search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for julho, 2011


A Vinícola Perini, de Farroupilha (RS), lança um vinho inédito em parceria com a Osaka, conceituada rede nacional de culinária japonesa: o Osaka Sushi Wine. A bebida foi especialmente elaborada para a harmonização com pratos à base de pescados exóticos e aromas complexos, como peixes frescos, texturas diferenciadas, molhos especiais e os famosos sushis e sashimis. O lançamento será no próximo sábado, dia 30 de julho, na loja de vinhos Bocatti, em Caxias do Sul, durante todo o dia. A degustação será gratuita e aberta ao público.

O Osaka Sushi Wine foi elaborado com uvas tintas (Cabernet Franc e Merlot) parcialmente maceradas e aliadas à tecnologia empregada na produção de vinhos brancos. “Este vinho rosado apresenta baixa carga de taninos, aromas delicados e suavidade ao paladar”, explica o enólogo da Vinícola Perini, Cleber Andrade. A garrafa é transparente e traz um rótulo com layout inspirado nos saquês japoneses, reforçando o caráter temático do vinho. “Queríamos oferecer um produto personalizado, um pouco mais leve, porém com personalidade para harmonizar ainda mais com a culinária japonesa”, explica o sócio-proprietário do Osaka e idealizador da bebida, Guilherme Bergamaschi.

Segundo Bergamaschi, a ideia surgiu a partir de pedidos dos clientes que frequentam as seis filiais da casa (uma em Caxias do Sul e cinco em São Paulo). A proposta de leveza peculiar à bebida também aparece na embalagem. As garrafas do lote de 6 mil unidades já estão à venda no restaurante da rede em Caxias do Sul e, a partir de sábado, também na Bocatti. Mas a intenção, segundo o gerente comercial da Vinícola Perini, Franco Perini, é, em breve, expandir a comercialização para as outras filiais da rede Osaka, em São Paulo, e para o varejo.

Confira onde o Osaka Sushi Wine pode ser encontrado neste primeiro momento:

Boccati Vinhos, Queijo e Gastronomia – Rua Antônio Ribeiro Mendes, 2043. Caxias do Sul – (54) 3224.9900.

OSAKA CAXIAS DO SUL – Rua Coronel Flores, nº 776, Bairro São Pelegrino, Caxias do Sul (RS) – (54) 3222-7732.

Rede Osaka em São Paulo:

OSAKA ALPHAVILLE 1 – Calçada dos Mirtilos, nº 19, Alphaville, Barueri (SP) – (11) 4195-4287.

OSAKA ALPHAVILLE 2 – Calçada das Orquídeas, nº 209, centro Comercial de Alphaville (SP) – (11) 4688-1244.

OSAKA COTIA – Estrada do Capuava, nº 448, Loja 13, Bairro Jd. São Vicente, Município de Cotia (SP) – (11) 4777-0546.

OSAKA CAMPO BELO – Rua Constantino de Souza, nº 479, Bairro Campo Belo, São Paulo (SP) – (11) 5533-1052.

OSAKA SHOPPING. G. VIANA – Rod. Raposo Tavares, nº 23600, loja nº. 409, piso Terraço, Bairro Lageadinho – Cotia (SP) – (11) 4702-8256.

A Chef Capixaba Barbara Verzola (Restaurante Soeta) e Pablo Pavon estão participando neste final de semana (28 a 31 julho) da quarta edição do Paladar Cozinha do Brasil no hotel Grand Hyatt, São Paulo. A dupla deu início a segunda aula do dia, sexta feira 29, com o tema “camarão é de água doce” com crustáceos produzidos no Espírito Santo.

A base do evento são aulas com chefs de vários perfis, mostrando conceitos e receitas, contemplando da cozinha de raiz à alta gastronomia; degustações de vinho, café, cachaça, cerveja; palestras e bate-papos com estudiosos da gastronomia.

A conhecida crítica norte-americana de vinhos, Leslie Sbrocco, escritora e participante regular do programa Today, da NBC, acaba de realizar uma visita de dois dias a cinco vinícolas da região da Uva e do Vinho na Serra Gaúcha. Convidada pelo projeto Wines of Brasil, realizado em parceria entre o Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Leslie conheceu os vinhos e espumantes da Aurora, Casa Valduga, Lidio Carraro, Miolo e Pizzato. “São vinhos elegantes, que lembram muito o Norte da Itália”, disse ela após as visitas no Twitter (@lesliesb). 

