search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for março, 2013

Paolo Basso da Suíça foi eleito nesta sexta-feira, o melhor sommelier do mundo, em Tóquio, depois de uma árdua competição, onde enfrentou 56 candidatos de 54 países.

Depois de passar quarta e quinta-feira a duas baterias, Basso foi o mais convincente em seu conhecimento de vinhos, o seu serviço e a sua apresentação.

Organizado no teatro de Fórum Internacional de Tóquio, a final foi cuidadosamente organizada para desafiar a capacidade dos candidatos com armadilhas, pistas falsas e surpresas através de seis eventos. 

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Matéria publicada hoje, 29/03, no Caderno Prazer & Cia – Jornal A Gazeta

Para a maioria das pessoas, especialmente os cristãos, a Páscoa lembra encontro em família, resultando na tradicional troca de ovos de chocolate, símbolo do renascimento da vida. Mas, por que não aproveitar esse momento para incluir o vinho na mesa e brincar de harmonizar.

Apesar de serem ingredientes tradicionais do período de Páscoa vinho e chocolate normalmente não são consumidos juntos. Isso porque combiná-los requer alguns cuidados, porém o resultado compensa trazendo experiências únicas e agradáveis surpresas para os mais aventureiros. Para garantir o sucesso da combinação, prefira chocolates com alto índice de cacau, no mínimo 60%, já que, quanto maior este percentual, menor o índice de gordura e menos doce é o chocolate. Consequentemente, menos doce precisa ser o vinho – o que possibilita a harmonização com rótulos secos e bem estruturados.

Os chocolates com maior concentração de cacau, acima de 50%, combinam bem com diversos tipos de tintos, sejam eles jovens ou encorpados e bem estruturados, preferencialmente de varietais com Cabernet Sauvignon e Shiraz. Se o chocolate tiver até 70% de cacau em sua composição, a sugestão são os rótulos tintos secos de boa estrutura e sem passagem por madeira, como os Merlots jovens. Acima deste percentual, a dica é optar um vinho tinto com leve passagem por madeira, em um corte entre Cabernet e Merlot.

Para quem não abre mão dos chocolates mais doces, os tradicionais, a sugestão são os vinhos mais adocicados ou mesmo licorosos. A minha opção é Vinho do Porto, do Porto Ruby, que indico do produtor C. Da Silva – Dalva, até o maravilhoso Late Bottle Vintage- LBV – Quinta do Crasto. Se o chocolate tiver frutas secas, um Porto Tawny vai melhor. O Perini Éden, um vinho branco fortificado, elaborado a partir da combinação de uvas finas aromáticas, com alto grau de maturação é outra opção. A prolongada permanência em barris de carvalho – até 20 anos – lhe confere uma coloração amarelo-âmbar, pronunciados aromas de mel e ameixa seca, além de sabor delicado. É ideal para acompanhar sobremesas a base chocolate ou mesmo um ovo de páscoa puro, até com menor percentual de cacau.

O espumante moscatel também é uma boa alternativa para acompanhar os doces da Páscoa. Os chocolates com recheio de frutas cítricas, por exemplo, podem ser harmonizados com espumante moscatel. A mesma indicação vale para os chocolates brancos, pois são mais gordurosos e a as borbulhas e acidez do espumante ajudam a “limpar” a língua”. O espumante moscatel é um coringa na harmonização de doces e serve como escolha fácil e certeira, especialmente para os mais leves.

Para chocolates com avelã ou licor, a dica é o moscatel de Setúbal, o Thasos, que tem sabor frutado e com grande frescor. Para chocolates com mais de 50% de cacau, até um espumante extra brut pode cumprir a tarefa de preparar a próxima mordida.

Vinhos indicados pela coluna:

Perini Éden

O Vinho Branco brasileiro Fortificado Perini é elaborado a partir da combinação de uvas finas aromáticas, com alto grau de maturação. A prolongada permanência em barris de carvalho lhe confere uma coloração amarelo-âmbar, pronunciados aromas de mel e ameixa seca, além de sabor delicado. Alc 16,5% – 500ml – R$ 32,00 – Onde encontrar: Carone – Nota: 87/100

C. Da Silva Dalva Porto Tawny

Vinho que apresenta uma coloração amarelo âmbar devido ao seu longo estágio em madeira. Possui aromas que evocam frutas passas e também um ligeiro toque de baunilha. No paladar, apresenta um sabor agradável com álcool bem casado. Alc 19% – 750ml – R$ 79,00
- Onde encontrar:  Ville du Vin -– Nota: 88/100

