50,8 milhões de sacas, sendo responsável por quase um terço da produção mundial que foi de 144,5 milhões de sacas em 2012, segundo a OIC-Organização Internacional do Café. Espírito Santo é o segundo maior produtor brasileiro de café. A exportação de grãos de café rendeu 6,4 bilhões de dólares no último ano. Mas até hoje não dispunha de um Centro de Inovação com características de pesquisa e produção de café em cápsula.

Polo de tecnologia no Brasil

As intenções anunciadas hoje resultarão em um polo tecnológico de café em cápsula no Brasil. O país, que é o maior produtor e exportador de café em grãos do mundo, não tem tradição na pesquisa, produção e exportação de café com valor agregado, ou seja, com marca e tecnologia de produção. Esta iniciativa criará uma série de oportunidades para o desenvolvimento, a diversificação da economia local e estadual e capacitação de mão de obra altamente especializada e qualificada local, com a geração de empregos diretos e indiretos. Haverá um esforço para inserir e capacitar o produtor rural do Espírito Santo no processo de desenvolvimento de café tipo Premium.

O projeto terá incentivos por parte do governo e em contrapartida, realizará pesquisas para incrementar o desenvolvimento do mercado de café em cápsula no Brasil. “Embora o país seja reconhecido por sua produção, temos perdido poder no que tange a tecnologia, principalmente no café em cápsula. É esta fatia do mercado que vamos desenvolver”, diz Ricardo Flores, responsável pela nova unidade de negócio.

Lançamento do rótulo aconteceu no dia 28 de novembro, durante as comemorações do cinquentenário da Associação Brasileira de Angus

Seguindo a tendência das associações de criadores de raça da Argentina e de outros países que se destacam por seus criatórios de raças britânicas, a Associação Brasileira de Angus lançou, no dia 28 de novembro, durante as comemorações ao seu cinquentenário, a edição especial de 1000 garrafas de um lote limitado do Vinho Angus.

A vinícola escolhida para fornecer a bebida de Baco aos criadores da tão reconhecida raça de carne de maciez foi a Guatambu Estância do Vinho, de Dom Pedrito, RS, através de seu varietal Tannat, da safra 2012: “É um vinho que possui como característica marcante sua tanicidade, perfeito para ser harmonizado com uma carne suculenta e de ótimo marmoreio, como são as provenientes da raça Angus”, declarou Gabriela Hermann Pötter, enóloga da vinícola.

O rótulo pode ser adquirido exclusivamente na Associação de Criadores de Angus.

Sobre a Guatambu Estância do Vinho

A Guatambu Estância do Vinho é uma vinícola boutique de Dom Pedrito, RS. Seu trabalho é realizado através de administração familiar, em pequena escala, somente com uvas próprias, lotes limitados e garrafas numeradas desde 2003. Mais informações, acesse o site: .

O restaurante italiano Cantina do Bacco, com mais de 8 anos em Vitória-es, acaba de conquistar pela primeira vez o Prêmio Top Qualidade Brasil 2013. A premiação concedida pela ABRAHM – Academia Brasileira de Honrarias ao Mérito, entidade mantida pelo CICESP – Centro de Integração Cultural e Empresarial de São Paulo, reconhece as iniciativas de empresas do segmento industrial, comercial e serviços que se destacaram no ano.

Os indicados passam por um processo rigoroso de avaliação feito por examinadores do NPQ – Núcleo de Pesquisa de Qualidade que realiza uma pesquisa entre os clientes e fornecedores considerando critérios que vão desde a filosofia empresarial, tradição no mercado e práticas operacionais a pesquisas e desenvolvimentos de produtos, ações de responsabilidade social e certificados de qualidade conquistados.

A entrega do troféu (foto acima Macus Texeira e sua esposa Simone), do selo e do certificado de qualidade do Prêmio Top Qualidade Brasil 2013 aconteceu neste mês em São Paulo com a presença das empresas indicadas, autoridades brasileiras e imprensa oficial do evento. Na ocasião, foram comemorados os 80 anos da APL – Associação Paulista de Imprensa responsável pelo NPQ.

Para comemorar esse merecido prêmio a casa promoveu um jantar em parceria com nada menos que a Moët Chandon, que sob o comando de Lucio Rossi, aproveitou para lançar duas edições especiais. O blog Vivendo a Vida conferiu!

A Moët Luminosa apresenta uma gravata especial que se ilumina no escuro e foi o grande destaque da noite, show!!!

Já a Golden Dust foi inspirada na mágica efervescência das adegas da Moët & Chandon. É revestida com purpurina dourada. Um verdadeiro luxo!

Entre os pratos servidos a vieira com caviar combinou perfeitamente com a Champa!!!

Av.Anisio Fernandes Coelho, 66, lj- 9,10,11,12
Jardim da Penha, Vitoria – ES -+55 27 3325 0847

http://www.cantinadobacco.com.br

Ganhou aquele whisky 18 anos, mas prefere um bom vinho tinto? Que tal trocar aquela antiga adega climatizada por aulas de tênis, ou por aquelas aulas de violão que sempre quis? Ou uma bolsa-térmica por aquele saca-rolhas profissional? Com o Escaboo você troca o que não quer mais por algo que tanto deseja!

Inspirado no escambo – prática ancestral que historicamente marca a primeira manifestação do comércio na civilização – a plataforma disponibiliza aos consumidores a oportunidade de anunciarem gratuitamente suas mercadorias e descrever os itens que gostariam de receber: após criarem uma conta e atualizarem os dados em seu perfil, cada pessoa pode incluir fotos e descrição do que gostariam de trocar, além de divulgarem o que desejam receber em troca.

Basta se cadastrar no site do Escaboo e começar a trocar! 

A Revista ADEGA selecionou 15 águas minerais (sete sem gás e oito gaseificadas) presentes no mercado brasileiro e as avaliou às cegas, colocando-as lado a lado com diversos tipos de vinho para poder indicar as melhores harmonizações. Veja aqui
o resultado.