Em depoimento para a gerente de Promoção Comercial do Wines of Brasil, Andreia Gentilini Milan, a norte-americana afirmou que gostou muito da qualidade geral dos vinhos brasileiros e, especialmente, da relação custo-benefício dos rótulos degustados. “Os produtos que provei são competitivos no mercado americano”, declarou. Leslie destacou ainda a elegância europeia dos vinhos verde-amarelos, o baixo teor de álcool e a boa acidez. 

Em um depoimento gravado para o Wines of Brasil acima, disse que espera provar vinhos de outras regiões do País, acreditando que o futuro é muito promissor para os vinhos brasileiros. Esta foi a sua terceira visita ao Brasil, mas só a primeira à região da Uva e do Vinho na Serra Gaúcha. Antes, Leslie tinha degustado poucos vinhos brasileiros. No ano passado, recomendou o Lote 43 no programa de TV em que participa na NBC. 

Bom dia meus amigos, na noite de ontem decidi abrir uma garrafa de um Syrah que ainda não conhecia na taça. O vinho escolhido foi o Argentino Luca Laborde Double Select Syrah 2007, elaborado pela filha do mestre Nicolás Catena, Laura Catena.

Laura Catena tem uma visão de criar uma nova geração de vinhos argentinos: pequenas quantidades, qualidade artesanal, e fiel ao terroir original.

Loborde Double 100% Syrah, 14,5% alc, provem de vinhas com 45 anos de idade, La Consulta, Mendoza. Foi envelhecido por 12 meses em 50% de carvalho novo francês e engarrafado sem colagem ou filtração.

Avaliação pessoal: ST (91+)

Na taça mostrou um mix de frutas vermelhas, pretas, baunilha, especiarias, azeitona, mineral, fumo, de grande intensidade. O paladar é potente, com muita estrutura, “aveludado”, madeira integrada, bom equilíbrio, mostrando muita fruta com final “loooooongo” e agradável. Um belo Syrah, com estrutura para agüentar harmonizações com refeições condimentadas.

Quem importa é a Vinci, mais em procura no site não encontrei mais para compra, R$ 100,00 reais.


Exibir mapa ampliado

Você não precisa ser um expert em vinhos para aderir à onda de wine bars que invade São Paulo. As casas onde a carta de bebidas é exclusivamente dedicada aos vinhos e a drinques feitos com ele (esqueça as populares cervejas) se tornaram atração com a ajuda de um diferencial novo e irresistível:a máquina italiana Enomatic. Graças a ela é possível provar rótulos (e uvas) distintos servidos em taças sem consumir uma garrafa inteira. A máquina conserva o aroma e o sabor da bebida após aberta, pois mantém o liquido fora do contato com o oxigênio.

“Sempre selecionamos vinhos de regiões ou países diferentes para colocar na máquina”, diz Clara Mei, 21 anos, a jovem sommerlière do Santovino Ristorante, endereço no bairro do Jardim Paulistano que é um dos recentes a apostar no gênero. Aberto na última semana de junho, foca no público “around 30´s”, o qual atrai com uma uma charmosa varanda, ideal para se passar a tarde bebericando.


A VARANDA DO SANTOVINO, IDELA PARA DEGUSTAR UMA TAÇA DE TINTO OU DE BRANCO DURANTE A TARDE

As taças custam entre R$19 e R$26 cada, e há opções entre tintos e brancos. Podem ser acompanhadas porentradas de alma italiana, como a bruschetta de queijo brie (R$16 a porção com duas), boa pedida para combinar com o tempo frio. Se quiser esticar a degustação até o jantar, o menu completo traz massas tradicionais bem executadas, como o nhoque de batata com molho de tomate caseiro ou o espaguete à carbonara (ambos R$42).


O CLIMA INTIMISTA DO DIVINE WINE BAR AJUDA NA HORA DA PAQUERA

Já o pequeno Divine Wine Bar funciona desde março em um porão nos Jardins. De clima intimista, virou point de paquera por conta de sua frequência jovem. Ao som de uma trilha sonora quase sempre eletrônica, o cliente pode escolher entre 50 rótulos de vinhos brancos, tintos, rosés e espumantes, vindos de adegas-boutique do mundo todo. SERVIÇO: Santovino Ristorante – Al. Lorena, 1821 – Divine Wine Bar – Al. Jaú, 1844 C 

Fonte: Globo.com

Para ver a matéria completa clique aqui: http://www.vivendoavida.net/?p=15401.