Thasos Moscatel de Setubal 2008

Com uma cor âmbar, límpido. Aroma intenso com notas de laranja, frutos secos, mel e nuances de baunilha. Em boca é frutado, macio, com bom frescor e persistência.  Alc: 17% – 750ml – R$ 100,00
– Onde encontrar: Sabores e Delícias (3084 6034) – Nota: 88/100

Porto Quinta do Crasto LBV 2006

Produzido a partir de uma só colheita excepcionalmente boa, esse LBV é elaborado a partir de mais de 30 variedades de uvas provenientes de vinhas velhas. Apresenta aroma de frutas secas e textura aveludada. Muito equilibrado. Alc: 19,2% – 750ml – R$ 126,00 - Onde encontrar: www.wine.com.br – Nota: 90/100

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

No CBN Cotidiano desta quinta-feira (28), conduzido por Geraldo Nascimento, falei no Minuto do Vinho como funcionam as confrarias de vinho e o que você deve saber para participar de uma delas. Áudio: http://migre.me/dT8CN.

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Um produtor na cidade de Cejkovice, na República Tcheca, criou uma garrafa gigante, com mais de dois metros de altura e 200 litros da bebida. Nesta quinta-feira, um representante do Guinness Book, o Livro dos Recordes, foi até o local medir a grandona e comprovou: é mesmo a maior garrafa de vinho já criada na República Tcheca. Um recorde no país, pelo menos.

Extra

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

O setor vitivinícola nacional reagiu de forma negativa à escolha do champanhe como bebida oficial da Copa do Mundo de 2014. A decisão da FIFA deixa de fora o produto b O tema foi discutido nesta terça-feira (26.3) durante reunião da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que contou com a presença de vereadores do município gaúcho de Garibaldi, considerada a Capital Nacional do espumante. Tiago Ferranti (PP) e Leandro Delazeri (PP) pediram o apoio dos deputados na luta pela inclusão do espumante entre os patrocinadores da Copa. “Temos que ser bairristas como os outros países são e lutar para incentivar o espumante brasileiro”, resumiu Ferranti.

A FPA manifestou apoio formal à proposta e vai iniciar uma mobilização junto à Casa Civil da presidência da república para pedir a inclusão do espumante produzido na serra gaúcha nas festividades da Copa. O deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS) criticou duramente a proposta por considerá-la um absurdo.

“Não há como nós não nos rebelarmos com uma notícia dessa natureza. Apreciar um produto estrangeiro num evento financiado com dinheiro público é algo inadmissível, ainda mais para um setor altamente premiado em nível internacional e que precisa do nosso apoio”, reagiu o parlamentar.

Ainda em 2012, Jerônimo iniciou um movimento em defesa do vinho nacional como patrocinador oficial da Copa, iniciativa vitoriosa que contou com o apoio do ministro do Esporte, Aldo Rebelo.

“Naquela oportunidade vencemos a disputa com o vinho chileno. Agora, vamos iniciar um movimento nacional para mostrarmos à presidente Dilma Rousseff que precisamos aproveitar a oportunidade para divulgarmos o que temos de melhor”, ratificou o parlamentar.

De acordo com dados do Cadastro Vinícola 2011, o Rio Grande do Sul reúne 751 empresas vinícolas (privadas e cooperativas), de pequeno, médio e grande porte. Juntas, elas processaram cerca de 700 milhões de quilos de uva em 2012. Segundo o Sindicato das Indústrias do Vinho do Rio Grande do Sul (Sindivinho-RS), estas empresas geram em torno de 3.300 empregos diretos.

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Com um conceito inovador, a Tato Vicentini Champagne Store (http://tatovicentini.com/) chega ao país com a proposta de ser o primeiro e-commerce especializado em champagne.

O portfólio criterioso, contando com marcas como Dom Pérignon, Moët & Chandon, Veuve Clicquot, Krug e Ruinart a empresa oferecerá rótulos emblemáticos, como a mística garrafa de Dom Pérignon Vintage 2003 e edições limitadas como Moët The Gift.

A adega do site conta ainda com safras especiais, com uma coleção única de raros vintages. Além da sofisticada pasta de bebidas, a empresa irá comercializar produtos com embalagens diferenciadas e estojos próprios das marcas, com acessórios como taças, coolers e shopping bags.

A loja online possui o seu Centro de Distribuição posicionado em Porto Alegre/RS, e atenderá todo o Brasil. As entregas serão operadas pela TAM CARGO, via transporte aéreo, com prazo de até três dias úteis para capitais e seis para interior.

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Nesta segunda feira, participei de uma deliciosa degustação com os vinhos chilenos da vinícola Santa Ema, promovido pela importadora Vinoteca Brasil na Enótria. Para acompanhar os vinhos, Simey Santos (proprietário da loja) preparou um belo churrasco, com direito a fraldinha e carré de cordeiro. Carne grelhada no nível das boas churrascarias da cidade.

A história da Viña Santa Ema tem seu início em 1927, quando Pedro Pavone Voglino deixou sua terra natal, a famosa região vinícola de Piamonte na Itália, e imigrou para o Vale do Maipo, no Chile.

Três foram as castas escolhidas por Sr. Pavone para suas plantações: as europeiras Cabernet Sauvignon, Merlot e Sauvignon Blanc. Essas uvas foram vendidas para vinícolas chilenas bem estabelecidas há mais de 20 anos, até que decidiu, junto com seu filho, Felix Pavone, criar a agora prestigiada Viña Santa Ema. Desde o seu início, a empresa tem se concentrado na produção de vinhos de alta qualidade.

As condições geográficas e geológicas do Chile proporcionam a alta qualidade de seus vinhedos e vinhos. Intensidade em aromas varietais e concentração são algumas das principais características dos vinhos originados do terroir chileno, tão característico também dos vinhos Santa Ema. São produzidos sob a supervisão contínua do seu proprietário, que gosta de participar na produção e administração da empresa, com a assistência de uma equipe de jovens profissionais e colaboradores experientes.

Atualmente, a média de produção chega a 500 hectares, plantados com Cabernet Sauvignon, Merlot, Carménère, Cabernet Franc, Syrah, Malbec, Chardonnay e Sauvignon Blanc, distribuídos em 60% no Valle de Maipo e 40% no Valle de Rapel.

Confira alguns rótulos degustados abaixo:

Santa Ema GRAN RESERVA MERLOT 2009 – Uva: 100% Merlot – Região: Valle del Maipo – Chile – 13,2% – 8 a 10 meses em barrica – R$ 69,00Nota: 89/100

  • Visual rubi, com aroma aberto de frutas vermelhas, baunilha, couro, chocolate e especiarias. Paladar com taninos macios, boa acidez, fácil de beber e de agradar.

Santa Ema AMPLUS ONE CARMENÉRE 2008 – Uva: 75% Carmenére / 20% Syrah / 5% Carignan – Região: Valle do Cachapoal – Chile – 14% – 12 meses em barrica – R$ 112,00Nota: 88/100

  • Visual granada, quase intransponível, aromas de frutas vermelhas maduras, cedro, com toques de pimentão e balsâmicos. Paladar seco, bom corpo; bom equilíbrio entre acidez e teor alcoólico e taninos macios. 

Santa Ema AMPLUS 100% CABERNET SAUVIGNON 2008 – Uva: 100% Cabernet Sauvignon – Região: Valle do Cachapoal – Chile – 14% – 12 meses em barrica – R$ 116,00Nota: 89/100

  • Visual rubi, nariz com notas intensas de frutas vermelhas, herbáceo e um agradável mentol. O paladar com bom corpo. Boa acidez, elegante, equilibrado e taninos macios. Retrogosto de frutas vermelhas, madeira e especiarias. Persistência média.


Santa Ema AMPLUS CARIGNAN 2007 – Uva: 100% Carignan – Região: Valle do Cachapoal – Chile – 15% – 15 meses em barrica – R$ 136,00Nota: 90/100

  • Visual púrpura, tingindo levemente a taça, com aroma franco com muita fruta vermelha e negra, com toques balsâmicos. O paladar é estruturado, bom equilíbrio entre acidez e o teor de álcool e taninos macios. Vinho com longa estrada pela frente.

Santa Ema GRAN RESERVA PREMIUM CATALINA 2009 – Uva:75% Cabernet Sauvignon / 18% Carmenére / 7% – Cabernet Franc – Região: Valle del – Cachapoal – Chile – 14% – 14 meses em barrica mais 12 meses em garrafa – R$ 169,00Nota: 91/100

  • Visual rubi, com aroma intenso, muita fruta, cereja, toques balsâmicos, algum chocolate; notas florais, especiarias e, baunilha. Paladar seco, corpulento, com ótima acidez, equilibrado com o teor de álcool. Taninos marcados, porém muito finos. Ótima concentração de sabor. Persistente. Fino!