Marcelo Retamal e Carlos Oliveira (Puerto Madero)

Rose e Faé

Helio (Enótria) e Fabricio

Fabiano e amigo

Abaixo: Sidney, Boris e Léonardo, a turma do Ville du Vin / Acima Cristina e Retamal (De Martino)

Silvestre e Welington


Marli, Cacá e Gabriel Lordello

Cristiane, Alan e Marcio

Uma equipe de pesquisadores do Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMCP) – centro associado à Universidad Politécnica da Valência (UPV) e ao Conselho Nacional de Pesquisa Espanhol (CSIC) – identificou um novo e potente antioxidante natural que ocorre nos pés de tomate. É uma substância fenólica que é sintetizada pela planta de tomate quando é submetida a estresse biótico. Até agora, ela era completamente desconhecida.

A UPV e o CSIC registraram as patentes nacionais e internacionais do antioxidante e os procedimentos laboratoriais utilizados para isolá-lo e sintetizá-lo quimicamente.

Os pesquisadores do IBMCP apontam que o poder antioxidante do novo composto é 14 vezes maior do que, por exemplo, o do resveratrol, um antioxidante conhecido, encontrado no vinho tinto, que pode retardar o envelhecimento celular. Além disso, é 4,5 vezes mais potente que a vitamina E e 10 vezes mais potente que a vitamina C.

Esta substância poderia ter múltiplas aplicações. Por exemplo, na indústria de alimentos poderia ser usada como conservante em alimentos para consumo humano e na ração animal, devido à sua ação retardante da oxidação lipídica. Este poderoso antioxidante impediria alterações que diminuem a qualidade dos alimentos extremamente, como óleos e gorduras tornando-se rançosos. Ele também poderia ser usado como um complemento para os produtos funcionais.

Também deve-se notar que os antioxidantes têm propriedades benéficas à saúde, ajudam a prevenir as doenças coronárias e o câncer, portanto, o composto pode ter grandes aplicações na indústria farmacêutica.

Outro uso possível para ele poderia ser: na indústria petroquímica, como conservante de gasolina e na indústria de polímeros, onde ele poderia ser usado na fabricação de fibras, produtos de borracha, geotêxteis e outros. Neste caso, o antioxidante seria usado como um estabilizador no processo de produção, e também para aumentar a vida útil do produto final.

Por outro lado, na indústria de cosméticos, ele poderia ser usado em produtos para cuidar da pele, dado suas possíveis propriedades relacionadas com a prevenção do envelhecimento.

Nos laboratórios da Polytechnic City Innovation, os pesquisadores descobriram esta substância, que está presente em pés de tomate submetidos ao estresse biótico, e desenvolveram um processo simples e econômico para sintetizá-la em laboratório.

A equipe de pesquisa IBMCP explica que quando uma planta é estimulada por um fator estressante, ela reage e ativa mecanismos que alteram os níveis de certos compostos. “Muitos compostos fenólicos são produzidos pelas plantas em resposta ao estresse biótico ou abiótico; estes compostos têm efeitos múltiplos, incluindo a atividade antioxidante”, disse o diretor do grupo de pesquisa Vicente Conejero.

Foi enquanto estudava essas circunstâncias anômalas das plantas- o estresse – que eles descobriram a indução deste composto. “Assim como a febre nos seres humanos é um alarme associado aos mecanismos de defesa, as plantas doentes têm um alarme semelhante, que é a síntese de uma série de compostos químicos. Um deles é o composto que descobrimos que tem uma capacidade antioxidante extraordinária. Além disso, somos capazes de sintetizá-lo em nosso laboratório”, explicaram os pesquisadores do IBMCP José María Belles e M. Pilar López.

A este respeito, deve-se ressaltar que o processo de síntese é simples e barato, portanto, os especialistas do IBMCP apontam, o composto está pronto para ser introduzido no mercado. Além disso, ele apresenta vantagens significativas em comparação com outros antioxidantes comerciais.

Fonte: Isaude.net (26/07/11)

Bravo! Bravo! Bravo! Pela primeira vez em vitória o enólogo da Vinícola Chilena Marcelo Retamal dá um show de simplicidade e conhecimento.

Na noite de terça feira a importadora Decanter promoveu mais um jantar harmonizado em Vitória. O local foi a Churrascaria Minuano. Os 26 participantes desta noite histórica tiveram a oportunidade não somente de conhecer os vinhos na taça, e o seu enólogo, mais também de aprender de uma forma simples e objetiva todas as características de solo e clima que levam os vinhos da De Martino a uma qualidade real, com preços justos. A “expressão do terroir” cercado de cinco fatores é uma máxima em seu trabalho: geologia, solo, clima, cepa e o homem. Tudo isso para apresentar um vinho com personalidade, não globalizado.

Foi muito legal estar participando deste momento. Para quem quiser mais informações sobre a vinícola, acesse www.demartino.cl. O vídeo teve como repórter Vivendo a Vida o Sommelier Boris Azevedo.

Veja a baixo os vinhos degustados e minha avaliação pessoal sobre eles.

Boris Azevedo, Marcelo Retamal (enólogo), Silvestre Tavares, Cristinan Castro (Export Menager) e Julio Antunes

As belas carnes da churrascaria Minuano!

Quebrada Seca Chardonnay 2009 – Vale de Limarí – 100% Chardonnay – 13,5% – R$ 84,00 – ST (92)

CARACTERÍSTICAS CLIMÁTICAS: Geograficamente, o Valle do Limarí corre paralelamente ao rio homônimo, numa zona que fica bastante quente à medida em que se afasta do mar. As precipitações são baixíssimas, não ultrapassando os 100mm anuais, e as amplitudes térmicas diárias grandes, entre 15 e 20°C.

CARACTERÍSTICAS DO SOLO: O solo corresponde a uma antiga terraça aluvial do rio Limarí, marcado num primeiro nível pelo baixo conteúdo de matéria orgânica e altos níveis de carbonato de cálcio, e num segundo nível, argilo-arenoso com gravas (cascalhos), chegando na profundidade a um solo arenoso-argiloso com muitas gravas e grandes rochas.

ELABORAÇÃO: Fermentação do mosto em barricas de carvalho francês com baixos níveis de tostado para respeitar ao máximo a integridade do terroir. Permanência por um ano nas barricas.

AMADURECIMENTO: 12 meses em barricas de carvalho francês de diversas passagens.

ESTIMATIVA DE GUARDA: 10 anos

Avaliação Pessoal: ST (92)

  • Começamos a noite com o Chardonnay Quebrada seca, que mostrou um visual claro e brilhante, aromas intenso de frutas cítricas, manteiga leve e agradável. O paladar mostra uma acidez fantástica, liberando muito frescor e equilíbrio. Harmonizamos com dois pratos, um de salmão que o vinho passou por cima e ficando perfeito com o filé mignon de porco.

Carmenére Legado 2008 – Vale de Maipo – 100% Carmenére – 14% – R$ (63,00) – ST (87)

CARACTERÍSTICAS CLIMÁTICAS: Clima temperado, com verão seco e caloroso entre os meses de dezembro a março, com uma temperatura média de 25°C. As chuvas concentram-se entre abril e setembro, com uma média de 330mm. Maipo Bajo é a zona mais quente do vale, com 550m de altitude aproximadamente e distante 50km do Oceano Pacífico.

CARACTERÍSTICAS DO SOLO: De origem aluvial. Franco arenoso de excelente drenagem, com profundidade média. A fertilidade é moderada e a irrigação se faz com as águas do rio Maipo.

ELABORAÇÃO: Colheita manual no ponto ótimo de maturidade, na segunda semana de Maio com 100% das uvas orgânicas. Desengace, prensagem e fermentação em tanques de aço inoxidável com estrito controle de temperatura à 28°C. Após o envelhecimento, o vinho sofre uma leve clarificação com albumina e gelatina, e um filtração ligeira com placas grossas.

AMADURECIMENTO: 12 meses em barricas de carvalho francês.

ESTIMATIVA DE GUARDA: 8 anos

Avaliação Pessoal: ST (87)

  • Visual vermelho vibrante, aromas com leve madeira, pimentão e frutas vermelhas. O paladar mostra corpo médio, equilibrado, fruta na medida. Na harmonização ficou prejudicado com uma costela, não suportando sua gordura, mais foi bem melhor com uma fraldinha.


Alto Los Toros 2008 – Vale de Elqui – 85% Syrah e 15% Petit Verdot – 14,5% – R$ 92,30 – ST (93)

CARACTERÍSTICAS CLIMÁTICAS: Clima de padrão desértico, com ínfimo índice pluviométrico (100mm ao ano), com mais de 300 dias de sol, o que acarreta em fatores de radiação UV muito elevados. Favorecendo a concentração de cor e aromas.

CARACTERÍSTICAS DO SOLO: Setor de vinhedo localizado numa inclinação de solo granítico sobre base de areia, com excelente drenagem e baixa fertilidade.