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Há quase 200 anos, se começou a falar sobre os benefícios do vinho: O vinho tinto é uma bebida presente em várias mesas e tem propriedades benéficas para a saúde. Porém é preciso muita força de vontade para se adequar ao consumo recomendado de duas taças ao dia, rs. Veja as 18 boas razões para se consumir um bom vinho. 

Impede o envelhecimento celular – (1/18) - O vinho contém substâncias extremamente benéficas para a saúde de todo o organismo; Flavonóides, resveratrol, polifenóis, antocianinas, ácidos fenólicos; todos são substâncias que atuam contra os radicais livres, a principal causa do envelhecimento das células humanas.

Evita Diabetes – (2/18) A fonte de antioxidantes do vinho tinto parece ser capaz de reduzir os níveis de insulina no sangue, contribuindo assim para pacientes diabéticos. Sua real eficácia ainda está sendo testada, mas estudos publicados até agora mostram que o resveratrol ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue.

Previne o câncer – (3/18) O vinho tinto contém substâncias que agem sobre as células de uma forma especial: se beber um pouco a sobrevivência desses processos são acelerados e, inversamente, se a quantidade de vinho no corpo aumenta a auto destruição das células. Este mecanismo previne o câncer porque “ensina” células literalmente a morrer em caso de perigo. 

Previne colesterol – (4/18) Você sabe o que é o “paradoxo francês”? É o nome dado a um fato dado nutricional na França e não se encaixa com algumas teorias estabelecidas nutricionais: embora os franceses comem uma grande quantidade de gorduras de origem animal, mão sofrem com colesterol. Como você explica esse fenômeno? Com o consumo de vinho tinto que é rico em antioxidantes e resveratrol, atuam como vasoprotetores, impedindo moléculas lipídicas depositadas nas veias e entupimento e, assim, os valores de colesterol no sangue é reduzido.

Vai fazer você mais inteligente – (5/18) Um estudo realizado por psicólogos mostrou que, com o consumo moderado de vinho cérebro aumenta os estímulos, tanto em termos de qualidade e velocidade. Tempos de reação diminuiu em 25% e aumenta a criatividade em 50% disso, a relação vinho-inteligência vai de ambas as maneiras: algumas pesquisas têm mostrado que as pessoas com um QI mais elevado consomem mais álcool do que aqueles com uma pontuação mais baixa. No entanto, não comece a beber vinho vai ficar mais inteligente do que você. Além disso, o abuso de bebida destrói as células do cérebro de forma irreversível.

Ajuda a digestão – (6/18) Açúcares, o efeito estimulante do álcool e sabor de vinho ajuda o sistema gastrointestinal a operar com o desempenho ideal. Portanto, moderado consumo de vinho auxilia a digestão e evita alguns transtornos como a síndrome do intestino irritado.

Ajuda a perder peso – (7/18) o álcool no vinho tem um efeito calmante sobre o estômago e ajuda a eliminar a sensação de fome durante uma dieta de baixa caloria. No entanto, lembre-se que o vinho contém 70 calorias por 100 ml: Ao calcular as calorias diárias que você consome não se esqueça de escrever o copo de vinho que você degustar no jantar.

Protege o coração – (8/18 ) Ser rico em antioxidantes e polifenóis, vinho, especialmente o vinho tinto, protege a saúde do coração, um dos órgãos mais importantes do nosso corpo. O vinho é uma excelente vasoprotetor e tem vários benefícios: as chances de sofrer um acidente vascular cerebral, ataque cardíaco ou doença cardíaca é reduzida pela ingestão de dois copos de vinho por dia, consumido de preferência durante as refeições.

Ajuda os fumantes - (9/18) Fumar é prejudicial à saúde. No entanto, se você não consegue parar, você pode limitar os danos provando vinho tinto, uma vez que ajuda a dilatar as veias e artérias. Deste modo, evita possível trombose.

Previne pedras nos rins – (10/18) O vinho previne a formação de pedras nos rins, mas apenas se consumido em quantidades pequenas. Graças às suas propriedades antioxidantes e alcalinizantes, “purifica” a urina.

Impede a doença de Alzheimer – (11/18) O resveratrol, presente no vinho tinto, protege as células cerebrais evitando assim o aparecimento de a doença de Alzheimer. No entanto, não devemos abusar desta bebida: o excesso de álcool destrói sinapses e restringe a passagem de impulsos elétricos no cérebro. Dois copos de vinho por dia protege a massa cinzenta, mais uma vez, pode causar danos irreversíveis.