ELABORAÇÃO: Este Syrah tem por característica peculiar, cachos com menos de 50% do tamanho normal em comparação aos da região Central , casca muito espessa e escassa quantidade de suco, o que garante muita estrutura e acidez refrescante. A colheita foi realizada na segunda semana de Abril, de forma manual, com rendimentos baixíssimos. Criteriosa seleção de cachos visando o máximo equilíbrio no vinho. Fermentação alcoólica em tanques de inox sobre temperaturas controladas.

AMADURECIMENTO: 14 meses em barricas novas de carvalho francês.

ESTIMATIVA DE GUARDA: 10 anos +

Avaliação Pessoal: ST (93)

  • Este vinho foi eleito um dos 2 melhores Syrahs do Chile por Patricio Tapia, merecendo 94 pontos (Descorchados 2011).  Na taça mostrou uma baunilha deliciosa, ameixa, pimenta do reino, com leve nota balsâmica. O paladar é gordo, fresco, equilibrado, liberando muito prazer na degustação. Harmonizou muito bem com um Short Rib. Vale cada centavo!

De Martino Familia 2005 – Valle de Maipo – 91% Cabernet Sauvignon, 4,5%Malbec, 4,5%Carménère – 14,5% – R$ 239,70 – ST (92+)

CARACTERÍSTICAS CLIMÁTICAS: Clima temperado, com verão seco e caloroso entre os meses de dezembro a março, com uma temperatura média de 25°C. As chuvas concentram-se entre abril e setembro, com uma média de 330mm. Maipo Bajo é a zona mais quente do vale, com 550m de altitude aproximadamente e distante 50km do Oceano Pacífico.

CARACTERÍSTICAS DO SOLO: De origem aluvial muito antigos. Franco arenoso, com pedras de diversos tamanhos que permitem o sistema radicular aprofundar-se muito no terreno.

ELABORAÇÃO: Colheita manual no ponto ótimo de maturidade. Seleção das uvas, desengace, prensagem e fermentação em pequenos tanques de aço inoxidável com leveduras selvagens á 28ºC, onde também se deu a maceração.

AMADURECIMENTO: 24 meses em carvalho francês, barricas novas.

ESTIMATIVA DE GUARDA: 15 anos

Avaliação Pessoal: ST (92+)

  • Para fechar a noite com chave de ouro provamos o Top da Vinícola. Muito elegante, aveludado, inteiro, aromático, com um tripé perfeito entre taninos, acidez e álcool…vai longe!!!


O recorde mundial para o vinho branco mais caro do mundo foi quebrado nesta terça-feira em Londres, com a venda de uma garrafa de 200 anos de idade do Chateau d’Yquem por 75 mil libras, ou cerca de R$ 190 mil.

O empresário francês Christian Vanneque disse que vai exibir a garrafa por trás de um vídeo a prova de balas em seu restaurante em Bali, na Indonésia.

No vídeo acima, o enólogo Stephen Williams, da Antique Wine Company, examina as “diferenças” entre um vinho raro e um comum.

Fonte: BBC Brasil

Bem meus amigos, ontem completei 8 anos de casamento. Fazendo uma analogia ao vinho, quando no casamento existe qualidade, evolui muito bem. E graças a Deus o meu casamento é assim com um grande vinho, estruturado e ao mesmo tempo delicado, integrado, evoluído muito bem.

Para comemorar decidi abrir a principio o Yacochuya 2001 ST (94+), um vinho argentino elaborado por Michael Rolland, que me surpreendeu de forma positiva na taça. O visual apresentou um acastanhado típico dos vinhos evoluídos, aromas complexos de figos em calda, cedro, especiarias, própolis que se alternavam a todo tempo na taça. O paladar estava cremoso, intenso, equilibrado, que apesar dos seus incríveis 16% de álcool, que não se fazia sentir. Um vinho que vai evoluir muito bem com o passar dos anos, tem bagagem para isso.

Não satisfeito, decidi então arrumar uma rival para o argentino, abri uma garrafa de Don Melchor 2002 ST (90+), um dos mais conceituados vinhos chilenos da atualidade. Na taça a diferença de estilo se mostrou gritante e evidente. Apesar de 9 anos de safra o vinho se apresentou primário, coloração fechada, quase intransponível, aromas lácteos que me incomodou um pouco. O paladar mostrou força, mais agradável que no nariz, aveludado, também bastante equilibrado, com uma ótima persistência.