Combate a hipertensão – (12/18) O vinho é um anticoagulante muito eficaz que ajuda em todos os casos de hipertensão por relaxar as artérias e veias. O resultado desta sinergia, reduz o risco de ataques de acidente vascular cerebral, trombose e no coração. 

Impede aterosclerose – (13/18) Graças ao resveratrol, um poderoso antioxidante, o consumo moderado de vinhos faz com que as artérias recuperem a sua forma e função.

Reduz a taxa de mortalidade – (14/18) É paradoxal, mas beber vinho aumenta a expectativa de vida. Obviamente, estamos falando de um consumo moderado de não mais do que dois copos de vinho por dia: Com essa quantidade, o número de substâncias com o néctar dos deuses, pode melhorar a saúde geral do corpo e prolongar a vida das pessoas, com um consumo médio-baixo. Pelo contrário, o abuso do vinho e do álcool em geral, a expectativa de vida reduzida (devido a cirrose, acidentes, AVC …) 

É um excelente anti-inflamatório – (15/18) Resveratrol entra em jogo novamente: esta substância, além de ter um poderoso antioxidante, atua como um anti-inflamatório natural. De fato, inibe a ocorrência de duas moléculas (esfingosina e fosfolipase D) em carga de infecções perigosas que causam uma condição inflamatória significativa no organismo.

Também um antibacteriano – (16/18) a presença de polifenóis, resveratrol, estão sendo estudados para entender por que têm essa capacidade antibacteriana. Na verdade, parece que o vinho é útil na remoção de bactérias como a Salmonella e Shigella, responsáveis ​​por diarréia e febre. 

Socializa – (17/18) Um copo de vinho durante o jantar com os amigos ou em uma festa cria uma ambiente propício. Nós se sentir mais relaxado e timidez dá lugar a uma maior segurança. Pela enésima vez, lembre-se que é recomendado não exceder a “dose recomendada” de vinho: não haverá mais simpática depois de quatro taças. Além disso, os outros hóspedes não desfrutar com suas cenas, após a euforia alcoólica. 

Perigo do consumo excessivo de vinho – (18/18) O vinho tem uma característica reconhecida: tem um bom sabor, e um paladar sabor saboroso apreciado por todos. No entanto, deve-se levar em conta os benefícios que temos discutido até agora, ocorrem quando o consumo é reduzido para um, ou no máximo dois, copos diários. As doses variam nos indivíduos, sexo e idade. Em qualquer caso, a regra geral é evitar o consumo excessivo. riscos do consumo excessivo de vinho e álcool em geral, são vários: ataque cardíaco, acidente vascular cerebral, diminuição da hipertensão, cirrose hepática, gastrite, de capacidade cerebral, depressão, ansiedade, disfunção sexual, impotência, tumores, diabetes. Portanto, tente não exceder a dose recomendada de dois copos de vinho por dia, e tirar o máximo proveito dos benefícios desta bebida com segurança. 

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook


A vinícola Routhier e Darricarrère, de Rosário do Sul – Campanha Gaúcha-, é uma das 10 finalistas do Winestars World, concurso que está sendo realizado paralelamente a Prowein em Dusseldorf, Alemanha, uma das maiores feiras do setor.

O concurso avalia, além da qualidade do vinho, quesitos como embalagem, gestão, compras, vinificação, estratégia de preços, marketing e plano de negócios e garante acesso a mercados globais.

O vinho que participa desta seleção é o ReD – Routhier e Darricarrère-, já comentado aqui no blog, um assemblage de Cabernet Sauvignon e Merlot que inova através do seu rótulo com muita criatividade e ousadia.

A etapa final do concurso foi apresentada ao vivo, na terça-feira, dia 26 de março, quando oito dos maiores compradores da Europa conhecerão os 10 finalistas.

A Routhier e Darricarrère foi classificada, inicialmente, entre os 100 melhores rótulos, posteriormente entre os 20 finalistas e agora chega a etapa final quando será apresentado aos julgadores um vídeo com um breve histórico da vinícola e detalhes sobre o vinho ReD.

A grande premiação deste concurso consiste na inserção da marca ao universo dos maiores mercados compradores da Europa.


Siga o Blog Vivendo a Vida no Twitter

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

O que falar dos vinhos chilenos? Em minha opinião estão cada vez melhores. Um dos meus favoritos. Essa preferência foi reforçada na semana passada em uma degustação promovida pela WINE com a presença de José Canepa, o dono de uma das mais tradicionais vinícolas do Chile, a Viña Canepa. O jantar harmonizado ocorreu no Salsa da Praia, que fica no Shopping Day By Day – Praia do Canto, cercado de ótimos bares e restaurantes.

José Canepa Vaccarezza (esquerda) e Juan Pablo Mozó (Export Manager)

Assim como outras vinícolas da região, a Viña Canepa – como se chama em espanhol – também tem sua origem atrelada à Primeira Guerra Mundial, quando muitos agricultores europeus vieram para a América do Sul em busca de condições melhores para viver.

Desta forma, vindos da Itália, a Família Canepa chegou ao Chile em 1914, certamente influenciada por incertezas e desilusões em sua terra natal. A fundação da vinícola, porém, ocorreu somente em 1930, quando José Canepa Vaccarezza deu início às plantações de uva nas terras da família.

Desde o início, a Canepa tem desempenhado um papel muito importante na modernização da produção vinícola do Chile, sendo uma das pioneiras das uvas Zinfandel, Pinot Noir e vinhos Chenin Blanc, além de ser o primeiro produtor no Chile a empregar temperatura controlada em cubas de aço inoxidável para a fermentação de seus vinhos brancos. A vinícola se tornou famosa por apresentar um equilíbrio entre a tradição do Velho Mundo e modernidade do Novo Mundo na produção de seus rótulos, conquistando reconhecimento internacional, distinguida com diversos prêmios.

Com o passar dos anos e com o reconhecimento adquirido, a vinícola Canepa se expandiu e hoje as vinhas encontram-se em quatro terroirs chilenos: Maipo, Rapel, Curicó e Casablanca.

Canepa Reserva Privada Sauvignon Blanc 2011 – Sauvignon Blanc (100%).- 13% – Vale de Casablanca – 6 meses em inox – R$ 45,00 – Nota: 88/100 – Wine

Visual amarelo clarinho, aromas minerais, frutados, com um “cajá” evidente. O paladar é muito fresco, com uma acidez viva e bem equilibrada. Foi harmonizado com peixe empanado. Muito bom!

Canepa Finísimo Cabernet Sauvignon 2011 – Chile – Valle de Colchagua – Uvas: 85% Cabernet Sauvignon e 15% Syrah.– 14% – 12 meses em barricas de carvalho francês – R$ 70,00 – Nota: 90/100 – Wine

Visual rubi muito intenso, com reflexos púrpuras, límpido, brilhante. Aromas de frutas vermelhas maduras (ameixa), carvalho nobre, chocolate, caramelo e no fundo de taça, café. Paladar com ótimo corpo, bom equilíbrio entre acidez e teor alcoólico; tânico, com taninos de boa qualidade. Frutas vermelhas maduras, carvalho, fumo.

Costelinha suína ao molho barbecue

Depois de um terremoto devastador no Chile em 1939, que destruiu os vinhedos na região do Vale do Maule, o governo estimulou o replantio, usando uma nova variedade, a Carignan, com mudas de origem francesa importadas da Argentina. Bem adaptada ao clima local, a uva atravessou a segunda metade do século passado na mais absoluta discrição. Porque esta é uma variedade caprichosa: para dar origem a vinhos de qualidade, precisa de rendimento baixo, e seus vinhedos devem ser antigos, com pelo menos 30 anos de idade.

Canepa Genovino Carignan 2008 – Chile – Vale de Maule – Carignan (100%) – 14,5% – 14 meses em barricas de carvalho francês – R$ Indisponivel – Nota: 91+/100 – Wine

Visual rubi, com reflexos púrpuras, límpido e brilhante. O aroma se iniciou fechado, que com tempo abriu na taça com muita fruta vermelha e negra, com toques balsâmicos. O paladar é estruturado, bom equilíbrio entre acidez e o teor de álcool e taninos macios. Vinho com longa estrada pela frente.

Scalopes grelhados ao molho de ervas finas + risoto cítrico cogumelos parise aceto balsâmico

Crasto Etiqueta Negra Porto Finest Reserve – Portugal – Douro – Vinhas Velhas – 20% – Entre 24 e 48 meses em tonéis de carvalho – Nota: 87/100 – R$ 57,00 – Wine

Visual rubi intenso, aromas de frutas vermelhas acompanhadas de madeira, bastante intensos. No paladar mostrou boa acidez, álcool equilibrado, maciez e ótimo corpo. Harmonização perfeita com o doce de leite + gorgonzola.

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook